Canais
M.I.C.E
publicado em 29 de abril de 2019 - 23h 5

Executivos da Unisys e Mercado Livre discutem o poder dos eventos

No primeiro dia do Fórum Eventos 2019, painel oferece um panorama de como empresas têm explorado os eventos para se promover

Da Redação

Nesta segunda-feira (29), teve início o Fórum Eventos 2019. Entre as várias plenárias realizadas, “O poder dos eventos” ofereceu um panorama da situação dos eventos dentro das estratégias das empresas. A palestra contou com Sérgio Junqueira, fundador e diretor do Fórum, como mediador, e os executivos Guilherme Mazzola, head de eventos e guest experience do Mercado Livre no Brasil, e Marcos Santos, diretor de Marketing e Comunicação da Unisys na América Latina.

De início, Mazzola e Santos defenderam que os eventos ainda não representam uma parcela tão significativa do orçamento de marketing das empresas, em relação ao que poderiam representar. Isso porque o mundo corporativo continua muito ligado ao retorno direto que os investimentos em promoção podem trazer. “O que se precisa entender é o tipo de resultado que se tem com os eventos, como, por exemplo, a criação de uma plataforma de confiança para as pessoas interagirem com a sua marca. Não é um retorno em valor absoluto. O cara a cara reforça o engajamento dos clientes. O Mercado Livre já entendeu isso e tende a investir cada vez mais nessa forma de promoção”, defende Mazzola.

Outro tópico muito discutido foi a importância de proporcionar uma experiência diferenciada aos participantes dos eventos, bem como um conteúdo crítico e relevante. Nesse sentido, Marcos Santos acredita que algumas empresas ficam em falta. “O que eu vejo são instituições que entendem muito de seus negócios, mas têm dificuldade de passar isso para o cliente. O processo de adaptação de conteúdo é primordial e cada vez mais facilitado com o uso de tecnologias”, opina.

Ainda sobre essa discussão, Mazzola acredita que há outro problema. “Eu não conheço todas as empresas, então não posso dar uma opinião absoluta. Minha percepção, porém, é de que não se tem conseguido proporcionar experiências ideais. É difícil achar agências que estejam engajadas no negócio do cliente e façam o projeto com carinho, de forma a encantar o público. Muitas vezes, o que vemos, é que nem há preocupação com esse aspecto, porque requer esforço, disciplina e checagem”, critica o executivo.


Veja também:

19/03/2020
Coronavirus - Uma Hecatombe na Indústria Mice²+FDT
No período de uma semana, a indústria MICE²+FDT viveu um verdadeiro pesadelo. Para melhor avaliar como a realidade havia se transformado e o humor do mercado se deteriorado, o Portal Eventos realizou uma nova pesquisa nos dias 15 a 18 de março, junto ao mesmo público, obtendo 208 respostas, sendo 182 completas.
12/03/2020
Posicionamento da TMI MICE sobre a Crise do Coronavírus no turismo mundial
Nós, empresários, temos que honrar nosso posicionamento estratégico e enxergar oportunidades em qualquer espaço que tivermos.
04/03/2020
Grupo Brocker expande atuação no segmento MICE
O Grupo é referência em receptivo e logística para eventos na Serra Gaúcha e Porto Alegre.
16/02/2020
Costa Cruzeiros amplia estrutura para o setor MICE a bordo dos navios
Navios da companhia estão aptos a receber desde viagens de incentivo e premiações a reuniões e conferências corporativas. Os eventos podem ser realizados em toda a frota e nos cruzeiros distribuídos pelo mundo e América do Sul.
Newsletter
Receba as novidades