Canais
Destino
04/09/2007
Wet´n Wild investe R$ 1,5 mi em nova atração para temporada 2007/ 2008
O Wet´n Wild reabre no próximo dia 7 de setembro com uma nova atração, a primeira que o parque recebe desde sua inauguração, em 1998. O Crazy Drop se soma a outros 11 equipamentos que o complexo exibe em sua área de 160 mil m². Os investimentos ultrapassam R$ 1,5 milhão. "Com isso, esperamos um aumento de 20% no fluxo de visitantes em relação à última temporada, que chegou a mais de 300 mil pessoas", conta o presidente Alain Baldacci.  O Crazy Drop é uma espécie de pista de skate gigante do tipo half-pipe (em forma de U), com mais de 13 metros de altura, o equivalente a um prédio de quatro andares. A grande inclinação da pista dá ao visitante a sensação de queda livre. A descida é feita em bóias que podem levar até duas pessoas por vez.  "Nossa meta é consolidar cada vez mais o Wet´n Wild como referência em lazer aquático no Brasil", ressalta Baldacci. "Temos uma infra-estrutura para receber até 7 mil pessoas ao dia. E zelamos pela missão de unir diversão, qualidade e responsabilidade ambiental, com total segurança, tecnologias de ponta e modernas atrações para todas as idades", acrescenta.  Serviço(11) 4496-8000www.wetnwild.com.br
04/09/2007
Resorts Brasil lança campanha de incentivo para agentes
A Associação Brasileira de Resorts realizou nesta quinta-feira, 30, em São Paulo, o lançamento de sua campanha de incentivo para agentes de viagens intitulada “QUIZ – Redescobrindo os Resorts do Brasil”, apresentada por Ricardo Domingues, diretor executivo da associação. A campanha, inédita no país, será via internet e visa elucidar para os agentes de viagens o conceito de resort, assim como capacita-los a vender os mais de 43 estabelecimentos associados à Resorts Brasil. “Nossa meta com essa ação é atingir 80% dos agentes de viagens do Brasil. Vamos passar para eles não somente informações sobre nossos associados, mas também, dados culturais e históricos sobre os destinos em que os resorts se encontram”, explica o diretor. O quis será divido em três etapas, primeiramente na Região Sul, seguido das Regiões Sudeste e Centro-Oeste, e por último, os da Região Nordeste. Semanalmente a Resorts Brasil disponibilizará no hotsite uma relação com 60 perguntas onde os participantes deverão responder até a data limite de 28 de setembro. A relação com os nomes dos agentes contemplados será divulgada no dia 4 de outubro. A premiação para os 43 primeiros colocados será sete diárias nos resorts associados, com desconto de 80% no valor das passagens aéreas com direito a um acompanhante. Domingues comenta que mesmo aqueles que não forem bem colocados na campanha terão chances de ganhar prêmios. “Haverá um concurso cultural onde os participantes responderão a uma pergunta: "Por que a viagem a um resort é a melhor opção para oferecer a meu cliente?". Os autores das três melhores respostas ganharão diárias em três empreendimentos. A idéia de capacitar os profissionais e incentivá-los a vender mais pacotes para resorts vem num momento importante, pois o índice de ocupação nos resorts durante o mês de julho fechou muito abaixo do esperado.  “Julho foi um mês desastroso, sentimos um impacto muito grande decorrentes da crise aérea e da baixa do dólar”, analisa Domingues. A perspectiva para este ano é fechar o ano com 53% de ocupação, enquanto no ano anterior, o número atingido foi de 55%. De acordo com o diretor executivo, o período de alta temporada, nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro, é responsável por 53% da receita anual desses empreendimentos. O Estado de São Paulo é o principal pólo emissor de turistas. Os moradores da capital procuram os resorts localizados na Bahia, Ceará e Santa Catarina, enquanto os do interior buscam mais o Estado de Goiás. As agências de viagens que não receberem o e-mail com o convite poderão se cadastrar no www.resortsbrasil.com.br.
04/09/2007
Hotel Villa Rossa neutraliza emissão de carbono dos eventos
Consciente de sua parcela de responsabilidade perante o meio ambiente, o Hotel Vila Rossa, instalado em São Roque, no interior de São Paulo, oficializou em agosto o projeto de neutralizar toda a emissão de carbono gerado pelo equipamento e eventos realizados nele. “As empresas que procurarem o centro de convenções do empreendimento para realizar seus eventos terão a oportunidade de demonstrar sua responsabilidade ambiental ao colaborar com R$ 10,00 por cada participante que será destinada à compra de árvores, neutralizando assim o carbono emitido pelos seus eventos”, explica Franklin Pedroso, gerente de marketing, ao Portal EVENTOS®. O número de um participante para cada árvore foi calculado pela Key Associados, empresa especializada na área ambiental que fez o estudo de emissão de CO2 englobando desde a geração de resíduos até a utilização de geradores pelo hotel ou empresa que vai realizar o evento. Em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, da qual o Vila Rossa é parceiro desde 2005, são plantadas anualmente dez mil árvores. “Verificamos que a questão do aquecimento global traz prejuízo para todos e desenvolvemos uma ação para minimizar a emissão de carbono na atmosfera”, analisa Pedroso. As empresas que fizerem parte da iniciativa terão seu logotipo estampado nas folhas de árvore confeccionada em madeira reciclada, instalada no hall do empreendimento, assim como no site, além de receber também um diploma do SOS Mata Atlântica. “Nossa expectativa é que 50% dos eventos realizados em nosso centro de convenções sejam neutralizados. Já estamos passando a opção de neutralizar o carbono do evento no orçamento, ficará a critério da opção de aderir ou não ao projeto”, diz o gerente. A questão da responsabilidade ambiental está cada vez mais presente entre as empresas que compõem o trade turístico brasileiro. Cada uma, à sua maneira, desenvolve soluções para ajudar a preservar o planeta, que neste ano está em evidência na mídia diante dos desdobramentos para o clima em função do aquecimento global. Entre outras ações ecológicas desenvolvidas pelo Vila Rossa está o plantio de mudas de árvores pelas crianças que se hospedam no empreendimento. “Nossos monitores ensinam como plantar as mudas e os cuidados que se deve ter com elas”, comenta Franklin Pedroso. Depois é fixada uma placa com o nome do hóspede, data do plantio e espécie da árvore.
04/09/2007
Prefeitura de São Paulo lança amanhã a Virada Esportiva
A Prefeitura da Cidade de São Paulo lança oficialmente nesta terça-feira, 4, a Virada Esportiva, evento inspirado na Virada Cultural, que acontecerá nos dias 22 e 23 de setembro com 24 horas ininterruptas de esporte, lazer e recreação nas regiões de todas as 31 subprefeituras da capital paulista. Participarão da cerimônia, na Marquise do Parque do Ibirapuera, o prefeito Gilberto Kassab, juntamente com o secretário municipal de Esportes, Walter Feldman, e o presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho, que falarão sobre o conceito do evento e os principais destaques da programação.  Ao todo, 15 secretarias, a CET-SP e a SPTuris vão trabalhar juntas para disponibilizar toda a infra-estrutura do evento, além de equipamentos esportivos e parques da cidade. A data do evento coincide ainda com a chegada da primavera no hemisfério sul e o Dia Mundial Sem Carro. Serviço Lançamento oficial da Virada Esportiva Data: Dia 4 de agosto Horário: Às 10h30 Local: Marquise do Parque do Ibirapuera (entrada pelo portão 3)Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n
09/08/2007
Curitiba: pronta para mais eventos
A temperatura está baixa. Os termômetros marcam 10º C. É inverno em Curitiba e a cidade, com seu charmoso clima europeu, amanhece entres as nuvens com a neblina típica desta época do ano. Nas ruas, as pessoas bem agasalhadas caminham cruzando as largas avenidas onde os ônibus ‘ligeirinhos’ circulam sem atrapalhar o trânsito. Dentro de uma "Estação Tubo", marca registrada dos modernos "pontos de ônibus" da cidade, aguardo minha vez de embarcar no melhor sistema de transporte coletivo da América Latina. Tudo é muito rápido e em pouco tempo já estou no meu destino final. O dia só está começando e o aconchegante clima de inverno com sol é um convite para um longo passeio. Durante uma generosa caminhada pelo centro da cidade, atravesso as agitadas ruas XV de Novembro e das Flores até chegar na ‘Boca Maldita’, tradicional ponto de encontro de Curitiba, onde é possível saber tudo e mais um pouco sobre política, cultura, futebol, fofocas, etc. Entre um gole e outro de café para esquentar, um simpático senhor me fala sobre a Linha Turismo, composta por ônibus do tipo ‘jardineiras’ que circulam pelos principais pontos turísticos da cidade. Sem pensar muito, sigo em direção a Catedral de Curitiba onde embarco para um charmoso passeio pela cidade para ver de perto lugares como a Universidade Federal do Paraná, Jardim Botânico, Ópera de Arame, Museu Oscar Niemeyer, Santa Felicidade, Rua 24 horas, Universidade Livre do Meio Ambiente, Museu Paranaense, Parque Taguá, entre outros. Já no final do longo dia estou na Torre Panorâmica, observando a cidade do alto e começando a entender claramente porque a capital paranaense há muitos anos é uma referência quando se trata de projetos urbanísticos pioneiros. O sistema de transporte coletivo, a arquitetura arrojada de seus parques, monumentos e museus, o extremo cuidado com a preservação do meio ambiente, sua forte identidade cultural influenciada por vários povos, além de uma ampla infra-estrutura de serviços de qualidade a caracterizam como uma cidade única no País. Boa para viver, passear e fazer eventos - A máxima do turismo que diz "uma cidade é boa para o turista se ela é boa para as pessoas que nela vivem", se confirma plenamente em Curitiba, que está entre as cidades com os melhores indicadores sociais do País. O verdadeiro reconhecimento de tudo isso se reflete nos mais variados títulos que a cidade conquistou. Para se ter uma idéia, só nos últimos