Canais
Políticas do Turismo
publicado em 27 de junho de 2019 -  1h51

Fórmula 1 em Interlagos seguirá aquecendo o turismo paulista

Governo do Estado e dirigentes do maior evento automobilístico do mundo reafirmam que as pistas de São Paulo continuarão a receber a modalidade até o final de 2020.

Da Redação
 Tamas Rohonyi, Chase Carey, João Dória, Bruno Covas, Henrique Meireles e Vinícius Lummertz

Os motores continuarão a roncar em Interlagos. Foi esse o tema central da reunião nesta terça-feira (25), no Palácio dos Bandeirantes, entre o Governador João Dória e o novo CEO mundial da Fórmula 1, Chase Carey, o promotor do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, Tamas Rohonyi, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, e dois de seus secretários, o de Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles e o de Turismo, Vinicius Lummertz. A modalidade, que gerou somente em 2019 uma receita de R$ 334 milhões para o Brasil, manterá por contrato as pistas aquecidas no autódromo de Interlagos (zona sul da Cidade de São Paulo) até o final de 2020.

Segundo o governador João Dória, “o Brasil exerce uma enorme pressão na Fórmula 1 e Interlagos tem mantido uma tradição muito grande ao longo desses quase 40 anos onde em apenas três oportunidades não foram realizadas corridas nas pistas do autódromo paulistano”. O Governador também lembrou com reverência os grandes pilotos brasileiros na categoria, como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace, Nelson Piquet, Ayrton Senna, Wilson Fittipaldi, Rubens Barrichello e Felipe Massa, um grande número de outros jovens talentos na categoria, que desde a década de 1970 trouxeram tantos pódios ao País.

A reunião aconteceu em meio a expectativas de que a cidade do Rio de Janeiro pleiteasse levar o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 para as pistas do bairro de Deodoro a partir dos próximos anos. Dória reiterou que “respeita o desejo legítimo do Rio de Janeiro de querer levar o GP Brasil para a cidade, mas lembrou que São Paulo está mais estruturada para atender às necessidades dos turistas que desembarcam na capital”.

Os dirigentes da Fórmula 1, por sua vez, demonstram apoio a João Dória. “Eu acho que a presença do Governador de São Paulo, junto com o Prefeito e seus principais executivos, demonstra o interesse a apoio de João Dória. Nós fizemos, nos últimos anos, um belíssimo Grande Prêmio. Pretendemos continuar fazendo grandes eventos”, falou o húngaro-brasileiro Tamas Rohonyi, promotor da modalidade no Brasil. Segundo o chairman mundial da categoria, o americano Chase Carey, “para a Fórmula 1, o mercado brasileiro tem uma enorme importância”. O CEO reconhece que as provas realizadas em Interlagos sempre foram as mais interessantes do campeonato e espera que, neste ano, em novembro, possa continuar essa tradição.

Interlagos tem pistas com números vitoriosos. O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece todos os anos, desde 1972, no Autódromo José Carlos Pace, mais conhecido como Autódromo de Interlagos, com exceção de 1978 e 1981 a 1989, quando as corridas foram disputadas no Autódromo de Jacarepaguá (Autódromo Internacional Nelson Piquet). Desde 1973, o prêmio faz parte do campeonato de Fórmula 1 e, desde 1990, é realizado em São Paulo de forma ininterrupta. Apenas no GP disputado em 2018, o circuito de Interlagos recebeu 150.307 mil espectadores, um incremento de 6,4% em relação ao ano anterior, que foi de 141.218 pessoas.

Para o turismo paulista, Interlagos sempre aqueceu os motores. Quase 80% dos espectadores de Fórmula 1 vem de fora da cidade de São Paulo. Dos estrangeiros, grande parte vem de países do Cone Sul: Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, além de europeus e americanos. Segundo a Associação da Indústria de Hotéis de São Paulo, o setor hoteleiro tem lotação entre 85% e 100%. O prefeito paulistano, Bruno Covas, lembra que “no ano passado tivemos um Grande Prêmio que gerou um impacto econômico para a cidade de São Paulo de R$ 334 milhões, que ocorreu sem nenhum incidente, com elogios dos pilotos, das equipes, da organização, do público que esteve presente”.

Considerado o maior evento internacional e econômico para o turismo da capital paulista, a F1 movimentou R$ 334 milhões em 2018, 20% a mais que em 2017. Isso gerou 10 mil empregos diretos e indiretos para São Paulo. Por seu traçado desafiador, o circuito de Interlagos é considerado um dos cinco melhores do mundo e, por isso, é um dos mais elogiados pelos pilotos. O pentacampeão Lewis Hamilton, da Mercedes, diz que Interlagos é seu "calcanhar de Aquiles".

Fonte: assessoria

Veja também:

21/08/2019
Governo de SP anuncia serviço de stopover da Gol Linhas Aéreas nos aeroportos paulistas
Passageiros que fizerem conexão em Congonhas, Guarulhos ou Viracopos podem ficar até duas noites na cidade sem custo adicional.
15/08/2019
Parceria com plataforma online vai atrair mais turistas chineses a Foz do Iguaçu
Cidade passará a oferecer serviços, incluindo atrativos, passagens aéreas e reserva de hotéis diretamente para os turistas chineses.
02/08/2019
SKAL Brasil manifesta inconformidade com a nova Marca Brasil
A Associação Mundial de Profissionais de Viagens e Turismo salienta que a Marca Brasil não é um fim em si mesma e deve ser parte da construção de uma política de turismo.
30/07/2019
São Paulo Pra Todos chega na mídia impressa
Secretaria Estadual de Turismo de São Paulo avança no programa São Paulo Pra Todos e lança campanha publicitária para mídia impressa.
Newsletter
Receba as novidades