Canais
EVENTOS
publicado em 13 de setembro de 2021 -  9h50

Pílulas da Confex Internacional

A indústria de eventos do Reino Unido realizou a International Confex de 1 a 2 de setembro no ExCeL de Londres, oferecendo uma exibição criativa e uma demonstração da resiliência da indústria. Cinco salas no piso da exposição entregaram sessões de educação lotadas e amigos, antigos e novos, se ocuparam em estabelecer contatos e se familiarizarem com a inovação e os novos produtos.

Michael Jones

CONFEX
A indústria de eventos do Reino Unido realizou a International Confex de 1 a 2 de setembro no ExCeL de Londres, oferecendo uma exibição criativa e uma demonstração da resiliência da indústria. Cinco salas no piso da exposição entregaram sessões de educação lotadas e amigos, antigos e novos, se ocuparam em estabelecer contatos e se familiarizarem com a inovação e os novos produtos.

UMA PLATAFORMA PARA ENVOLVER COMUNIDADES

CONFEX
Em sessão no dia 2, Julien Bouvier, diretor, Mia Masson, diretora de conteúdo e Chris Haddow, chefe de vendas, todos da Swapcard, estabeleceram etapas concretas a serem seguidas pelos planejadores de eventos ao adotar um modelo de comunidade.

Eles criaram a plataforma online Evolve da Swapcard - um recurso projetado para ajudar os organizadores a encontrar soluções no futuro. Foi lançado em maio de 2020 e Bouvier disse que a ideia era “criar um senso de pertencimento, você não pode ter uma comunidade sem a Evolve, o público precisa sentir que está dentro de algo maior do que ele mesmo”.

Uma pergunta-chave feita foi: quais os benefícios que os organizadores de eventos podem ter em ter um modelo de comunidade?

“Os organizadores de eventos se beneficiam de ter vários pontos de contato ao longo do ano, em vez de esperar por aquele grande momento”, disse Haddow, que acrescentou que podem coletar mais dados e se beneficiar de um maior alcance, permitindo que participantes de todo o mundo façam parte da comunidade. O modelo também oferece aos organizadores de eventos um potencial maior de ROI, observou Haddow.

“Uma comunidade é um grupo de pessoas que estão engajadas umas com as outras e com sua marca. Assim que você perde seu engajamento, você perde sua comunidade. O engajamento é a parte mais importante para mim”, comentou Bouvier.

POR QUE PROTEGER SEU ATIVO INTANGÍVEL?

CONFEX
Durante o International Confex 21 em Londres, o Brand Experience Theatre hospedou uma discussão sob o título 'Por que proteger seu ativo intangível?' O debate foi liderado por Mark Ford, diretor da Whitespace XPO, e explorou como, para a maioria das empresas, o ativo mais intangível é uma identidade de marca positiva.

Ford sugeriu que os ativos intangíveis se tornaram a parte principal da economia contemporânea com referência a um estudo da Visual Capitalist, um site de publicação de dados online focado em mercados, tecnologia, energia e economia global. O estudo afirmou que a porcentagem de ativos intangíveis que compõem os ativos totais do S&P 500 aumentou de 17% em 1975 para 90% em 2020. Isso é especialmente importante porque o valor total desses ativos aumentou de US $ 122 bilhões para $ 21,03 trilhões. período.

Dentro dessa economia de ativos intangíveis, Ford disse que “o ativo humano é o principal ativo intangível para qualquer organização - mas, mais importante do que nunca, também é nossa capacidade de fazer conexões. Colaboração, trabalho em equipe e comunicação estimulam os indivíduos a criar coisas boas”.

PERSONALIDADE DE VENDAS, NÃO PRODUTOS

CONFEX
Bea Johnston, executiva de projetos comerciais e cientista comportamental da Rego, deu início ao Dia 2 do International Confex no Sales Excellence Theatre, no ExCeL London.

Johnston apresentou a 'abordagem Rego' ao público - uma forma de construir com base no princípio de que as pessoas confiam nas pessoas, não em produtos ou serviços. Ela explicou o processo de ser um cientista comportamental e como construir parcerias colaborativas com clientes que, Johnston diz, “julgam o valor e a qualidade de um produto pelo preço” e que cortar o preço de um produto nem sempre é a resposta.