três anos Curitiba foi eleita como a melhor cidade brasileira para fazer negócios, de acordo com pesquisa realizada pela Simonsen Associados para a revista Exame. Outros títulos importantes, como Capital Americana da Cultura e Capital Ecológica do Brasil, também compõem o hall de suas conquistas. Para completar uma lista recheada de fatores que a diferenciam de qualquer outra cidade do Brasil, nos últimos anos tem aumentado substancialmente a procura de grandes indústrias, principalmente automobilísticas, de alimentos e de tecnologia para instalarem, em sua região metropolitana, fábricas e sedes de escritórios no Brasil. Esse contexto tão favorável, já seria suficiente para qualificar a capital paranaense como um destino altamente competitivo para receber todos os tipos de eventos. Mas ainda há a sua ótima infra-estrtura em matérias de equipamentos para reforçá-lo. Uma boa variedade de espaços, parque hoteleiro em expansão – mais de 16 mil leitos até o final do ano, somados às políticas públicas de promoção turística através da Paraná Turismo, órgão estadual, da CIC (Companhia de Desenvolvimento de Curitiba – Curitiba Turismo) e ao trabalho do Curitiba Convention & Visitors Bureau (CCVB) estão ajudando a trazer para a cidade cada vez mais turistas, tanto de eventos e negócios como de lazer. No ano passado a capital paranaense recebeu 1,6 milhões de habitantes, número acima da média nacional, número que representa exatamente a população atual da cidade. Isto quer dizer, Curitiba recebe por ano uma Curitiba inteira de turistas. Sabe-se também que deste total de 1,6 milhões de turistas, cerca de 49% passam pela capital paranaense para fazer negócios em função do grande número de empresas sediadas na Cidade Industrial de Curitiba. Uma estimava animadora da Prefeitura mostra que com a implantação do novíssimo Estação Embratel Convention Center a participação do turismo no Produto Interno Bruto (PIB) da cidade passe de cerca de 6% para 8%. E a cidade só tem o que comemorar. De acordo com dados do CCVB, ainda neste ano a cidade deverá receber 20 mil turistas a mais do que nos anos anteriores, tudo isso em função dos eventos. Em 2003, cerca de 97 mil turistas estiveram na cidade para participar de eventos, para 2004 esse número só tende a crescer. Tudo pronto para os eventos crescerem mais - Para abrigar este crescimento, a cidade dispõe hoje de uma lista de espaços, entre os quais o Estação Embratel Convention Center, Expo Trade, Centro de Convenções de Curitiba, Marumby Expo Center, CIETEP (Centro Integrado dos Empresários e Trabalhadores das Indústrias do Paraná), Pavilhão de Exposições do Barigui, Canal da Música, Ópera de Arame, Teatro Guairá, Pedreira Paulo Leminski, Centro de Convenções do Shopping Novo Batel e Irmãos Madalosso. São locais que comportam de grandes a pequenos congressos, seminários, exposições, workshops, eventos populares, shows musicais e etc. O Estação Embratel Convention Center, foi inaugurado no final de março passado e é considerado o mais moderno centro de convenções do País. Com área de 25 mil m² e capacidade para receber até 5 mil pessoas, o novo centro de convenções tem como características conceituais marcantes a inteligência, flexibilidade e multifuncionalidade dos seus espaços. Um acordo de co-branding entre a Embratel e o grupo K&G, controlador da rede, e O Boticário, possibilitou a implantação de recursos tecnológicos nunca antes disponíveis num espaço para eventos no Brasil. Outro diferencial é que o centro de convenções está integrado ao complexo do Shopping Estação, que atualmente conta com 214 lojas, dez cinemas, praça de alimentação, museus, área de entretenimento, tudo isso estrategicamente localizado na região central da cidade. Já o tradicional Centro de Convenções de Curitiba, também apresenta boas novidades. Sob uma nova administração, esse importante espaço para eventos está passando por uma série de reformas, como melhorias na parte de segurança e no grande auditório Paraná para 1.500 pessoas. Outro espaço que também se destaca é o Expo Trade, local das maiores feiras de negócios da região que, com uma área de exposições com 30 mil m², também dispõe de um boa diversidade de salas para suprir eventos dos mais variadas dimensões. Já os Teatros Guaíra e Paiol são palco de peças de teatro e apresentações culturais. E no que se refere a grandes espaços para realização de mega eventos, a Pedreira Paulo Leminski, na região norte da cidade, consegue receber até 20 mil pessoas em eventos como o Curitiba Pop Festival, que recentemente trouxe várias bandas nacionais e internacionais para a cidade. Bem próximo à Pedreira está a charmosa Ópera de Arame, uns dos mais belos cartões postais da cidade e também um importante espaço para realizações de eventos. Hotelaria também pronta para os eventos - Com um histórico de crescimento relâmpago nos últimos anos anos, a hotelaria de Curitiba se renovou com a entrada das grandes redes e agregou novos espaços para eventos. Para se ter uma idéia, em 1999 havia 81 hotéis e 21 flats, que juntos somavam 11.283 leitos. Em 2002, esse número para 94 hotéis e 28 flats. No ano passado foram construídos mais sete hotéis e seis flats, sendo que ainda neste ano pelos menos outros seis serão inaugurados, chegando até o final de 2004 com uma oferta acima de 16.500 leitos. Entre os novos hotéis incluem-se dois da rede Holiday Inn, um deles no bairro de Santa Felicidade e outro no sofisticado bairro Batel. Já a rede Accor vai inaugurar até o final do ano seu hotel de classe econômica, o Formule 1 próximo à estação rodoferroviária. A lista dos hotéis na cidade que hoje dispõem de boas áreas para eventos é bem grande. Entre os principais estão o Blue Tree, Mercure, Íbis, Deville, Grandville, Mabu, Doral, Lancaster, Rockfeller, Roochelle, Victoria Villa, Bourbon, Bristol, Caravelle, Condor, Lizon e Holiday Inn. Um dos grandes destaques , sem dúvida, é o elegante hotel Four Points by Sheraton Curitiba. Além de toda sua infra-estrutura de hospedagem e lazer – 176 apartamentos –, o Sheraton Curitiba dispõe de um amplo e completo centro de convenções com 411 m² e capacidade para até 650 pessoas em auditório. Completando o complexo estão mais cinco salas de reuniões e outras cinco salas day office totalmente equipadas. Paraná e seu grande potencial turístico - Num Estado tão grande como o Paraná, a diversidade de locais para se visitar fora da capital é enorme. Através da Paraná Turismo, órgão ligado a Secretaria de Estado Turismo, a execução da Política Estadual do Turismo têm ajudado no desenvolvimento e fomento do turismo em todo Paraná. De leste a oeste, de norte à sul, o Estado tem atrações por toda parte. Começando pelo litoral passamos pelas históricas cidades de Paranaguá, Morretes e Antonina, localizadas no pé da Serra do Mar. Bem próximo estão a Ilha do Mel e Guaraqueçaba, badalados destinos de praia e natureza. Passando pela bela Estrada da Graciosa e atravessando a capital chegamos a região dos Campos Gerais, onde está o Parque Estadual de Vila Velha, local em que o tempo e o vento esculpiram figuras intrigantes nas pedras, entre elas cartões-postais famosos como a "Taça", a Pedra Suspensa, a Lago Dourada e o Cânion do Guartelá – sexto maior do mundo. Seguindo em direção Norte pelo interior, chegamos nas cidades de Maringá e Londrina, fortes pólos econômicos de agricultura onde estão concentrados cerca de 30% da população do Paraná. Nessa região são marcantes os fortes traços da colonização japonesa, árabe, alemã, italiana e portuguesa. Já na região Oeste encontra-se uma das mais diversificadas paisagens do Estado. É lá também que está a famosa cidade de Foz do Iguaçu com seu Parque Nacional do Iguaçu - Patrimônio da Humanidade – e um dos maiores espetáculos da natureza, as Cataratas do Iguaçu. Demarcando a tríplice fronteira – Brasil, Argentina e Paraguai – Foz do Iguaçu é um dos principais destinos turísticos de toda América do Sul. Nessa região também está a monumental usina hidroelétrica de Itaipu, a maior do mundo, cujo reservatório forma um lago artificial com praias, piscinas naturais, marinas e dezenas de áreas para prática de esportes náuticos e pesca esportiva. Já na capital Curitiba... - No pós-evento, uma variedade de passeios para o dia e a noite - Além da boa infra-estrutura para eventos, a elegante capital paranaense oferece uma série de opções de passeios para o pré ou pós-evento. Durante o dia ou à noite, a cidade tem muita coisa boa para ser vista. Na recheada lista de locais para se visitar, todos incluídos no roteiro da Linha Turismo, vale a pena parar, descer e conferir o Museu Oscar Niemeyer, o Jardim Botânico e a Ópera de Arame. Outra sugestão é acordar cedo e embarcar no passeio de trem da Serra Verde Express até Morretes, percorrendo a Serra do Mar e conferindo um visual inesquecível da natureza cruzando a famosa estrada de ferro que liga Curitiba ao Porto de Paranaguá . Já na volta, suba pela Serra da Graciosa por suas lindas estradas sinuosas. À noite pode-se conhecer a agitação do sofisticado bairro Batel com sua infinidade de bares. Lá estão os divertidos Armazém São José, com deliciosos petiscos, e a música brasileira ao vivo do Bar Brasil. Não muito longe fica o Bar Brahma, um dos mais deliciosos e badalados da cidade, onde o chopp vem direto da fábrica. Mas se o apetite está para sentar e saborear um bom jantar, o tradicional bairro italiano de Santa Felicidade é o caminho certo. Composto essencialmente por cantinas, os restaurantes do bairro têm um charme todo especial. Entre tantos, lá está o maior restaurante do mundo, o Madalosso, com sua típica polenta frita acompanhada de asinhas de frango, que em dias de grande movimento chegam a receber mais de 5 mil pessoas. Em Santa Felicidade também está a Alma Curitibana, uma belíssima loja onde se encontram artesanatos de todas as colônias estrangeiras que vivem na cidade. São estas características culturais e sociais, seus valores e belezas que resumem a essência da alma curitibana.
