Canais
Pesquisas
publicado em 19 de março de 2020 -  4h19

Coronavirus - Uma Hecatombe na Indústria Mice²+FDT

No período de uma semana, a indústria MICE²+FDT viveu um verdadeiro pesadelo. Para melhor avaliar como a realidade havia se transformado e o humor do mercado se deteriorado, o Portal Eventos realizou uma nova pesquisa nos dias 15 a 18 de março, junto ao mesmo público, obtendo 208 respostas, sendo 182 completas.

Sergio Junqueira Arantes

No período de uma semana, a indústria MICE²+FDT viveu um verdadeiro pesadelo. O PORTAL EVENTOS havia realizado uma pesquisa nos dias 7 a 10 de março junto a 2.822 gestores corporativos, associativos e de agências e organizadoras de eventos, obtendo 239 respostas, sendo 200 completas, perfilando como a indústria estava reagindo à pandemia COVID-19. Essa primeira pesquisa foi realizada antes de a OMS ter declarado pandemia e diversos governos brasileiros terem orientado que eventos deveriam deixar de ser realizados.

Para melhor avaliar como a realidade havia se transformado e o humor do mercado se deteriorado, o Portal Eventos realizou uma nova pesquisa nos dias 15 a 18 de março, junto ao mesmo público, obtendo 208 respostas, sendo 182 completas.

A pesquisa é composta de 5 (cinco) perguntas. A primeira questiona se houve cancelamento de eventos seus ou de seus clientes. Na primeira pesquisa (7/10mar), 39% informaram que não houve cancelamento até o momento; na segunda pesquisa (15/18mar), apenas 3% informaram não ter havido cancelamento. Enquanto na primeira pesquisa 26% declararam ter ocorrido cancelamento total, na segunda este índice subiu para 52% e, também, nos adiamentos ocorreu significativo crescimento, de 35% para 45%.

Para melhor compreensão do ocorrido, o Portal Eventos fez dois cortes na segunda pesquisa. Na respondida exclusivamente por Gestores de Eventos Corporativos e Associativos, 3% informaram não ter havido alteração, 41% tiveram eventos adiados e 56% tiveram todos eventos cancelados, índice quase 10% superior ao da pesquisa geral. Considerando ser este o profissional que determina a realização dos eventos, esse indicador deve ser mais próximo da realidade.

O segundo corte, compreendeu apenas Agências e Organizadoras de Eventos, no qual o quadro já se mostrou menos alterado, uma vez que apenas 3% responderam não ter havido alteração, 44% tiveram eventos adiados e 53% todos os eventos cancelados.

Outra questão importante é sobre qual a orientação as empresas tomaram em relação à participação de seus funcionários em eventos. Na pesquisa da semana passada, 51% dos 200 que responderam informaram que não cancelaram a participação de funcionários em eventos, percentual que caiu para 6% nesta semana; o cancelamento apenas nos eventos internacionais, que era de 35%, caiu para 7% e o cancelamento em qualquer evento subiu de 14% para 87%, crescimento vertiginoso que explica por que antes mesmo das autoridades proibirem a realização de eventos, seus promotores iniciaram o movimento para cancelar ou adiar os eventos que se realizariam no período março/maio: se insistissem, não teriam público.

Questionados se ocorreu alteração na política de eventos de sua empresa ou de seu cliente, 54% dos pesquisados no período 7/10 de março disseram não ter havido alteração na política, e dos pesquisados de 15 a 18 de março, o índice foi de apenas 35%. Os 30% que tinham passado a exigir aprovação do gestor para qualquer evento, subiu para 52%. A área de segurança, bem-estar etc. responde por 13% das aprovações requeridas.


Quanto à probabilidade de realização de novos eventos no curto e médio prazos, na semana passada 51% indicaram não ter ocorrido alteração em seus projetos, índice que caiu para 3% nesta semana. Este é o indicador mais negativo da pesquisa, pois demonstra que o mercado se encontra sem perspectiva. 41% dos pesquisados responderam ter cancelado todos os projetos (eram 5% na semana passada) e 55% adiaram os projetos (eram 37%).



Finalmente, questionados sobre quando esperam que as viagens e os eventos retomarão à normalidade, na semana passada 25% responderam que tudo estava normal, 31% responderam não sabiam, 34% acreditavam que já no próximo trimestre, 8% que o mercado só voltará à normalidade no quarto trimestre e apenas 2% acham que somente em 2021 os eventos voltarão à normalidade. Na pesquisa desta semana, os pesquisados se mostraram mais esperançosos: 52% indicando que o mercado voltará à normalidade no próximo trimestre, 8% que será no quarto trimestre. Somente 1% consideraram que tudo está normal e 31% não sabe quando o mercado voltará à normalidade.

Tendo em vista a volatilidade que todos vivemos no mundo do Covid-19, o Portal Eventos repetirá essa pesquisa periodicamente.

Veja também:

26/03/2020
ALAGEV apresenta novos dados sobre o impacto do Coronavírus no mercado de viagens e eventos corporativos
Em novo estudo, mercado sente desaceleração, mas se mantém otimista quanto a retomada ainda neste ano.
15/03/2020
Na semana passada o Covid-19 ainda não parecia um pesadelo
O Portal Eventos realizou uma pesquisa junto a 2.822 gestores corporativos, associativos e de agências e organizadoras de eventos, obtendo 239 respostas, sendo 200 completas, perfilando como a indústria MICE²+FDT está reagindo à pandemia do COVID-19. A pesquisa foi realizada nos dias 7 a 10 de março, antes da OMS ter declarado pandemia e diversos governos brasileiros terem orientado que eventos deveriam deixar de ser realizado.
12/03/2020
ALAGEV divulga pesquisa do impacto do Coronavírus no mercado de viagens e eventos corporativos
Estudo reúne informações coletadas com gestores de eventos, gestores de viagens e fornecedores do mercado.
08/03/2020
Mulheres no comando
Pesquisa aponta crescimento de mulheres em cargos de chefia.
Newsletter
Receba as novidades