Ela usou a analogia de clientes dispostos a gastar mais dinheiro em uma marca bem conhecida ao comprar medicamentos de ibuprofeno, em vez de se contentar com um preço barato, apesar dos resultados serem semelhantes, e ela descreveu a natureza cíclica da venda de um produto:

• O gatilho - o que cria uma necessidade ou desejo do cliente?
• Conjunto de consideração inicial - os clientes reconhecem a marca? Será o primeiro porto de escala?
• Avaliação ativa - o produto atende às necessidades de um cliente? A informação está prontamente disponível?
• O momento da compra - os esforços de marketing tiveram sucesso em gerar vendas?
• Experiência pós-compra - o produto atende às expectativas do cliente? Os processos de vendas necessários estão em vigor?
• Loop de fidelidade - o cliente defende ativamente a marca? Eles pensam imediatamente na marca quando têm uma necessidade específica?

Johnston disse que os relacionamentos prendem os clientes ao ciclo de fidelidade e, ao construir esses relacionamentos, é importante lembrar que nem todos são como você.

Ela descreveu quatro tipos de compradores:

• Orientado para a tarefa
• Direto
• Investigativo
• Orientado para as pessoas

“Somos todos nossos próprios superfãs”, disse Johnston. “Tendemos a gostar da maneira como fazemos as coisas”.

“Se você pode entender as preferências de alguém no início da conversa, você pode dar a ela o que ela precisa, para dar a você o que você quer”.

Ela acrescentou: “Nossos cérebros podem ser complicados, às vezes as coisas que você acha que vão funcionar, não funcionam. Pense em seus clientes passando por um ciclo com foco no que acontece após a compra. Identifique as necessidades do seu cliente e adapte suas interações para facilitar isso e construir relacionamentos sustentáveis e leais”.

AUMENTANDO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS B2B COM PUBLICIDADE NO LINKEDIN

CONFEX
Para a quarta sessão do Marketing Theatre do primeiro dia do International Confex 2021, Eleanor Bougie-Smith, chefe digital da SocialB, falou sobre como aproveitar o poder dos anúncios do LinkedIn para atrair públicos-alvo para eventos.

Bougie-Smith disse que o LinkedIn oferece uma ótima segmentação por público-alvo e é útil para analisar os dados demográficos do público. Essa segmentação pode incluir localização, nome da empresa, tamanho, seguidores e campos de estudo.

Bougie-Smith também abordou como usar orçamentos de forma eficaz ao atrair pessoas para eventos. “Não se trata de atrair as massas, mas de atrair o público certo”, disse ela.

Ela acrescentou que quanto mais informações você adiciona à segmentação, mais o LinkedIn pode orientá-lo sobre qual será o seu gasto médio e CPC (custo por clique). “Pense bem em como você vai alocar os custos em várias campanhas”, disse ela. “Pense no que você realmente quer que seu público faça em termos de engajamento”, disse ela.

Quanto à criação de conteúdo envolvente, Bougie-Smith disse que é sempre sobre segmentação e personalização. Ela encorajou o uso de palavras que chamam a atenção do público e ressoam com eles, bem como uma imagem ou vídeo que chame a atenção deles. Um forte apelo à ação que se concentra em uma área principal também é uma técnica eficaz, disse ela.

“Não há nada de ruim em olhar para seus concorrentes para ver o que eles estão fazendo”, disse ela. “Não basta copiá-los, mas inspire-se.”

Bougie-Smith concluiu a sessão enfatizando a importância de rastrear e relatar os KPIs (indicadores-chave de desempenho) e medir o sucesso. Ela disse que isso ajudaria a melhorar continuamente as abordagens e estratégias para atrair o público para os eventos.

DEFENDENDO A DIVERSIDADE, IGUALDADE E INCLUSÃO JUNTOS

CONFEX
O Fórum de Eventos da Associação Internacional Confex 21 teve sua sétima sessão do dia 1 sob o título 'Defendendo a diversidade, igualdade e inclusão juntos'. O painel discutiu o que as associações de eventos estavam fazendo para apoiar a visão de uma indústria de eventos onde diversidade, equidade e inclusão não são apenas palavras, mas se relacionam com a ação.