30/11/-0001
Norte do Paraná: uma destinação surpreendente!
A convite dos convention & visitors bureau de Maringá e da Região de Londrina, visitei a região, ocupando-me, basicamente, dos seus equipamentos principais para eventos. Country & Cult - Não constitui tarefa fácil qualificar o Norte do Parará. Para quem nunca visitou a região, ou faz muito tempo que não a visita, o mínimo que se pode dizer é que surpreende. Quem espera encontrar ali uma região tipicamente interiorana, caipira, despretensiosa, modorrenta, muito rapidamente se impressiona com seu dinamismo, a modernidade presente nos seus belos espaços para compras, na ousadia arquitetônica dos seus belos teatros, edifícios públicos e arranha-céus, no seu avançado desenho urbano, com amplas e arborizadas ruas e avenidas, com sua cultura ambiental, principalmente de Maringá, onde a cidade “envolve” três grandes parques, um deles de mata nativa. Cornélio Procópio, apesar do seu dinamismo, aparenta ser a mais conservadora. Londrina é a mais desenvolvida, mas se ressente de alguns problemas gerados pelo crescimento mais rápido do que o planejado e Maringá, certamente a que mais impressiona pela sua proposta urbanística e ambiental. Região com terras férteis, tem seu esteio não só na produção rural (antes com o café, hoje com o café, milho, soja, cana e pecuária de primeira linha), mas também, num expressivo parque industrial, comercial e de serviços, ligado ao agribusiness. Sua população é bem educada, bem qualificada profissionalmente e seu poder aquisitivo, “per capita”, um dos maiores do Brasil. Portanto, se você promotor ou organizador de eventos, decidir realizar algum evento nessa região, o mínimo que vai conseguir é o deslumbramento dos seus participantes, com as cidades, com o sistema viário, com o equilíbrio ambiental, com sua população, produto da integração nacional, principalmente do sudeste (paulistas) e do sul (gaúchos e catarinenses) com os locais, sem mencionar os imigrantes japoneses (a “colônia” de Maringá é uma das mais expressivas do Brasil), italianos, alemães, poloneses, portugueses, judeus e árabes, vivendo na mais perfeita harmonia e comportando-se de acordo com a tradicional cordialidade brasileira. Sobre os Espaços - Em Cornélio Procópio, o destaque é para o surpreendente Aguativa Resort. Dotado de espaços multiusos, que levam os nomes de madeiras da região (Araucária, Ipê, Paineira, Amoreira e Jatobá) pode receber até 500 participantes no seu maior auditório: o Araucária, bem como cerca de 300, no Ipê; 150, no Paineira; 95 no Amoreira e 90 no Jatobá. O pé direito (sempre um problema) é bom no auditório maior (4 m), médio (3,75 m) no Auditório Ipê e baixo nos pequenos auditórios (2,98 m). Significa que o Resort pode realizar diversos eventos, principalmente corporativos, simultaneamente, ou somente um evento, de expressão (mas, cuidado, que o Aguativa só dispõe de 170 apartamentos). É claro que você pode utilizar outros hotéis na cidade, mas não terá as vantagens da integração completa. Se o seu grupo puder hospedar-se em aptos. duplos ou triplos, poderá abrigar algo como 400 pessoas, com razoável conforto. Os demais equipamentos, bem distribuídos na generosa área verde, enriquecem o hotel que dispõe de tudo que você pretende encontrar num resort: boa comida em restaurante para 600 pessoas, completa praça de esportes; inclusive com a prática de esportes radicais (parede de escalada, rafting, treking, tirolesa, jeep of road), complexo de relaxamento (sauna, centro de estética e embelezamento, massagem, shiatsu e do-in, fitness center e um ótimo parque aquático, com piscinas internas e externas). Telefonia digital, telefonia celular e internet com fluxo digital oferecem bom suporte para telecomunicações. Impressiona, também, o bom nível na prestação de serviços, já que o Aguativa (tem este nome em razão das fontes de águas naturalmente aquecidas) é propriedade do mesmo grupo que opera o complexo de Barra Bonita, portanto, com larga experiência na administração deste tipo de estabelecimento. Destaque cultural de Cornélio Procópio (66 km distante de Londrina) é o Museu de História Natural “Mozart de Oliveira Valim”, inaugurado em 2002, com o maior acervo de animais taxidermizados da América do Sul. Londrina - A rica, dinâmica e moderna capital do Norte do Paraná, com quase meio milhão de habitantes, quatro universidades com 22.000 estudantes, cerca de 3.500 indústrias, 14.000 empresas de serviço. 3.200 estabelecimentos agrícolas, com renda média familiar de 4,9 salários mínimos, 5 mil reais de renda per capita está a 576 m de altitude e pode receber cerca de 5.000 hóspedes, simultaneamente, nos seus 43 hotéis. Destacam-se, dentre eles, o Bourbon Londrina Business (110 quartos), o Bristol Londrina Residence (226 quatros), o Cedro (130 quartos), o Comfort Suítes (123 quartos), o Crystal Palace (89 quartos), o Thomas (117 quartos), o Sumatra (100 quartos) e o Aero Park (75 quartos). Todos eles possuem complexos de espaços para eventos. Destaque para o Crystal, com salões diversos e capacidade para até 400 pessoas, em auditório. O Sumatra, para até 480 pessoas. São todos hotéis em condições de operar, com qualidade, eventos corporativos e hospedar participantes de eventos maiores que se realizam nos seus centros de convenções, o CEEL e o CATUAÍ. O CEEL – Centro de Exposições e Eventos de Londrina está situado em região nobre da cidade e é composto de uma área de feiras e exposições, com 6.500 m2 de área, com isolamento termoacústico, doca de carga e descarga, quatro baterias de banheiros, sistema hidráulico, elétrico e de telecomunicações, gerador próprio de energia, pé direito de 8 m. Além disso, possui, auditório ou espaço multi-uso para 1.700 pessoas, ar condicionado, cozinha industrial, camarins, duas baterias de banheiros e, num segundo pavilhão, 1.750 m2 de área para multi-uso, além de 5 salas (60 pessoas cada). Trata-se de um belo edifício. O pavilhão maior serve, muito bem para exposições, refeições ou posters, ainda que sem ar condicionado. O grande auditório com ar condicionado, pode atender sessões plenárias. Mas, não é divisível, o que compromete a realização de congressos, que exijam salas para sessões simultâneas. Em nossa opinião, se o CEEL adicionar mais espaço, divisível em até 8 ou 10 salas, com capacidades para 70 a 80 pessoas (duas) 100 a 150 pessoas (duas) e mais duas de 300 a 400 pessoas cada, poderá tornar-se um dos melhores espaços para eventos, aumentando consideravelmente a possibilidade de Londrina hospedar congressos estaduais, nacionais e até internacionais. O CATUAÍ, é parte integrante do Shopping que leva seu nome. Possui espaço multi-uso de 2.100 m2 para feiras, exposições e outros eventos. Mas não pode ser indicado para Congressos, por lhe faltar alguns recursos exigidos neste tipo de evento. Concluindo: por enquanto, Londrina não possui capacidade para receber congressos maiores e mais complexos. Salvo alguns hotéis que podem sediar eventos corporativos, e o CEEL, que pode receber feiras e exposições de pequeno porte, bem como receber eventos religiosos, políticos e artísticos, num só espaço/auditório, não vejo como indicar, por enquanto, esta cidade para congressos nacionais ou internacionais. Maringá - Apesar de ter menos habitantes que Londrina, a belíssima Maringá com cerca de 300.000 habitantes, 1.400 indústrias, 6.000 empresas comerciais, 6.500 prestadoras de serviços, duas universidades (com 25.000 alunos) renda per capita de R$ 15.000,00 e 22 hotéis, oferece melhores condições do que Londrina, no que se refere a espaços para eventos técnico-científicos e corporativos. Espaços em Maringá - Maringá dispõe do Centro de Eventos Araucária, complexo composto de espaços multi-usos que levam nomes de famosos compositores e cantores nacionais: Joubert de Carvalho + Vinícius de Moraes (340 m2), Tom Jobim (600 m2), Cazuza (170 m2), Clara Nunes (100 m2), Miriam Batucada (75 m2), Elis Regina (50 m2), Carmem Miranda (50 m2), compondo três áreas distintas, cada uma delas somando, respectivamente, 600 m2, 370 m2 e 280 m2. Único senão: pé direito de 3,10 m no Espaço Tom Jobim e 2,70 m nos demais. Mas possui toda a infra-estrutura básica, incluindo climatização. Trata-se de um espaço onde o organizador ou promotor pode programar os mais diferentes tipos de eventos, incluindo congressos com até 600 participantes com alimentação e contando com salas de sessões simultâneas e até uma pequena exposição. Inaugurado em 2002, o Araucária seria quase perfeito se tivesse pé direito maior. O outro centro de convenções, tal qual Londrina, encontra-se instalado num Shopping Center (ASPEN). O Centro de Convenções ASPEN é composto de espaços que não oferecem toda a flexibilidade funcional do Araucária, mas é bastante sofisticado, com ótimo pé-direito (4,53 m). O espaço maior (Centauros), com 648,86m2 pode ser dividido em até seis novos espaços. Antares (106,78 m2), Atria (105,08 m2), Capella (120,28 m2), Polaris (101,86 m2), Sirius (104,93 m2) e Vega (110,30 m2). Há, ainda, outro espaço multi-uso de 113,89m2. Faltam algumas salas de apoio, se o organizador desejar utilizar todo o Centaurus. Como vantagem adicional, está o fato de que a Praça de Alimentação está no próprio Shopping. Como se percebe, o ASPEN destina-se a eventos corporativos, eventos sociais e uma ou outra atividade científica local ou regional. O Centro Universitário Maringá, instituição de ensino superior de muito bom nível, possui excelentes instalações para receber determinados eventos (o estabelecimento tem prioridade, é claro, mas é possível, com a aprovação da sua Diretoria, realizar eventos, principalmente os de natureza técnica e científica). Dois magníficos teatros podem ser cogitados para sessões especiais de congressos e outros eventos: o Teatro Calil Haddad e o Teatro Marita. Complementam a boa disponibilidade de espaços em Maringá, hotéis como o Bristol Metrópole Hotel (auditório para 600 pessoas e duas salas para 200 pessoas), o Hotel Elo Maringá (cinco salas para 340 pessoas), o Hotel Deville Maringá, com quatro salas para 500 pessoas e os hotéis Cidade Verde (100 pessoas) e Ingá Apart Hotel (3 salas para 200 pessoas). A cidade de Maringá, além do seu belíssimo design urbano, é uma das mais jovens cidades médias brasileiras e, por isso mesmo, muito bem planejada, lembrando modernas cidades norte-americanas, em razão das largas avenidas e dos seus enormes parques. Excelentes clubes, incluindo um lindíssimo clube de golfe, emprestam um ar de modernidade e sofisticação à cidade. A civilização japonesa, muito bem representada em Maringá, contribui muito para a cultura administrativa e organizacional da cidade, e o Festival Nipo-Brasileiro, que acontece em agosto de cada ano, é a maior expressão da “colônia” nipônica naquela cidade, constituindo evento imperdível e referencial da região, tão completo, a ponto de ser considerado, pelas autoridades japonesas, como um dos melhores do mundo. Acessos - O Norte do Paraná pode ser acessado por ótima malha viária, procedente de São Paulo, Curitiba e outros locais. Tanto Maringá como Londrina, dispõem de modernos aeroportos, com boa freqüência. Contudo, cuidado: dependendo da época, os aeroportos podem fechar, em razão de intempéries, já que não dispõem de aparelhamento adequado para pousos e decolagens sem visibilidade.
