Canais
Artigos
publicado em 09 de junho de 2015 - 12h58

Projeto do Dep. Otavio Leite inclui centros de convenções no regime cumulativo de PIS e Cofins

Otavio Leite quer incentivar a realização de eventos internacionais no Brasil para atrair turistas de negócios

Sergio Junqueira Arantes

 Deputado Otavio Leite
A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 17/15, do deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), que pretende incluir os serviços de exploração de centros de convenções no regime de incidência cumulativa de PIS (Programa de Integração Social) e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

O texto tem o mesmo teor do Projeto de Lei numero 7248/10, apresentado por Leite em 2010 por sugestão da Abraceef - Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras. A proposta de 2010 acabou arquivada pela Comissão de Finanças e Tributação em 2013, por incompatibilidade financeira e orçamentária. Apesar disso, o deputado reapresentou a proposta sem nenhuma mudança agora em 2015.

No regime de incidência cumulativo de PIS e Cofins, a base de cálculo é o total das receitas da pessoa jurídica, sem deduções em relação a custos, despesas e encargos. Além disso, as alíquotas da contribuição para PIS e Cofins são, respectivamente, de 0,65% e 3%.

Já o regime de incidência não-cumulativa tem como fato gerador o faturamento mensal da pessoa jurídica. Aqui, as alíquotas da contribuição para PIS e Cofins são, respectivamente, de 1,65% e 7,6%.

A proposta altera a Lei 10.833/03, que hoje inclui no regime de tributação cumulativa somente as receitas auferidas por parques temáticos e as decorrentes de serviços de hotelaria e de organização de feiras e eventos, conforme definido pelos ministérios da Fazenda e do Turismo.

Com a medida, Otavio Leite espera aumentar as atividades realizadas pelos centros de convenções brasileiros, atraindo turistas de negócios para o Brasil e, consequentemente, gerando emprego e renda. O deputado afirma que esse tipo de turista é o que mais interessa ao País, porque gasta cerca de 20% a mais que os turistas a lazer, conforme estudo feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo (USP), em 2007.

Tramitação - O projeto tramita em caráter conclusivo e segue para análise das comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Veja também:

03/05/2021
Afinal, o que são e como devem ser planejados os eventos híbridos?
As incertezas do setor de eventos não se resumem em entender os novos modelos de negócios e sim, em aplicar novas competências e habilidades junto aos organizadores de eventos os transformando em gestores de comunidade.
27/04/2021
Abracorp defende programa de testagem, vacinação e protocolos para a retomada
Australianos e neozelandeses preparam as malas para cruzar fronteiras, a partir do próximo dia 19 de abril. Motivos não faltam. Exemplos no combate à pandemia, habitantes dos dois países são referências à retomada do turismo internacional.
23/04/2021
O turismo e sua capilaridade no apoio ao Movimento Unidos Pela Vacina e vacinação contra o Covid-19.
No início de fevereiro de 2021 iniciou-se o Movimento Unidos pela Vacina, um grupo focado em trazer soluções, de forma estruturada e apartidária, logo o Movimento Supera Turismo que já vinha atento a importância da vacinação e gerando energia para divulgação da necessidade de acelerar o processo, se identificou com a causa e criou uma proximidade com o Unidos Pela Vacina, através de suas lideranças, trazendo para o Unidos grandes profissionais de Turismo e Eventos para colaborar.
19/04/2021
Abstinência de feiras cria novos formatos
Mais de 15 mil empresas/ano expõem em feiras Brasil afora, com o objetivo de vender. São produtos, serviços, marcas, conceitos e encontros que mantém as mesmas no ritmo de desenvolvimento. Fazem negócios e ampliam a geração de renda e empregos - além do consequente aumento do recolhimento de impostos.
Newsletter
Receba as novidades