Canais
Artigo
publicado em 26 de outubro de 2017 - 22h15

Quer saber os pontos mais relevantes do Congresso de Live Markteting?

Por Luana Pace

Da Redação
 Luana Pace

Eu realmente fiquei muito feliz, após alguns anos, voltar para este evento e ver que os assuntos abordados mudaram consideravelmente, e ainda mais feliz em presenciar o alinhamento de todos os assuntos com o que eu realmente acredito: experiências relevantes para os clientes, trabalhar por um propósito, gente cuidando de gente, integração entre todos os canais, diversidade dentro das organizações, união de talentos, etc.

Com o objetivo de compartilhar um pouco com vocês, que não puderam estar lá, seguem os principais pontos do evento:

  • A partir do dia 11/11 a nova lei trabalhista dá um choque de cultura no Brasil buscando mais equilíbrio entre empregado e empregador. O Juiz Federal do Trabalho, Marlos Melek, trouxe para o evento as principais mudanças da lei trabalhista e reforçou a sua importância na valorização da meritocracia. Alguns pontos ressaltados foram: a regularização do trabalho intermitente (free-la), a terceirização inclusive da atividade principal da empresa, férias tripartidas, entre outros pontos. Às pessoas interessadas em saber mais sobre este assunto, sugiro a leitura do livro escrito pelo Juiz Marlos Melek:"Trabalhista! e Agora?".
  • A Dra. Patricia Peck apresentou os grandes desafios que as empresas enfrentam hoje por causa das políticas de segurança necessárias para publicações no mundo digital. A grande questão é: “Como eu posso proteger as informações da minha empresa e dos meus clientes quando lidamos com as pessoas e as mídias sociais?”. Eu acredito sim que este é um ponto que precisa realmente ser cuidado pelas empresas e seus empreendedores, mas não só no conhecimento do que pode ou não ser feito no mundo digital, mas principalmente no cuidado em construir uma Cultura Organizacional que oriente e capacite os colaboradores a lidarem com as informações e a divulgação delas nas redes sociais. É exatamente por isso que nós, na Mudita, nos dedicamos tanto a construir e implantar Culturas Organizacionais conectadas com um propósito.
  • O que eu posso fazer por você hoje? Renata Quintella, fundadora do Instituto a Nossa Jornada, trouxe grandes exemplos do que acontece quando pessoas se mobilizam por outras pessoas. Ela reforçou que a nossa jornada é solitária, mas quando andamos juntos nossa força aumenta e conseguimos ir mais longe. Eu acredito nessa força que a Renata traz, de gente ajudando gente. No fundo, todas as relações que construímos, independentemente de serem com colaboradores, clientes, fornecedores, investidos, nós estamos sempre falando de seres humanos, que tem sua forma única de pensar, de sentir e de querer, por isso que em todo os trabalhos da Mudita o ser humano sempre está no centro.
  • Radiografia do novo consumidor! Os pontos apresentados neste painel foram de suma relevância para o empreendedor e sua relação com o cliente. As colocações de Luiza Trajano, fundadora das lojas Magazine Luiza, e da Renata Moraes, vice presidente do Grupo CRM, reforçaram pontos muito importantes sobre o novo consumidor: “Não é possível olhar a jornada do consumidor se você não entender o consumidor”, “Vender no digital não é uma vontade, é uma realidade”, “O consumidor tem menos tempo para as marcas, além disso ele é bombardeado de informações à todo momento”, “O consumidor mais do que nunca dita as regras do jogo”. Nesta última afirmativa, vale uma ressalva: eu acredito que não só o consumidor, mas o ser humano que está por trás do consumidor, é que dita as regras do jogo. Não basta mais você olhar o seu cliente como um potencial comprador, é fundamental entender as necessidades dele como ser humano, olhar para ele com um ser completo, que pensa, sente e quer, que tem desejos, dores, necessidades, desafios, frustrações, realizações etc. Somente desta forma você poderá criar experiências para ele que sejam realmente relevantes.
  • Outro ponto de destaque neste mesmo painel foi sobre a relação entre as lojas físicas e os canais digitais. Não existe mais barreira entre o mundo on-line e o mundo off-line, um não vai acabar com o outro, pelo contrário, um vai colaborar com o outro, um vai potencializar o outro. Aqui o olhar deve ser para a relevância: quanto mais as ações da empresa estiverem atreladas a um propósito claro, mais fácil gerar conteúdos relevantes para todos os canais.
  • Durante o painel sobre “O desafio do retorno” foi reforçada a importância das empresas terem claro o seu propósito. Patrícia Amaro, da Unilever, enfatizou: “As marcas que tem propósito crescem 60% mais do que as marcas que não tem propósito”, e este dado está diretamente relacionado à mudança de uma gestão focada no curto prazo, que busca somente resolver os problemas diários, para uma gestão pensada a longo prazo, que busca atender a um propósito maior.
  • Durante a troca de experiências, em Cannes, pelo Célio Ashcar, sócio da Aktuell Mix, foram trazidos alguns pontos considerados, na minha opinião, fundamentais para o sucesso das organizações: o protagonismo é do público consumidor, as marcas precisam aparecer como facilitadoras e/ou transformadoras da sociedade. O público se aproxima cada vez mais de marcas que abraçam causas, relações humanas=experiências. Tecnologia é para somar, não para substituir relações, o engajamento do seu cliente deve acontecer de forma natural e espontânea.
  • No painel digital ´Nana Rude´, o blogueiro traz algumas dicas importantes sobre o setor. “Os canais precisam se unir e virar uma grande conversa boa. Na rede social você precisa ser você mesmo ninguém quer ver uma personagem. As pessoas buscam espontaneidade na internet. As pessoas são o que são. As pessoas não querem ser influenciadas, elas querem ver o seu natural querem se interessar pelo seu conteúdo pelas informações que você traz”.
  • Por último, para finalizar em grande estilo, o painel abordou a importância da diversidade de pessoas dentro das organizações, trazendo temas como empoderamento feminino, inclusão e oportunidade para a diversidade dentro do universo corporativo. Neste ponto, é algo que me toca muito, pois acredito realmente que a solidão empreendedora só diminuirá com a união de diferentes talentos em prol de um propósito maior!
*Luana Pace é Sócia Diretora da MUDITA Instituto de Empreendedorismo e Inovação

Fonte: assessoria

Veja também:

09/07/2019
Abertura do mercado de aviação
Por Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis
06/07/2019
Entenda como os erros podem ser algo positivo para as pessoas e empresas
Autor e Palestrante Alexandre Slivnik explica como tratar os erros de colaboradores para transformá-los em oportunidades.
19/06/2019
Em defesa do turismo rodoviário
Por Manoel Linhares
13/06/2019
Americanos, japoneses, canadenses e australianos, sejam bem-vindos ao Brasil!
Por Manoel Cardoso Linhares*
Newsletter
Receba as novidades