30/11/-0001
Fortaleza: beleza, hospitalidade e eventos
Entre praias deslumbrantes, sol durante o ano inteiro e um povo sempre alegre e hospitaleiro, Fortaleza está localizada no meio dos 573 quilômetros de litoral que fazem da costa do Ceará uma das mais belas do país. Conhecida como a capital da Terra da Luz, pois o sol brilha por lá quase três mil horas por ano, a capital cearense oferece, além das praias maravilhosas, cultura e gastronomia regional, que dão um toque especial para a cidade. Se por um lado Fortaleza é muito conhecida por suas belezas naturais, que proporcionaram um fantástico crescimento do turismo de lazer, por outro lado, a cidade também registra um marcante crescimento do turismo de eventos. Hoje, a capital cearense conta com moderna estrutura hoteleira que oferece 23 mil leitos; um muito bem equipado centro de convenções com área de15 mil metros quadrados, além de um moderno aeroporto internacional e toda uma infra-estrutura de transportes e serviços. Seja para aproveitar as praias ou para fazer negócios, em Fortaleza o clima está sempre favorável! Na orla, muito sol e o mar colorido de verde - O dia em Fortaleza começa mais cedo. Aos primeiros raios de sol a cidade, de dois milhões de habitantes, trabalha para oferecer aos visitantes a sua já consagrada hospitalidade. Tudo pode ter início na avenida Beira Mar, onde se localizam os principais hotéis e restaurantes da cidade. Seu calçadão, com quatro quilômetros de extensão, começa na praia de Mucuripe e termina beirando as areias de Iracema. Mucuripe é um reduto de pescadores, que trazem para a praia peixes e mariscos frescos, capturados com a ajuda indispensável de rústicas jangadas feitas com madeira de carnaúba. É ali que se come a melhor peixada de Fortaleza. Caminhando um pouco mais chega-se à praia do Meireles, reduto de artistas mambembes e de uma das mais conhecidas feiras de artesanato da cidade. Na feira pode-se comprar os tradicionais trabalhos em renda de bilro, bordados, crochês, redes, bolsas, calçados, além de frutas e iguarias cearenses. Depois de uma refrescante água-de-coco e mais algumas centenas de passos, surge a praia de Iracema, carinhosamente chamada de “praia dos amores”, cercada de bares e restaurantes por todos os lados. É obrigatória uma passagem pela Ponte dos Ingleses, mais conhecida como Ponte Metálica, de onde se pode observar um magnífico pôr-do-sol e se encantar com a dança dos golfinhos, que aparecem nos finais de tarde e no início das manhãs. Deixando o circuito Beira Mar, logo depois da praia de Mucuripe está a praia do Futuro, a preferida dos jovens, principalmente nos finais de semana. Repleta de quiosques que oferecem coquetéis e pratos típicos da região. Na maré baixa, piscinas naturais se formam na areia e proporcionam um relaxante banho de imersão. Afastando-se da capital o turista pode seguir em direção à Costa do Sol Nascente, ao leste, ou à Costa do Sol Poente, a oeste. Recomendamos os dois destinos. Na Costa do Sol Poente predominam largas faixas de areia separadas por rios, com mar de águas rasas e dunas que descem em direção a lagoas de águas geladas. É ali que se pratica o “esquibunda”. Senta-se num pedaço de madeira que desliza pela areia até atingir a lagoa. O melhor local para a prática desse “esporte”, é a praia de Cumbuco, com suas dunas móveis. E é nessa mesma direção, a 318 quilômetros de Fortaleza, quase na divisa com o Piauí, que se localiza Jericoacoara, carinhosamente chamada pelos nativos de “Jeri” e classificada pelo jornal Washington Post como uma das dez mais lindas praias do mundo. Visitando o lado oposto, a Costa do Sol Nascente, não há quem não se encante com Canoa Quebrada, próxima à divisa do Rio Grande do Norte, também conhecida como uma das mais belas praias do mundo. Cercada de dunas, com pequenos oásis aqui e acolá, um mar calmo e esverdeado, com quedas d’água de pequenos riachos, Canoa é um lugar tranqüilo e repousante, apesar de sua rua principal ter recebido um nome inusitado: Broadway. Nessa via de chão batido, nada de faiscantes luminosos, nada de luxo – apenas lojinhas, pousadas, pequenos restaurantes e bares. Com um detalhe: o ritmo predominante na Broadway cearense é o forró. Praia das Fontes, Morro Branco, Beberibe e Porto das Dunas, onde se localiza o parque aquático Beach Park, também estão entre as paradas obrigatórias. Esbanjando arte e cultura - O Ceará foi o primeiro Estado a abolir oficialmente a escravatura no país, em 1884. E o jangadeiro Chico da Matilde, o “Dragão do Mar”, se destacou por sua recusa em transportar os escravos trazidos pelos navios negreiros. Em sua memória foi batizado o Centro Cultural Dragão do Mar, localizado nas proximidades da Praia de Iracema. Com estilo arquitetônico moderno o centro, inaugurado em 1999, ocupa uma área de 30 mil metros quadrados divididos entre o planetário, oficinas de arte, museus, anfiteatro, cinemas, biblioteca, galerias, restaurantes e hoje se tornou um dos principais cartões-postais do Ceará. É por aí que o visitante deve começar o roteiro cultural. Seguindo em direção ao centro de Fortaleza, pode-se conhecer um pouco da cultura local visitando o Museu do Ceará, instalado na antiga Assembléia Provincial construída entre 1856 e 1871. Mais em frente, a Praça dos Leões, de 1877, com suas estátuas de leões de bronze trazidas de Paris. Atravessando a praça chega-se à igreja do Rosário, erguida por escravos no século 18, e o Palácio da Luz, também do século 18, e que usou mão-de-obra indígena. O Teatro José de Alencar, construído entre 1908 e 1910, em estilo neoclássico e da art nouveau está inserido no roteiro das visitas “obrigatórias”. E para fechar a programação cultural o visitante estará “condenado” a conhecer a antiga Cadeia Pública, que demorou 16 anos para ficar pronta: de 1850 a 1866. Nas celas ocupadas no passado por assassinos, ladrões e vigaristas, funcionam, hoje, 104 lojinhas com o criativo artesanato cearense. No local estão instalados, também, o Museu de Arte e Cultura Popular e o Museu de Minerais. E por falar em artesanato, os artistas locais se destacam no talento manual e transformam materiais rústicos em pequenas obras de arte. Sem dúvida, uma das marcas registradas do Ceará são as garrafinhas com areia colorida desenhadas com paisagens do litoral. Outro ícone são as rendas, de ótima qualidade, para enfeitar a casa e as roupas. Depois de viajar pela história cultural cearense de ontem e de hoje, nada melhor do que “arrastar o pé” em direção à badalação noturna da bela Fortaleza que oferece a cada dia da semana uma festa. E, por incrível que possa parecer, a segunda-feira é a mais badalada da cidade e do mundo, segundo o Guiness Book – o Livro dos Recordes. O forró toca a noite inteira, e todas as noites, na Praia de Iracema. Pra quem não gosta, há opções de dance music e tecno, musica country, e shows de música ao vivo, estes na Praia do Futuro. Mas ninguém vai escapar do som do forró regional e do arrasta-pé, marcas registradas do alegre e receptivo povo da cidade. Fortaleza, além de ser um excelente destino para relaxar nas praias, fazer compras e conhecer toda arte e cultura local, também é conhecida por sua gastronomia regional farta de pratos deliciosos. A lagosta, o camarão servido de formas variadas e a peixada cearense são especialidades típicas de dar água na