Diversidade e Turismo
Bayard Boiteux
"Turismo é aprender a conhecer outras culturas, respeitá-las e sobretudo fazer de cada morador um aliado no desenvolvimento turistico"
Bayard Boiteux
10
julho
2017

Kuwait:misto de modernidade e preservação do patrimônio cultural

escrito por Bayard Boiteux

Resolvi visitar o Kuwait,já que estava em Dubai e não conhecia ainda o referido país.Tinha poucas informações,que era uma ex colonia britânica,que havia sido invadido e anexado pelo Iraque mas liberado no final de sete meses com a ajuda dos EUA,grande aliado daquele país e que era governado por um Emir,que também é chefe das forças Armadas e pode dissolver o Parlamento.Sabia também que era um país caro .Minha visita aconteceu em pleno Ramadã ,com uma temperatura de 46 graus.

Brasileiros para visitar o país precisam de visto.Para embarcar em Dubai,tive que mostrar a cópia do visto,já que o original deveria ser retirado na chegada.Viajei pela empresa low cost daquele país,El Jazeera que me surpreendeu pela gentileza e qualidade do serviço,desde o check in.Tentei comprar uma bebida alcólica no aeroporto de Dubai,para presentear um amigo que vive naquele país,quando fui informado que bebidas alcólicas são proibidas naquele pais.

Os procedimentos na chegada no Kuwait foram rápidos e gentis.O funcionário que checou minha documentação foi extremamente educado e disse que era SEMPRE UMA HONRA RECEBER brasileiros de um país irmão e com grande futebol.Me dirigi então para a casa de meu amigo,onde fiquei hospedado.O país tem muitas opções de hotel e casas/quartos na modalidade airbnb para todos os orçamentos.

O transporte público não é dos melhores e é apenas utilizado por imigrantes de baixo poder aquisitivo.O ideal é circular sempre em taxi,que embora tenham taximetro,sempre negociam as tarifas,que variam de 1 a 3 KD.(dinar do Kuwait,uma das moedas mais valorizadas do mundo,que equivale a quase 4 USD.

Minha primeira experiência a foi visitar o shopping The Avenues,o maior do país que tem todas as grandes marcas mundiais,vários restaurantes ,cafés e um verdaeiro souk.O lugar é lindo e tem uma grande curiosidade:como faz muito calor no país e o mesmo é enorme,a população local o utiliza para jogging.São dezenas de pessoas caminhando com roupas esportivas aproveitando o ar condicionado.Não achei os preços fora da realidade,embora caros com os do Rio de Janeiro.

No segundo dia,saí sozinho para descobrir a Cidade do Kuwait,capital politica e economica do país.Comecei descobrindo o famoso souk,Al Mubaraak,que nos da um pouco da ideia do artesanato .Como era Ramadã,nem todas as lojas estavam abertas.Embora a moeda seja super valorizada,vê-se que tapetes e suvenires tem preços bem razoáveis.Dali,peguei um novo taxi,que me custou 3 KD e fui conhecer as torres do Kuwait.A vista é deslumbrante e há um RESTAURANTE rotatorio.A entrada custa aproximadamente 8 USD.As pessoas são sempre muito gentis e vê-se a quantidade de estrangeiros que moram naquele país,onde recebem salários menores do que os nativos.Tentei então visitar a grande mesquita.Pude fazer uma visita rápida mas sem fotografar pois estava na hora da prece.Pediram que voltasse no outro dia.No dia seguinte,cheguei no horário combinado ou seja às 10 horas mas a funcionária que era encarregada da visita estava doente e não havia ninguem para me guiar.Achei tal fato totalmente inadequado pois e uma oportunidade única de divulgar a religião.Fui então conhecer os museus locais:comecei pelo de Arte Moderna,um exemplo único de arte daquele país..Muito bem organizado e gratuito.Dalí,segui para o museu maritimo.A tradição maritima é uma marca da sociedade local e assim podemos entender ainda melhor o passado e presente maritimo.

A cidade ,muito bonita apresenta a modernidade de seus grandes edificios e a marca da arquitetura local,Como o Seif Palace,o Bayan Palace,Al Jahra Gate ,para citar alguns exemplos.

A cidade também apresenta praias lindas embora as melhores estão nos hoteis,onde as mulheres estrangeiras podem se banhar com roupas de banho normal,já que as locais frequentam as praias com roupas que cobrem o corpo.

Não vi nenhum posto de informação turistica e nenhuma empresa qie operasse tours para turistas viajando por conta propria.Para ser franco,vi poucos turistas nos três dias que permaneci em Cidade do Kuaite.

Há alguns espaços verdes ,lindas residências onde devido ao calor até a garagem tem ar condicionado..Há uns 300 brasileiros naquele país ,que tem uma Embaixada Brasileira,que também responde pelo Bahrein,que tem um consulado honorario.

Adorei minha experiencia e acho que o destino ,muito seguro,pode ser uma ótima opção para quem estiver na área.

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades