Canais
EVENTOS
publicado em 24 de setembro de 2020 - 15h22

Prefeitura assina protocolo para liberação de eventos na cidade de São Paulo

Prefeitura só vai liberar retorno, no entanto, quando município avançar para a fase verde do plano estadual de flexibilização, que deve ocorrer n dia 09 de outubro.

Da Redação
 O prefeito de São Paulo Bruno Covas, assina protocolos para reabertura do setor de eventos e cultural na capital

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, assinou no início da tarde desta quinta-feira (24) os protocolos de reabertura dos setores de cultura na cidade. As atividades incluem eventos, teatro, museus, exposições, circo e bibliotecas. Os protocolos para abertura de cinemas já haviam sido assinados.

Embora algumas atividades nesses setores já sejam autorizadas pelo governo estadual para regiões que estão há mais de 28 dias na fase amarela do Plano SP de flexibilização econômica, Covas já afirmou que só vai liberar a reabertura quando o município avançar para a fase verde.

Atualmente, todo as regiões de São Paulo estão na fase amarela. A expectativa é de que a mudança para a fase mais permissiva aconteça na próxima reclassificação estadual, prevista para o dia 9 de outubro.

As regras assinadas nesta quinta autorizam eventos para até 600 pessoas como convenções, seminários, workshops, palestras e feiras, mas as festas continuam temporariamente proibidas. Eventos para mais 600 pessoas precisarão de uma autorização especial da gestão municipal, mas o limite é para até 2 mil pessoas.

No início do mês, prefeitura já havia publicado no Diário Oficial as regras do protocolo sanitário para a reabertura dos cinemas na capital paulista. Segundo a publicação, os estabelecimentos terão autorização para receber clientes no período de 8 horas por dia.

Veja as normas para eventos com até 600 pessoas:

São permitidos eventos do tipo convenções, seminários, workshops, palestras, feiras de artesanato, gastronômicas e similares, ficando a realização de festas temporariamente vedada

Eventos com mais de 600 pessoas deverão requerer autorização especial. Permanecem proibidos eventos com mais de 2 mil;

Sugerir ao público a chegada com 1 hora de antecedência;

Reduzir a ocupação do local para 60% de sua capacidade máxima;

Se houver revista, esta só poderá ser feita por detectores de metais;

Estimular a distância de 1,5 m entre os participantes;

As mesas não poderão comportar mais do que 6 pessoas;

Todos os clientes deverão sujeitar-se a medição de temperatura.

Plano São Paulo

O Plano São Paulo, que regulamenta a quarentena em todo o estado, classifica as regiões do estado em cores, determinando quais locais podem avançar nas medidas de reabertura da economia.

Para começar a reabertura do estado em 1º de junho o governo dividiu o território de acordo com as 17 Divisões Regionais de Saúde (DRS).

A Grande São Paulo foi subdividida em outras 6 regiões, uma para a capital e outras 5 para cada grupo de cidades da Região Metropolitana. A flexibilização da quarentena é feita de modo diferente em cada uma dessas regiões.

Três regiões de SP têm aumento de mortes, mas nova regra do governo Doria impede endurecimento de quarentena

Os critérios que baseiam a classificação das regiões são:

Ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs);

Total de leitos por 100 mil habitantes;

Variação de novas internações, em comparação com a semana anterior;

Variação de novos casos confirmados, em comparação com a semana anterior;

Variação de novos óbitos confirmados, em comparação com a semana anterior.

Na fase verde também é considerado óbitos e casos para cada 100 mil habitantes;

Regiões que atingirem as fases 3 (Amarela) ou 4 (Verde) permanecerão nessas fases desde que tenham indicadores semanais inferiores a 40 internações por Covid-19 a cada 100 mil habitantes e 5 mortes a cada 100 mil habitantes.

Veja as principais regras de cada fase:

Fase vermelha: Permitido o funcionamento apenas de serviços essenciais.

Fase laranja: Também podem reabrir imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shoppings podem reabrir, mas com restrições.

Fase Amarela: Também podem reabrir salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais com público sentado podem funcionar, mas com restrições.

Fase verde: Também podem reabrir eventos, convenções e atividades culturais com público em pé poderão voltar a acontecer quando houver uma estabilidade de quatro semanas do estado de São Paulo na fase verde (4), também com restrições.


Veja também:

26/10/2020
Lamec Week marca a reinvenção do setor de eventos em formato de festival colaborativo
Festival promovido pela MPI acontece de 26 a 30 de outubro e reúne marcas, organizadores e criadores de conteúdo para reconectar e restaurar a comunidade de profissionais de eventos São Paulo, Outubro de 2020 - Com formatos variados e diversas plataformas, a LAMEC WEEK (lamecweek.Com.Br/
26/10/2020
Cresce adesão aos chamados #juntosagora e #juntoscomKotler
As hashtags são um convite à participação na corrente de discussão sobre as transformações globais liderada por Philip Kotler e que culminarão no evento eWMS.
14/10/2020
Chieko Aoki convida seus pares: #juntosagora e #juntoscom Kotler
“A pandemia trouxe muitas dúvidas e anseios como também muitas reflexões e soluções para os caminhos do futuro e oportunidades. E, uma coisa é certa: que, juntos, somos mais; precisamos pensar e agir com abrangência global e com velocidade, porque Agora é momento de construção coletiva.
09/10/2020
São Paulo entra da fase verde e eventos são liberados
Regiões de Taubaté, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e toda Baixada Santista também avançam para fase menos restritiva do plano. Barretos foi a única a regredir para fase laranja. Na capital paulista, a fase verde libera a volta de eventos corporativos, congressos, cinemas e teatros.
Newsletter
Receba as novidades