boca. As porções, sempre generosas, satisfazem todos os gostos e bolsos. Para matar a sede, a água-de-coco, os sucos e sorvetes feitos com frutas tropicais são ótimas opções. Mas a gastronomia em Fortaleza também oferece espaços para as cozinhas internacionais como a francesa, a italiana, a japonesa, a chinesa, a árabe,a alemã e a espanhola. A maioria dos restaurantes está localizada na região da Avenida Beira Mar, Praia de Iracema, Morro Santa Terezinha e nos bairros da Aldeota, Varjota e Edson Queiroz. Turismo de negócios em plena expansão - Mas não é só de sol, belas praias e paisagens que vive Fortaleza. Os congressos, as feiras e eventos em geral também movimentam o dia-a-dia da cidade durante o ano inteiro. Muitos fatores credenciam a capital cearense como um destino importante de turismo de eventos, já que oferece qualidade na infra-estrutura de hotéis, restaurantes, transportes, serviços e nos recursos humanos disponíveis durante os congressos e eventos. Somados a todos esse fatores, o volume de investimentos em infra-estrutura básica para o turismo prospera em ritmo acelerado. Hoje a rede hoteleira de Fortaleza é considerada uma das melhores do país. Só nos últimos dois anos a região hoteleira teve um crescimento de 25% e atualmente oferece 23 mil leitos — de hotéis de alto luxo, flats, resorts a pousadas e hotéis mais simples. Hotéis e resorts como Beach Park, Barceló Oásis, Vila Galé, Caesar Park, Othon, Marina Park, entre outros, dispõem de bons espaços e equipamentos para realização de congressos, seminários, treinamento, etc., além de estrutura de lazer e serviços.“Fortaleza é um excelente destino para turismo de eventos porque a cidade consegue adequar as belezas naturais do Ceará com uma completa infra-estrutura para a realização de todo tipo de evento”, comenta Gilberto Garcia, gerente comercial do hotel Barceló Oásis Praia das Fontes. De acordo com os dados da Secretaria de Turismo do Estado do Ceará (Setur), em 2000 cerca de 1,5 milhão de turistas visitaram o Estado e nos últimos cinco anos, a demanda turística cresceu 14,6% ao ano. Além disso, nesse mesmo período a presença de turistas estrangeiros subiu 26,1%, facilitado pela proximidade com os mercados externos, sobretudo Europa e Estados Unidos, e a inauguração em 1998 do moderno Aeroporto Internacional Pinto Martins. Com esse ritmo, a Setur prevê que em 2004 o Estado receba 2,5 milhões de turistas, entre brasileiros e estrangeiros. Para acompanhar esse ritmo de desenvolvimento, o governo estadual se prepara para incrementar os espaços para grandes feiras e eventos em Fortaleza com o projeto de implantação do novo Centro Multifuncional de Eventos e Feiras do Ceará, que reunirá espaços para feiras, exposições, congressos, auditórios e restaurantes, além de um parque e uma marina. Hoje, o maior espaço na cidade é o Centro de Convenções Edson Queiroz, com 15 mil metros quadrados que, mesmo depois de passar por obras de reforma e ampliação, já ficou pequeno para abrigar os grandes eventos, principalmente feiras, que a cidade deseja receber. Os novos investimentos e o número crescente de eventos que estão desembarcando no Ceará reforçam a importância do trabalho do Fortaleza Convention & Visitors Bureau em promover e divulgar o potencial do Estado para a realização de eventos. “O novo Centro Multifuncional de Feiras e Convenções tem um projeto belíssimo e sua construção é essencial para que a cidade possa receber grandes eventos. Durante a etapa de desenvolvimento do projeto a ABEOC foi consultada e demos sugestões para que o projeto atendesse às necessidades das empresas organizadoras de eventos. Agora a expectativa é saber exatamente quando serão iniciadas as obras”–, explica Zenilde Matoso, presidente regional da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC/Ceará) e diretora-secretária do Fortaleza Convention & Visitors Bureau. O Centro Multifuncional de Feiras e Convenções do Ceará vai exigir investimentos da ordem de R.$ 178 milhões, além dos recursos destinados à aquisição da área. Assim que forem aprovados, a estimativa é que o prazo para o desenvolvimento do projeto, obras e instalações seja de dois anos, com previsão de início das operações no terceiro ano. Em relação aos turistas que demandam eventos pode-se estimar que o novo Centro Multifuncional de Feiras e Convenções passará a incorporar 20% da demanda de turismo de eventos na cidade a partir do ano que entrar em funcionamento. Portão de entrada para o Ceará - A inauguração do novo terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Pinto Martins em fevereiro de 1998 ajudou o Ceará a consolidar sua posição como destino turístico, oferecendo estrutura aeroportuária de alta tecnologia para receber vôos e passageiros do mundo inteiro. Atualmente o aeroporto de Fortaleza é o sétimo no país em movimento de passageiros e o terceiro mais movimentado do Nordeste. Centro de Convenções Edson Queiroz O Centro de Convenções Edson Queiroz está localizado estrategicamente em Fortaleza a apenas 15 minutos dos pontos mais importantes da cidade, como o Aeroporto Internacional Pinto Martins, região hoteleira e centros comerciais. Preparado para acolher em suas dependências congressos, feiras, exposições, convenções, eventos culturais, empresariais e técnicos e científicos, o Edson Queiroz dispõe de 15.244 metros quadrados de área total construída dividida em oito blocos conectados e cinco entradas independentes, possibilitando a realização simultânea e sem interferência de até cinco eventos. Dessa área total, 8.760 metros quadrados são destinados para mostras, 1.190 metros quadrados de auditório, sendo o maior deles com capacidade para mil pessoas, além de 1.050 metros quadrados para reuniões, totalizando 24 salas. Segundo Ana Luiza Franco Costa Lima, diretora geral do Centro de Convenções Edson Queiroz, “em 1999 o Centro foi reformado e ampliado. Tivemos melhorias técnicas, como elevadores para deficientes, 12 mil metros quadrados de área climatizada, sonorização de todos os pavilhões, circuito interno de TV e ainda criamos os blocos F e G, que dão as dimensões atuais. No momento em que se climatizou mais da metade da nossa área, o Edson Queiroz passou a ter um outro perfil e a atender eventos maiores, com muito mais conforto aos visitantes”. Entre os eventos internacionais ali já realizados estão a 43ª Assembléia Anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que aconteceu em março e que mereceu uma preparação especial. Durante uma semana, o Centro de Convenções recebeu ministros da área econômica de 52 países, representantes de 168 instituições financeiras internacionais, 68 grandes bancos, além de seguradoras, holdings, organizações não governamentais e 650 jornalistas de todo o mundo, que participaram de seminários, painéis e workshops para discutir assuntos econômicos, sociais e ambientais de interesse dos países-membros do BID, bem como uma série de objetivos para a ação do banco em apoio ao desenvolvimento econômico e social de várias regiões do mundo. Assim, Fortaleza vai se consolidando como importante rota dos grandes eventos. Neste ano foi sede do Encontro Luso-Brasileiro da Melhor Idade e receberá o 87.º Congresso Universal de Esperanto, a I Feira Nacional da Indústria Fonográfica e a 43ª Convenção Nacional do Comércio Lojista, entre outros eventos.