Os palestrantes do evento incluíram: Caroline Jackson, vice-presidente da Business Visit and Events Partnership (BVEP); Heather Lishman, diretora associada da ABPCO, Michael Adeniya, presidente do Grupo de Trabalho de D&I da Event Industry Alliance; e Claire Fennelow, diretora executiva da EVCOM.

Fennelow disse: “A pandemia deu tempo para pensar, o que em muitos aspectos foi uma sorte. Ficou claro em muitos caminhos em que nos conduzimos, que a diversidade não era um aspecto inerente de suas práticas e da indústria”.

Adeniya acrescentou: “Atualmente, parece que as pessoas se enquadram na indústria de eventos ao invés de escolhê-la. Para tornar esta indústria mais progressiva, precisamos tentar criar caminhos equitativos para os indivíduos entrarem na indústria de eventos”.

Finalmente, em termos de como as empresas de eventos podem ajudar a promover sua diversidade e inclusão, Jackson concluiu: “A melhor coisa é se tornar membro de uma associação de eventos porque você não pode fazer isso sozinho, especialmente se você for uma pequena empresa. As associações oferecem um atalho, pois já informaram as iniciativas e programas que podem ajudar”.

PRINCIPAIS HABILIDADES PARA PLANEJADORES DE EVENTOS CORPORATIVOS QUE BUSCAM O SUCESSO

CONFEX
O teatro Let's Do London, do International Confex 21, teve sua quarta sessão do primeiro dia sob o título “Habilidades essenciais para planejadores de eventos corporativos que buscam o sucesso”. O painel de planejadores de eventos corporativos discutiu como eles adaptaram suas habilidades durante a pandemia e como veem isso no futuro.

Os palestrantes do evento incluíram Edward Poland, cofundador da Hire Space; Claire Melton, chefe global de eventos da IHS Markit; e Lizzy Eaton, fundadora da Oddity Events & Marketing.

O uso de tecnologia para sustentar eventos durante a pandemia foi delineado como o principal trampolim nos últimos 18 meses. A Polônia compartilhou que 'pesadelos técnicos' eram algo com que todos tinham que aprender a conviver durante o período de confinamento. Eaton acredita que, para lidar com o uso aprimorado da tecnologia no planejamento de eventos, você tinha que usar “sua própria rede para fazer as perguntas certas às pessoas certas”.

Na discussão, a flexibilidade foi vista como a chave nestes tempos de incerteza. Melton argumentou que era vital ser capaz de “aumentar e diminuir o elemento virtual dos eventos”, de modo que, se as circunstâncias da Covid-19 mudarem, haja uma chance de se adaptar apropriadamente.

______________________________________________

PUBLICADO SOB LICENÇA MASH MEDIA. CONFERENCE & MEETING WORLD DIGITAL. DIREITOS RESERVADOS. TEXTO ORIGINAL EM INGLÉS ESTÁ EM WWW.C-MW.NET


Veja também:

15/10/2021
Rio começou nesta quinta a venda de ingressos para o desfile do Grupo Especial
Segundo divulgado a venda dos ingressos será feita apenas pelo site da Liesa e começou às 9h desta quinta (14). Os desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial estão marcados para os dias 27 e 28 de fevereiro (domingo e segunda-feira).
15/10/2021
Evento online movimentou quase R$ 1 milhão em negócios entre fornecedores e compradores de todo o Brasil
Concluída no dia 8 de outubro, a RETAIL WEEK Escolar Office Brasil atingiu seu objetivo de impulsionar os negócios e conectar o mercado de produtos para papelarias, organização, escolas e escritórios.
13/10/2021
Fórum de Hospedagem e Alimentação do Nordeste (FHAN) traz 11 especialistas do Brasil e América Latina
Evento acontece durante a HFN - Hotel & Food Nordeste de 3 a 5 de novembro em Pernambuco
11/10/2021
Começa hoje o FORO INTERNACIONAL DA INDÚSTRIA DE REUNIÕES- EXPO DESTINOS
FORO INTERNACIONAL DA INDÚSTRIA DE REUNIÕES- EXPO DESTINOS – acontece de 11 a 14 de outubro. Brasil, representado pela UNEDESTINOS, através de 43 Conventions e de Visitors Bureaus
Newsletter
Receba as novidades