Canais
Políticas do Turismo
publicado em 04 de junho de 2020 - 21h 2

Abeoc Brasil lança campanha pela retomada consciente dos eventos

A Associação Brasileira das Empresas de Eventos reuniu hoje em live transmitida ao vivo pelo seu canal no Youtube, sua presidente, Fátima Facuri; o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio; a deputada federal Soraya Santos; o presidente-executivo da União Brasileira dos Promotores de Feiras – UBRAFE, Armando de Campos Mello; e o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio. Em pauta, a retomada das atividades e os protocolos sanitários.

Da Redação

Segundo Fátima Facuri, a flexibilização de várias áreas abre caminho para a realização de feiras e congressos, seguindo protocolos sanitários que garantam a saúde, tanto de trabalhadores quanto do público. 

Acreditamos que, fazendo todos os ajustes necessários e recomendados pelos órgãos sanitários poderemos reiniciar o calendário de 2020, contribuindo para a sobrevivência das empresas e manutenção de empregos. Para que isso aconteça, defendemos o desenvolvimento de um protocolo único (nacional) em comum acordo entre setor e o Ministério da Saúde”, afirmou. 

O presidente da UBRAFE lembrou sobre os créditos que não chegam na ponta do setor, e o presidente da FBHA comentou sobre a tramitação da MP 936 no Senado. Em resposta, o ministro Marcelo Álvaro Antônio explicou como foi dada a prioridade de “socorro” às empresas, primeiramente com a MP 936 e depois com a MP 948, evitando uma judicialização em massa. A terceira fase passou pela MP 963, com crédito pelo Fungetur e agora é esperada a MP 944, que traz o fundo garantidor, facilitando o crédito.

Segundo a deputada federal Soraya Santos, a MP 944 será votada na próxima terça-feira, dia 9 de junho.

O ministro também anunciou que já está pronto o protocolo nacional de retomada, mas que a liberação dos eventos está a cargo de estados e municípios, por decisão do STF. O protocolo, que inclui os eventos e outros 14 segmentos será acompanhado por um selo de biossegurança.

#estamosprontospravoltar

Paralelamente, a ABEOC Brasil lançou a campanha #estamosprontospravoltar abrangendo os vários segmentos profissionais que atuam no mercado de eventos. Assim, organizadores, promotores, cerimonialistas, seguranças, equipes de limpeza, hospedagem, viagem e muitos outros têm aparecido nas timelines das redes sociais da entidade (@abeocbrasil no Instagram, Twitter, Facebook e Linkedin). 

“Começamos com seis atividades e várias outras solicitaram engajamento à campanha, mostrando que rumamos em um caminho comum”, finalizou Facuri.

Veja também:

02/09/2020
Senado confirma programa de créditos com R$ 5 bi para reduzir impacto da pandemia no setor de turismo
Os senadores aprovaram em votação simbólica nesta quarta-feira (2) a medida provisória (MP) que reservou R$ 5 bilhões para socorrer o setor de turismo, como forma de reduzir os impactos causados pelo novo coronavírus. A MPV 963/2020, que abriu o crédito extraordinário no Orçamento deste ano, segue agora para promulgação.
01/09/2020
Câmara aprova MP que destina R$ 5 bilhões para empréstimos ao setor do turismo na pandemia
A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (1º) a Medida Provisória 963/20, que libera R$ 5 bilhões para minimizar os impactos do novo coronavírus no setor de turismo. O texto, que segue para o Senado, determina que os recursos serão destinados a empréstimos para financiar a infraestrutura turística nacional.
25/08/2020
Bolsonaro sanciona lei que desobriga reembolso se houver remarcação de evento
Em ato publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou, com um veto, a lei aprovada pelo Congresso Nacional que desobriga empresas do setor de turismo e cultura de reembolsar consumidores quando eventos cancelados pela pandemia do novo coronavírus forem remarcados ou for disponibilizado crédito para abatimento da compra em outros serviços.
30/07/2020
Câmara aprova MP 948
A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (29) o texto-base de uma medida provisória que dispensa empresas do setor cultural e de turismo — em razão da pandemia do coronavírus — de reembolsar clientes por cancelamento ou adiamento de serviços, eventos e reservas, desde que assegurem a remarcação do que foi contratado pelo cliente.
Newsletter
Receba as novidades