30/11/-0001
Costa da Mata Atlantica: ancoradouro do turismo de eventos
Uma maravilhosa queima de fogos na Praia da Enseada, no Guarujá, foi o ponto alto da comemoração de duas importantes conquistas do turismo do litoral paulista: a união de nove municípios para produzir um showcase – Guia para Profissional de Eventos – e o lançamento oficial da nova logomarca e denominação turística da região, Costa da Mata Atlântica, até então conhecida como Baixada Santista. A união representa a vontade de a região resgatar todo o seu potencial turístico de forma organizada e profissional, para apresentar-se ao Brasil e ao mundo como um destino atraente e preparado para receber turistas de eventos, negócios e lazer. Os nove municípios que integram o projeto – Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente – ocupam 161 km do litoral sul do Estado de São Paulo. Na alta temporada, suas praias recebem mais de 2,6 milhões de turistas, que chegam pela moderna estrada que liga São Paulo a Santos, ou pelo Porto de Santos (o maior da América Latina, com movimento que abrange 49% de toda a produção nacional) ou ainda por São Vicente, um dos municípios históricos da região e onde se estabeleceu o primeiro núcleo populacional do Brasil. Criação do SRC&VB, primeiro e importânte passo - “Não pouparemos esforços para fazer desta região um dos principais pólos turísticos de nosso país. Criamos uma magnífica embalagem, a Costa da Mata Atlântica, para apresentar um extraordinário produto, a nossa região metropolitana, e a partir daí, tenho certeza, iremos alcançar a tão desejada liberdade econômica para a nossa região”, declara Walter Geraigire, presidente do conselho diretor do Santos e Região Convention & Visitors Bureaux. “Agora precisamos identificar as necessidades do público-alvo para que possamos aprimorar as estratégias de atuação”, conclui. Mas não basta uma festa e simplesmente mudar um nome. Para que todo esse trabalho de mudança começasse a caminhar, era fundamental que tudo fosse realizado de forma profissional, organizada e com objetivos claros. A criação do Santos e Região Convention & Visitors Bureaux (SRC&VB), em abril de 2002, foi, sem dúvida, o primeiro e mais importante passo para que essas mudanças ocorressem. Com apenas um ano de atuação, o SRC&VB conseguiu reunir numa só entidade as nove prefeituras da região, órgãos públicos, diversas empresas do setor privado, e produzir a mais importante ferramenta de divulgação da região para os profissionais de eventos e turismo, o Showcase Santos e Região – Guia do Profissional de Eventos. Para Eduardo Sanovicz, presidente da Embratur, “este é o caminho correto. O showcase é uma ferramenta que veio qualificar e potencializar a atividade turística de toda a região. Sem dúvida, a criação do SRC&VB constitui o fato mais importante em benefício do turismo regional, desde a limpeza das praias santistas”. Sanovicz nasceu em São Paulo, mas viveu e trabalhou durante muitos anos em Santos e se diz santista de coração por causa do time de futebol e da paixão que tem pela cidade. “Fui um dos indutores da escolha da marca Costa da Mata Atlântica. Sempre falei aos colegas do turismo local da necessidade de um conjunto de ações de promoção e marketing da nossa região. Vejo tudo isso com bons olhos’’, acrescenta o presidente da Embratur. Com 180 páginas e muito bem produzido, o showcase traz informações sobre toda a infra-estrutura para eventos, lazer e negócios disponíveis em Santos, São Vicente, Cubatão, Praia Grande, Guarujá, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe e Bertioga, e passa a ser o principal instrumento para a captação de eventos e divulgação do destino no Brasil e no exterior. Crescer, crescer, crescer - Acesso fácil, ampla infra-estrutura hoteleira, bons espaços para eventos, serviços e atendimento de qualidade, opções de lazer, segurança e limpeza são alguns, entre outros, dos pontos básicos que credenciam uma região como bom destino para se visitar e realizar eventos. Ao longo dos últimos quinze anos, a região da Costa da Mata Atlântica tem mostrado realizações concretas nessas áreas. A limpeza e despoluição das praias de Santos, o tratamento de esgotos e a reurbanização do calçadão na Praia Grande aumentaram o padrão da qualidade de vida local. Investimentos no patrimônio histórico (restauração de prédios e monumentos públicos e a criação de roteiros históricos e culturais) e na infra-estrutura turística, como a inauguração do Mendes Convention Center, em Santos, e do Centro de Exposições do Casa Grande Hotel, no Guarujá, além da manutenção dos jardins de Santos – reconhecidos pelo Guiness Book, o livro dos recordes, como o maior jardim de orla do mundo –, a modernização da rede hoteleira e a construção da nova pista da rodovia dos Imigrantes, mostram que a região está pronta para ampliar seus objetivos na área de eventos. Seguindo a máxima do turismo que diz “uma cidade é boa para o turista se ela é boa para as pessoas que nela vivem”, Eduardo Conde Bandeira, secretário de turismo de Santos, com muita razão, diz que “Santos é uma coisa muito séria: você conhece, se apaixona e não quer mais ir embora. É uma cidade onde as pessoas são amistosas, gostam do local onde vivem e recebem bem o turista. O santista está sempre de bem com a vida porque vive aqui!”, conclui Bandeira. Embora muito já tenha sido feito em benefício da região, a lista de projetos que estão em andamento também é grande e animadora, como, por exemplo, a construção do Museu Pelé, que se transformará numa atração para turistas do mundo todo. Outro projeto, este para o segundo semestre deste ano, é o World Trade Center que, por enquanto, tem apenas um complexo em São Paulo. Serão investidos R$ 5 milhões para a implantação de um WTC Club em Santos, no edifício da antiga Bolsa do Café, no centro da cidade. O grupo Accor, até o ano que vem, inaugura o mais sofisticado Íbis da rede no país, com 160 apartamentos, além do Pathernon com 260 unidades. A cidade, que atualmente conta com 3.200 leitos, terá, em 2004, cerca de mais mil leitos, incluindo outros projetos que já estão em andamento. Em São Vicente, um novo Pavilhão de Exposições deverá ser inaugurado ainda neste ano. E a cidade já tem o Parque Cultural da Vila de São Vicente, uma réplica da Aldeia de Carapicuíba, da época do Brasil Colônia – projeto que recebeu o Jacaré de Ouro do Prêmio Caio 2002, na categoria Espaços Culturais para Eventos. Quanto a transporte aéreo, a Costa da Mata Atlântica, que já possui o aeroporto de Itanhaém para operação de aviões menores, tem na Base Aérea do Guarujá a perspectiva de abertura para vôos comerciais. A expectativa é que em dois anos o novo aeroporto já esteja em operação. Mas se viver bem e receber mais turistas são as palavras de ordem hoje na Costa da Mata Atlântica, Beto Mansur, prefeito de Santos, adverte que para incrementar ainda mais o turismo da região é necessária a elaboração de um grande plano diretor para os nove municípios. “É importante que continuemos unidos, como estamos hoje, para que também possamos buscar mais qualidade em prestação de serviços e atendimento. Um novo plano diretor para toda nossa região é importante para conseguirmos buscar investimentos para a construção de novos empreendimentos, principalmente no setor hoteleiro, de bares e restaurantes, que a região tanto precisa para poder receber mais visitantes”, conclui. Espaços para eventos no litoral - Os principais espaços para eventos na Costa da Mata Atlântica estão localizados nas cidades de Santos, Guarujá e São Vicente. Em Santos, a terceira cidade no ranking de turismo de eventos no Estado de São Paulo, atrás somente da capital paulista e de Campinas, foi dado outro importante passo com a inauguração, em 2001, de um dos mais modernos espaços para eventos no país, o Mendes Convention Center, que colocou a cidade definitivamente no roteiro dos principais destinos para eventos. Além do Mendes Convention, outros espaços já existiam na cidade, como o Sesc Santos, os hotéis Parque Balneário e Mendes Plaza, o Teatro Municipal e auditórios de sindicatos, que complementam a infra-estrutura variada para realização de eventos na cidade. “Antes, poucos eventos eram realizados em Santos”. No Guarujá, na praia da Enseada, dois empreendimentos se destacam. O tradicional Casa Grande Hotel Resort & Spa ampliou sua área para eventos com a inauguração, no ano passado, de um luxuoso Centro de Exposições ao lado do hotel. Outro empreendimento é a Ilha de Negócio, inaugurada há três anos, que segue um novo conceito de espaços para eventos empresariais. Em São Vicente, está sendo erguido o Pavilhão de Exposições, em fase final de construção. O novo espaço terá uma área com mais de 8 mil m², pé direito de 10 metros de altura, salas com 440 m² e 1.500 vagas de estacionamento. Um novo rumo para os eventos - A completa infra-estrutura para realização de eventos, diversificadas opções de lazer e uma enorme perspectiva de crescimento com o turismo nos próximos anos, têm colaborado bastante para que muitos eventos desembarquem na Costa da Mata Atlântica. A feira da Aviestur (Associação das Agências de Viagens Independentes do Interior de São Paulo) é um bom exemplo. Esse tradicional e movimentado evento, que recentemente realizou sua 21ª edição, durante muitos anos foi organizado em cidades do interior do Estado. Com a inauguração do Mendes Convention Center, o apoio da prefeitura de Santos e o desejo da própria entidade em ampliar o evento, realizado duas vezes por ano, a Aviestur – Feira e Bolsa de Negócios de Turismo passou a ser realizada na principal cidade do litoral paulista. A primeira, em abril de 2002, foi um sucesso, atingindo público recorde. No segundo semestre do mesmo ano, o evento cresceu mais ainda e o destino Santos venceu a disputa para sediar as duas edições da feira em 2003. Outra forte vocação de Santos está na área de eventos esportivos. Hoje também conhecida como a capital nacional do triatlo, faz parte da rota dos principais torneios internacionais dessa modalidade esportiva, além de outros que completam o grande calendário de competições disputadas na cidade. O potencial da Costa da Mata Atlântica para os mais variados segmentos da área de eventos foi determinante para que o SRC&VB iniciasse uma pesquisa para levantar o perfil turístico do mercado de eventos da região. O objetivo final da iniciativa, que conta com apoio do setor público e privado, é dar suporte técnico e científico tanto para a captação e realização de eventos, como para o incremento do número de turistas nacionais e internacionais, trazendo, acima de tudo, um substancial aumento na geração de receitas e empregos em toda a região. ESPAÇOS Mendes Convention Center Localizado na área da antiga Estação Ferroviária de Santos, o Mendes Convention Center