Canais
Entidades
publicado em 12 de janeiro de 2018 - 13h 8

Redução de imposto para eventos, em Curitiba, deve impulsionar turismo já em 2018

Nova alíquota beneficia 57 segmentos ligados ao fluxo turístico da capital

Da Redação
 Adonai Aires de Arruda Filho. presidente CCVB

Chega ao fim uma das grandes batalhas do setor de turismo, em Curitiba. Encabeçada pelo Curitiba Convention & Visitors Bureau (CCVB), a reivindicação para redução do Imposto sobre Serviços (ISS) na capital paranaense finalmente se concretiza e passa de 5% para 2%.

A nova medida, já sancionada pelo prefeito Rafael Greca, abrange feiras, exposições, congressos, shows e eventos. A iniciativa deve impactar significativamente o setor de turismo na capital. “Curitiba já era uma das principais cidades do país para realização de eventos em função da excelente infraestrutura que temos aqui, mas o custo era um fator preponderante na competitividade e às vezes perdíamos para outros destinos justamente pela diferença do imposto que incidiria sobre o evento” comenta Adonai Aires de Arruda, presidente do CCVB. “A redução da alíquota acaba com esse problema e faz de Curitiba a capital com melhor custo benefício para este tipo de ação”, afirma.

Estimativas indicam que o setor de turismo movimenta uma cadeia composta por cerca de 57 segmentos como hotéis, restaurantes e prestadores de diversos serviços. “A geração de empregos e renda por conta do fluxo turístico é de extrema importância para a economia da cidade” afirma Adonai. Em 2016, mesmo em meio ao conturbado cenário econômico do país, a capital paranaense atingiu o número de 157 eventos realizados e R$ 193 milhões de reais injetados na economia local graças à realização de eventos técnico-científicos. Os números de 2017 ainda estão sendo contabilizados mas, para 2018, já com a redução de ISS, a expectativa é de um aumento 10% a 15% no número de shows, por exemplo. Segundo o presidente do CCVB, a redução do imposto implica não só em aumento no número de eventos desta natureza, mas também no número de visitantes porque os valores dos ingressos tendem a diminuir. Já no que diz respeito ao segmento M.I.C.E. , espera-se um crescimento de cerca de 30% até 2022 já que o processo de captação acontece com anos de antecedência.

“Batalhávamos por isso há muito tempo e buscávamos o apoio da prefeitura por entender a importância do setor para o desenvolvimento da cidade. Este foi um dos temas mais debatidos na última campanha e agora, finalmente, alcançamos essa grande conquista. Este é um resultado a ser comemorado por toda população” conclui Adonai.

Veja também:

18/01/2018
Mercado de Turismo e Eventos tem índices positivos em São Paulo
Números do Visite São Paulo e do Observatório de Turismo e Eventos da SPTuris apontam crescimento do setor, com mais visitantes e impacto na economia
17/01/2018
ABIH-SP Divulga Projeções e Desafios na Hotelaria e Turismo em 2018
Estudo traz expectativas para o mercado hoteleiro e de turismo no Estado de São Paulo para este ano.
16/01/2018
ABR anuncia mudança de diretoria
Ricardo Domingues assume posto de diretor executivo pela terceira vez na história da entidade
16/01/2018
Carlos Palmeira comanda primeira reunião da nova diretoria da ABAV Nacional
A ABAV Nacional realizou no último sábado (13) a primeira reunião de diretoria sob o comando de Carlos Palmeira. Nas considerações gerais, o presidente apresentou formalmente os vice-presidentes e conselheiros eleitos, bem como os diretores nomeados, tendo como novidade a inclusão de uma diretoria adjunta à presidência, cargo ocupado por Glenio Cedrim.
Newsletter
Receba as novidades