Canais
Entidades
publicado em 04 de setembro de 2020 - 23h42

Série de lives Abracorp: Retomada

Live Abracorp trata de “Desafios Comportamentais e Trabalhistas em Tempos de Pandemia”.

Da Redação

A Abracorp – Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas prosseguiu a série ‘Retomada’, por meio de Live que discutiu questões relevantes nas relações de trabalho entre empresas e seus colaboradores. E, também, comportamentais.

Dr. Cláudio Pereira Junior, advogado trabalhista; e Ricardo Tasinato, da Interathiva Educação Corporativa, foram mediados por Gervasio Tanabe, presidente executivo da Abracorp. Na abertura, Tanabe salientou que “temos sentido um clima de retomada, embora muito tênue em comparação com a movimentação antes da pandemia. Ainda há um caminho duro e longo pela frente. E tudo passa pela confiança do viajante”.

Ricardo Tasinato assinalou que, antes da pandemia, apenas 47% das empresas tinham experiência em home-office. E, depois, 100% delas aderiram ao expediente. “Durante cinco meses, as pessoas em home-office tiveram que conviver com todos os ruídos naturais do ambiente doméstico – choro de crianças, latidos de cães, entre outros”.

Tasinato disse que, quando a retomada se esboça, nota-se algumas aflições. E lembrou que, na quarentena, cresceu muito a procura por psicoterapia. “Como é que nós, do RH das empresas, estamos enxergando as pessoas do nosso time? Eu, como colaborador, tenho meus medos, minhas emoções. Quem está cuidando de mim?”, indagou.

Dr. Cláudio Pereira Jr., advogado trabalhista cujo escritório presta assessoria jurídica para a Abracorp, disse que, de fato, chegou a hora da volta às atividades presenciais. “É preciso harmonizar o individual e o institucional. Passar segurança para o colaborador. A volta tem de ser preparada e subsidiada, com garantia de um ambiente de trabalho seguro. Porém, com a convicção de que nada vai ser como antes”.

O advogado lembrou que o estado de pandemia se instalou do dia para a noite. E que ninguém esperava que tudo iria se prolongar como se prolongou. “Depois de cinco meses, as pessoas já tinham se acostumado à rotina do home-office, dado o poder de adaptação do ser humano”.

Acrescentou que, para muitos, trabalhar sem precisar sair de casa implicou em melhoria da qualidade de vida. Mas isso está se esgotando. Então é necessário estimular o funcionário, nesse processo de volta. Há que se levar em conta valores institucionais e valores pessoais. Na retomada, só os grupos de risco devem ser tratados como exceção.

Ricardo Tasinato recomendou a retomada de forma híbrida – dois dias em casa, três no escritório; um grupo de pessoas trabalha numa semana; um grupo na outra. “Há pessoas que não suportam mais ficar em casa. E querem vir para o escritório. Então, que se comece com as pessoas que estão a fim de ir. O líder, o executivo maior precisam dar o exemplo. Dialogar com as pessoas. O medo é fantasioso e está naquilo que a pessoa não está conseguindo enxergar”, ponderou.

Dr. Cláudio explicou que “quando em home-office, do ponto de vista trabalhista, deve haver regras e procedimentos... para se evitar alegações de uma parte ou de outra. O risco de contágio existe, em qualquer formato. Em home-office, o sujeito sai, vai à vendinha da esquina... e nessa pode se contaminar”.

Diante disso, sustentou que, na retomada, as agências precisam criar procedimentos rígidos e objetivos - sanitização, máscaras, distanciamento, etc. Ou seja: é necessário estabelecer rotinas formalizadas. "Não adianta criar todo o aparato no escritório e relaxar na hora das refeições. Há que se vedar o uso compartilhado de copos, canecas, entre outros”.

Ricardo Tasinato, ao abordar a questão da comunicação, disse que o objetivo maior é garantir proteção contra o coronavírus. “Temos de olhar para o nosso negócio na perspectiva das pessoas. Cabe promover micro reuniões, para saber como está o estado de ânimo das pessoas. Falar do que pode e do que não pode. Criar uma nova regra de convivência, fazer acordos, pois a partir disso, começa-se a implantar uma nova cultura”.

Para ele, o gestor tem de ser muito mais observador, se aproximar do colaborador - e não esperar o colaborador se aproximar dele. “Dizer que ‘as portas estão abertas’ é meio fake. A comunicação tem de ser clara, transparente. Participativa, não imposta. E assim, com o passar do tempo, essas reuniões vão se tornar desnecessárias, porque todos entenderam a regra do jogo”, ressaltou. Em relação ao cliente, assegurou que as empresas que cuidam muito bem dos seus, inspiram confiança, mostram o exemplo.

 Gersvasio Tanabe

Tanabe indagou ao Dr. Cláudio a hipótese de a empresa liberar o funcionário para viajar e, na volta, ele alegar que pegou Covid. O advogado esclarece que a nova legislação trabalhista estabelece que não se pode fazer alegações sem provas, sob o risco de ter de pagar o advogado da parte contrária. É o ônus da prova. Em se tratando de pandemia, não se consegue provar onde se pegou o vírus. Daí a existência dos protocolos etc.


“O fato é que não tem cabimento o colaborador tentar tirar proveito da situação para auferir vantagens. Por isso, de haver a chancela do médico do trabalho das empresas”, enfatizou. Em complemento, Ricardo Tasinato acrescentou que “se todo mundo cumpre o que foi acordado, não vejo possibilidade da evocação de danos morais”.

Gravada, a integra da live “Desafios Comportamentais e Trabalhistas em Tempos de Pandemia” está disponível no Canal Abracorp Oficial do YouTube, compondo a série Retomada. Vale conferir!

Fonte: assessoria

Veja também:

24/09/2020
AMPRO assina Manifesto da Câmara Brasileira da Indústria de Eventos
Documento pleiteia ações urgentes por parte dos governos e enfatiza força do setor na recuperação econômica
23/09/2020
AMPRO lança Estudo de Remuneração, Benefícios e Práticas de Gestão no Live Marketing
A AMPRO acaba de lançar, por meio do seu Comitê de Relações Humanas, o primeiro Estudo de Remuneração, Benefícios e Práticas de Gestão no Live Marketing. O estudo, realizado em parceria com a consultoria Wiabiliza, teve como objetivo conhecer as práticas de remuneração das agências e oferecer aos associados AMPRO as referências salariais e benefícios do mercado.
23/09/2020
AMPRO Globes Awards completa 20 anos com novidades
Experiência e resultados, em vez da disciplina, serão foco dos julgamentos neste ano, entre outros diferenciais. Inscrições já estão abertas e vão até 21/10.
22/09/2020
Manifesto: Câmara Brasileira da Indústria de Eventos
Este é o Manifesto da Indústria de Eventos para comunicar ao mercado e Ao poder público a inteligência e o alcance dos Eventos como um dos Agentes na recuperação e na renovação econômica. Afinal, Evento Também é tech e pop.
Newsletter
Receba as novidades