foi construído pelo empresário português Armênio Mendes, radicado há muitos anos na cidade. O principal espaço para eventos em Santos e região tem 22 mil m² de área construída em terreno de 40 mil m². Dividido em três pavimentos, tem no térreo o Pavilhão de Exposições, com área de 10 mil m², praça de alimentação com restaurante, além de um piano-bar, danceteria com capacidade para três mil pessoas e uma choperia para 200 pessoas. No primeiro piso ficam as salas de apoio para 200 pessoas e o setor administrativo, ligados por duas escadas rolantes e elevadores. A área de convenções, no segundo piso, possui sistema modular que permite a distribuição do espaço entre seis e dez salas, com capacidade para acomodar até 4.200 pessoas em formato de auditório, além de 1,5 mil m² de área no foyer. O Mendes Convention Center possui estacionamento com 900 vagas e heliponto que permite a movimentação simultânea de três helicópteros. De acordo com o superintendente Vitor Rodrigues, “nosso foco de trabalho são eventos de negócios, que também incluem os congressos médicos, treinamentos e as feiras especializadas. Na captação nós trabalhamos de forma independente. O SRC&VB tem as suas prioridades e metas e o Mendes Convention, outras, embora, em algumas situações, tenhamos objetivos semelhantes. Nossa força de vendas está centrada em São Paulo e Santos, praças em que nossas equipes buscam os eventos de acordo com os setores que queremos atingir”. Rodrigues acrescenta que o Grupo Mendes também administra, na cidade de Santos, empreendimentos de outros setores de atividades que podem auxiliar muito os eventos, facilitando e viabilizando a captação. São dois shopping centers, três hotéis, flat, motel, boliche, bingo, uma estação de rádio e uma agência de turismo. “O organizador tem mais itens para enriquecer o seu evento e com um custo menor, já que está negociando com várias atividades compostas dentro do mesmo grupo, o que facilita as negociações e a redução de custos”, conclui Rodrigues. Av. Francisco Glicério, 200 – Santos – Tel: 3228-7500/ 0800-771-7501 mcc@grupomendes.com.br – www.mendesconventioncenter.com.br Ilha de Negócios Seguindo um novo conceito de espaços para eventos empresariais, a Ilha de Negócio, localizada a três quadras da praia da Enseada, no Guarujá, oferece privacidade para eventos fechados, uma vez que o espaço não realiza eventos simultâneos. “Somos uma boa alternativa na Costa da Mata Atlântica porque nos diferenciamos da rede hoteleira tradicional agregando tudo no mesmo local”, destaca Guilherme Pinheiro, executivo da Ilha de Negócio. Construído numa área de área de 6 mil m², o espaço conta com duas salas, uma para até 80 pessoas e outra para 45, além de três salas de apoio com capacidade para 10 pessoas cada, todas com pontos para laptop e climatizadas. O local também dispõe de uma ilha de trabalho com todos os equipamentos para secretariar o evento. Além das salas para realização de treinamentos, reuniões de diretoria, imersão, entre outros formatos de eventos, a Ilha de Negócio oferece 32 apartamentos duplos, cozinha industrial, estacionamento com 30 vagas e toda infra-estrutura de lazer como piscina, quiosque, sauna, sala de ginástica, quadra poliesportiva e de tênis. Guilherme Pinheiro destaca que “empresas, principalmente de São Paulo, gostam e realizam muitos eventos no Guarujá em função da proximidade da cidade com a capital, o que ficou ainda mais facilitado com a inauguração da nova rodovia dos Imigrantes. Às vezes é muito mais fácil você fazer um evento no Guarujá, Santos e região do que cruzar a cidade de São Paulo e ir para a zona norte”. Rua Hemenegildo Azevedo, 56 – Praia da Enseada – Guarujá - (11) 3064-4564 – www.ilhadenegocio.com.br – ilhadenegocio@ilhadenegocio.com.br CENTRO DE EXPOSIÇÕES Casa Grande Hotel Unindo a beleza natural paradisíaca e a excelente infra-estrutura para hospedagem e eventos, o Casa Grande Hotel, que entrou para o seleto rol do The Leading Hotels of The World, oferece desde o ano passado o Centro de Exposições, espaço com ar-condicionado central e unido ao hotel por um belo boulevard. Os eventos não são novidade no Casa Grande, que já possuía um centro de convenções com 11 salões moduláveis adaptados aos mais variados tipos de eventos, além de contar com o luxo da vista para o mar. De acordo com Jo Achim Liebert, diretor comercial, “com os 4 mil m² do novo Centro de Exposições, estamos com praticamente 7 mil m² que podem ser utilizados para eventos. É uma capacidade fantástica e uma enorme diversidade de salas. O conjunto, a composição da construção, localizada de frente para o mar, a capacidade, o excelente acabamento e o fato de ser agregado a um hotel 5 estrelas, são fatores muito favoráveis”, explica. O hotel possui 265 apartamentos, além de suítes e chalés, e oferece uma completa estrutura de esportes: três quadras de tênis, sala de ginástica, playground, quadra de futebol, sauna, e também permite o acesso a um clube privado de golfe. A cozinha do Casa Grande Hotel é de categoria internacional. Av. Miguel Estéfano, 1.001 – Enseada - Guarujá - SP Tel./fax: (13) 3389-4000 Pavilhão de Exposições e Centro de Convenções de São Vicente Em fase final de construção, o empreendimento promete se tornar um importante atrativo do turismo de eventos da Costa da Mata Atlântica. A obra faz parte do Complexo Guamium, integrando um terminal rodoviário e um hotel-escola, com área total de 77 mil m². O espaço para exposições, feiras e congressos terá 9,5 mil m² e contará com praça de alimentação e um estacionamento para 1.500 carros. O Centro de Convenções, com 2 mil m², acomodará até mil pessoas sentadas. Adotando o conceito de flexibilidade, também poderá ser dividido em três módulos, permitindo a realização de mais de um evento ao mesmo tempo. Na forma de um grande galpão, o centro terá vedação em alvenaria, cobertura metálica e telhas com proteção térmica, além de piso para suportar grande volume de cargas, de até 1.500 quilos por metro quadrado. De frente para o Mar Pequeno, o Complexo Guamium será o único no Estado com condições de receber exposições náuticas.
30/11/-0001
Belo Horizonte & Ouro Preto
O sol começa a se esconder entre as montanhas que cercam a cidade. Vista do alto da Praça do Papa, a capital mineira ganha tons alaranjados ao entardecer. Na lagoa da Pampulha, seu expressivo conjunto arquitetônico desenha traços sinuosos que se refletem na água. A primeira cidade planejada do país nasceu há 105 anos sob o sol de ouro das Minas Gerais. Tornou-se capital do Estado no século XIX, ocupando o lugar da histórica Ouro Preto. Ao longo de mais de um século, beagá, ou belô, como é carinhosamente chamada, cresceu e se desenvolveu num ritmo incessante, transformando-se numa das principais capitais brasileiras e, destacando-se, ainda, como importante destino para eventos. Belo Horizonte é uma verdadeira caixa de ressonância do jeitinho mineiro de ser, de falar, de cultuar suas tradições históricas, de exaltar sua rica cultura, sua modernidade e, claro, sua invejável culinária. Ao chegar a esta capital, deixe-se envolver por uma boa conversa mineira - os mineiros se orgulham, com razão, de conhecer muito a sua história. O papo. pode ir da cultura ao futebol - qual é o melhor: Atlético ou Cruzeiro? Só pergunte se tiver muito tempo para papear. Caminhando pela charmosa Praça da Liberdade, a conversa sugere um olhar sobre o conjunto paisagístico e arquitetônico local. Do banco da praça à mesa do bar, que são muitos e servem uma infinidade de marcas de cachaça, ficamos sabendo mais sobre a Pampulha, com seus museus e parques, sua moderna arquitetura, renomados poetas, escritores, músicos e artistas mineiros. E, nos últimos tempos, um novo tema entusiasma os mineiros: a indústria de eventos. A "cidade dos serviços" se prepara para receber mais eventos - Com 82% de sua atividade econômica baseada no setor de serviços, e reconhecidamente um pólo econômico que não depende apenas de grandes indústrias, os setores terciários, como o turismo e eventos, se destacam no cenário da economia local. "Belo Horizonte tem um enorme potencial para se transformar na grande capital de eventos e negócios da América do Sul", ressaltou o governador, Aécio Neves, ao anunciar o reinicio da ampliação do Expominas. A obra faz parte do projeto do governo estadual de investir na infra-estrutura para transformar BH em referência para o turismo de eventos e negócios no país. A iniciativa do governo inclui também a ampliação e modernização do aeroporto da Pampulha, e a duplicação da Avenida Antônio Carlos, que liga o aeroporto ao centro. Como uma cidade que preserva e promove a cultura, a capital mineira já é destino tradicional de eventos importantes como o FIT-BH (Festival Internacional de Teatro), Encontro Internacional de Literatura, Festival de Teatro de Bonecos, FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos), FID (Fórum Internacional de Dança) e Festival do Circo. Outros eventos, feiras e congressos, também se destacam no seu calendário, entre os quais o Expo Cachaça, Boa Mesa BH, Casa Cor BH, Gestão do Futuro, MultiMinas, Mec Minas, BH Shoes, Circuito BH de Moda, Super Minas, Mostra Têxtil Brasil, Feira dos Imigrantes, Carna Belô, Arraiá do Merit e o Fórum Social Brasileiro, que acontecerá pela primeira vez no país, no mês de novembro. Para o secretário de Estado de Turismo, Aracely de Paula, "o nosso objetivo é fomentar o turismo de eventos em Minas e capacitar o estado para concorrer dentro do mercado nacional e internacional de feiras e congressos". Para tanto, ressalta, "a secretaria está trabalhando no Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Turismo de Minas Gerais (PEDTEMG), financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), visando elaborar um plano de acordo com as ações traçadas pela política nacional de turismo e pelo governo estadual". Já o presidente da Belotur, Manoel Costa, destaca que a missão do órgão municipal é atuar como indutor do desenvolvimento econômico, promovendo a cidade como destino de turismo de eventos, negócios e lazer. "Mas a ação da empresa vai mais além. A Belotur está presente em todos os acontecimentos da cidade, interagindo com os organizadores das atividades turísticas e culturais, visando o bem estar do turista e das pessoas que vivem em Belo Horizonte". Muitas qualidades e uma carência - A lista de espaços para eventos em Belo Horizonte é grande e variada. Já são mais de 60, entre centros públicos e privados, dentro e fora de hotéis, No entanto, em sua maioria, são espaços de pequeno e médio porte. Entre os mais tradicionais (veja matéria Espaços Tradicionais) estão o Minascentro, Serraria Souza Pinto, Casa do Conde, Casa do Baile, Expominas, Palácio das Artes e o Sesc Venda Nova. Em hotéis, destacam-se a novíssima área de eventos do Mercure, as inúmeras salas do Othon Palace, os auditórios do Grandarrell, Ouro Minas, Merit, Liberty e San Diego. Já, entre os centros de convenções mais novos estão, o Marista Hall, Luminis, Séculus, Niágara, Centro de Convenções LifeCenter e o Campus Aloysio Faria da Fundação Dom Cabral. (veja matéria Novidades). Mesmo com essa respeitável infra-estrutura, a cidade ainda carece de um grande e moderno centro de feiras e convenções, com um auditório para mais de cinco mil pessoas que possibilite a realização de feiras e congressos nacionais e internacionais de grande porte. De acordo com o I Dimensionamento Econômico da Industria de Eventos, publicado em 2002 pelo Sebrae Nacional em parceria com a Federação Brasileira dos Conventions & Visitors Bureau, no ano de 2001 aconteceram em Belo Horizonte 3.750 eventos, com a participação de 4,18 milhões de pessoas, das quais 1,3 milhão, turistas. Esse movimento representou naquele ano 6,7% do PIB (Produto Interno Bruto) da capital mineira. Outro pesquisa mostra que entre 1997 e 2001, o número de turistas que visitaram a cidade aumentou de 2,6 milhões para 3,8 milhões e em 2002 chegou a quase 4 milhões. São dados otimistas, mas não refletem o atual cenário do mercado de eventos da cidade. "Temos um enorme potencial de crescimento. Para tanto, a cidade necessita da construção de um grande espaço para eventos que seja compatível com o tamanho da economia do Estado", enfatiza Nelson de Souza Cunha, presidente da Abeoc-/MG. Obras de ampliação em vista - A carência de uma área para realização de eventos de grande porte na cidade é evidente. Mesmo com a inauguração de novos espaços e perspectivas de construção de outros, Belo Horizonte aguardava uma boa notícia para aquecer o setor. Quando o governador Aécio Neves autorizou a conclusão das obras do Expominas, o trade local teve o que comemorar. Afinal, o espaço ganhará dois novos pavilhões que, interligados ao já existente, ampliarão sua capacidade para até 45 mil pessoas, com uma área total de 27 mil m². Junto aos três pavilhões, também será implantada a infra-estrutura complementar para expositores e visitantes, seguindo as normas internacionais para a realização de grandes eventos. Ao término das obras, a área construída terá 59 mil m², mais de quatro vezes a atual. O novo espaço também contará com estrutura de apoio logístico, incluindo anfiteatro e praça de alimentação, e deverá ser entregue ao final de 2004. Posse conjunta para unir o trade - Dentro do mais moderno estilo de união e espírito de coletividade, três importantes entidades ligadas ao turismo de eventos de Belo Horizonte, realizaram em julho a tríplice posse de suas novas diretorias estaduais. A Abeoc (Associação Brasileira de Organizadores de Eventos), Sindiprom (Sindicato de Empresas de Promoção, Organização, Montagem de Feiras, Congressos e Eventos) e Abih (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) promoveram o evento conjunto no Minascentro. Nelson de Souza Cunha da Abeoc/MG, Sarah Vaintraub do Sindiprom/MG e José Aparecido Ribeiro da Abih/MG, assumiram as presidências das entidades com um discurso de posse que teve uma única temática: a união para o crescimento do mercado de eventos na cidade. "Precisamos agir coletivamente para mudar atual cenário da hotelaria em Belo Horizonte. No dia em que todas as entidades conseguirem se reunir e sentar para conversar, o turismo da cidade já começará a se beneficiar como um todo. Precisamos, juntos, traçar um projeto para atrair mais eventos e turistas para a cidade", destaca José Aparecido Ribeiro, presidente da Abih/MG. "Só os eventos podem ajudar a incrementar o fluxo de turistas em Belo Horizonte num curto espaço de tempo", complementa. Por sua vez, a nova presidente do Sindiprom/MG, Sarah Vaintraub, enfatiza que a entidade vai procurar atuar mais próxima das outras entidades e órgãos governamentais. "Queremos promover Minas Gerais como um destino forte e competitivo para realização de eventos. Também queremos debater a questão tributária para o desenvolvimento do segmento de eventos no Estado", conclui. Abeoc/MG, a segunda maior do país - Principal entidade que representa os organizadores de eventos no Estado, a Abeoc/MG, foi oficialmente criada em maio deste ano, e nasceu como a segunda maior em número de associados do país. Contando com mais de 60 associadas, que incluem empresas organizadoras, promotoras e montadoras de eventos, centros de convenções, espaços para eventos, hotéis, restaurantes e empresas de segurança e limpeza, a entidade tem planos para crescer ainda mais nos próximos anos. "Estabelecemos uma diretriz de trabalho para o segundo semestre e vamos desenvolver um planejamento estratégico para a Abeoc/MG, até 2005. É um projeto ambicioso que será realizado por todos os diretores. Queremos fortalecer a idéia de que sócio deve trabalhar, contratar, indicar, privilegiar e prestigiar a entidade. Essa é uma das questões que não vamos abrir mão", enfatiza Nelson de Souza Cunha, presidente da Abeoc/MG. Ele ressalta que a entidade também vai trabalhar bastante no treinamento, capacitação e desenvolvimento dos profissionais ligados ao turismo de eventos, em sintonia com o Senac-MG. Outra ação será o levantamento de números confiáveis do segmento de eventos na cidade, para confirmar sua representatividade na economia local. Com seu know-how e experiência, Sebastião Antônio dos Reis e Silva, diretor regional do Senac/MG, e diretor empresarial e institucional da Abeoc/MG, diz que é necessário desenvolver e trabalhar as competências dos empresários associados em seus ramos de atuação, para que o trabalho esteja focado na cadeia produtiva. "Na área de eventos, o organizador é o ponto de convergência de todas os outros setores dessa cadeia", ressalta. "Hoje o Senac/MG tem cursos de capacitação para o turismo, também voltados especificamente para a área de eventos. Recentemente formamos a primeira turma de organizadores de eventos", finaliza. Hotelaria pronta para receber - Mais de nove mil unidades habitacionais e 17 mil leitos. São hotéis novos, tradicionais, ainda em construção e alguns com toda infra-estrutura para realização de eventos. A hotelaria de Belo Horizonte é grande, moderna e dotada de um enorme potencial para ser usufruído mas, como em grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, a demanda de hóspedes não acompanhou o seu ritmo de modernização e oferta crescente de leitos. Nos últimos anos, seguindo a tendência de equipar hotéis com toda infra-estrutura para realização de eventos, a capital mineira ganhou novos espaços dentro da hotelaria, que também reformou e modernizou os espaços existentes. Em busca de mais hóspedes e, principalmente, de turistas de eventos e negócios, num curto espaço de tempo, o novo presidente e a diretoria da Abih/MG, estão desenvolvendo novos planos de ação. Tendo por base exemplos de sucesso, como o da Bahia, a entidade vai seguir princípios básicos de administração que incluem pesquisa, planejamento, investimento e marketing, para um crescimento forte e organizado do setor. "Não foi o que assistimos por aqui nos últimos anos. Para seguir o exemplo baiano, devemos encarar o ofício com profissionalismo, ou contratar gente que entenda do assunto para nos mostrar os caminhos", ressalta José Aparecido Ribeiro, novo presidente da Abih/MG. Convicto de seu potencial, infra-estrutura e qualidade de serviços para receber ainda mais turistas de eventos, negócios e lazer, o trade de Belo Horizonte vive um momento especial e de transição no que se refere a ações estratégicas para evoluir com o turismo nos próximos anos. História, charme e eventos em Ouro Preto* - Encravada entre as montanhas de Minas Gerais, e distante 90 km de Belo Horizonte, a cidade histórica de Ouro Preto possui o maior conjunto homogêneo de arquitetura barroca do Brasil. No auge do ciclo do ouro, foi construída por artistas e escravos, que dos modelos europeus criaram um estilo nacional. Em 1933, foi considerada "Monumento Nacional" e, em 1980, foi declarada, pela Unesco, Patrimônio Cultural da Humanidade. Famosa pela riqueza de suas construções, verdadeiras obras de arte em dezenas de igrejas, praças, museus e ruas, que formam o cenário de importantes passagens da história do Brasil, Ouro Preto está se firmando, também, como uma das cidades mineiras mais atraentes para turismo de eventos. Por já receber turistas interessados em arte, cultura, história e patrimônio, a cidade é um destino consolidado por toda sua infra-estrutura de hotéis, pousadas, bares e restaurantes. 305 anos de história e pronta para os eventos - O Festival de Inverno de Ouro Preto, o Festival de Jazz, e o Projeto Cinema BR, já são bem conhecidos no calendário fixo da cidade. Com a implementação de dois grandes centros para realização de eventos e reuniões, o Centro de Artes e Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e a Estalagem das Minas Gerais. A cidade hoje tem seu foco todo dirigido na captação de eventos culturais, empresariais, técnico-científicos e universitários. "O turismo é a resposta econômica da cultura", destaca Fátima Tropia, diretora do Parque Metalúgico. A criação de uma comissão de turismo da cidade, a realização de Fóruns de Turismo e Desenvolvimento, e a participação da comunidade local para o incremento da infra-estrutura de serviços são alguns dos pontos que estão ajudando Ouro Preto a concorrer com outros importantes destinos. Aliar eventos e negócios, cultura e história é um dos pontos fortes da cidade. A infra-estrutura da cidade, que permite a realização de diversos tipos de eventos unida ao seu patrimônio transformam Ouro Preto no mais novo e atraente destino para o turismo de eventos no país. Estrada Real de Minas Gerais - O caminho que ligava o circuito do ouro aos portos do litoral brasileiro, faz parte de um dos mais importantes projetos turísticos do Estado. A Estrada Real de Minas, aberta no final do século XVII, pelo sertanista Rodrigues, filho de Fernão Dias, impulsionou o surgimento de pequenos povoados que cresceram às margens da estrada. Todos eles cresceram ao lado de uma igreja, com uma venda, o rancho e algumas casas. Com a descoberta do diamante, a estrada foi estendida até o Arraial do Tejuco, atual Diamantina. Hoje, o grande potencial turístico propiciado por sua beleza natural, em mais de 400 km da Estrada Real, faz com que o ecoturismo seja uma vocação natural. Atualmente, um projeto educativo do Senac Minas, leva capacitação técnica para as comunidades ao longo da Estrada Real, oferecendo cursos e programas direcionadas para a atuação com qualidade na prestação de serviços turísticos.
30/11/-0001
Edições Anteriores
Clique nos ícones abaixo para acessar as edições anteriores de cada produto da Eventos Expo Editora.    
Newsletter
Receba as novidades