Canais
Políticas do Turismo
publicado em 08 de junho de 2018 - 20h47

Isenção de imposto de importação gera empregos em parques temáticos

O número de empregos do setor deve crescer cerca de 3% este ano, alcançando mais de 11.500 postos de trabalho.

Da Redação
 Aparecida ganhará roda gigante

Com a redução de imposto de importação para equipamentos de parques temáticos, anunciada hoje pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), o número de empregos do setor deve crescer cerca de 3% este ano, alcançando mais de 11.500 postos de trabalho. A isenção temporária autorizada pelo governo e realizada em duas etapas este ano, representa investimentos de R$ 30 milhões, segundo o Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat).

“Essa é mais uma vitória dentro de um esforço que o Ministério do Turismo vem fazendo junto aos demais órgãos do Governo Federal para sensibilizar sobre a importância do segmento de parques para a economia. Cada equipamento deste, além de gerar empregos diretos, com sua manutenção e operação, exige a contratação de trabalhadores temporários nas obras civis e montagem, por exemplo. Geramos emprego e renda para brasileiros, além de diversificar a experiência dos turistas”, afirmou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz.

A resolução Camex nº 36, publicada hoje no Diário Oficial da União, zera temporariamente o imposto de importação para três tipos de equipamentos destinados a parques de São Paulo. O Magic Park, em Aparecida, um dos principais destinos de turismo religioso do país, ganha uma roda gigante, ampliando a opção de atrativos e a permanência dos turistas em romaria à cidade. Os outros são carrosséis que vão modernizar o Playcenter, localizado na capital paulista.

Para o presidente do Sindepat, Alain Baldacci, entidade que representa 18 parques temáticos, "a redução do imposto contribui para a modernização dos parques nacionais, gera empregos e estimula o investimento na ampliação e na criação de novos empreendimentos”. Segundo ele, o governo, com apoio do Ministério do Turismo, tem sido sensível às demandas do segmento.

Com a resolução, sobe para seis o número de equipamentos para parques de diversão que poderão ser importados com tarifa zero até outubro deste ano. Antes de aprovar o pleito do setor, a Camex constatou a inexistência de produção nacional e consultou o Ministério do Turismo que informou ser favorável à redução das alíquotas

Economia do setor

Um estudo elaborado pelo Sindepat revelou que a redução de carga tributária pode resultar em um investimento de R$ 1,9 bilhão e gerar cerca de 56 mil empregos nos próximos cinco anos. Atualmente, os 18 estabelecimentos associados ao Sindepat geram 11,2 mil empregos diretos e movimentam cerca de R$1 bilhão na economia por ano.

Fonte: Assessoria

Veja também:

22/03/2019
Governo do Rio decreta diferimento do ICMS para eventos
Governador Wilson Witzel assinou o decreto nesta quinta-feira 21/3, no Rio Othon Palace, em Copacabana.
22/03/2019
Hotelaria Nacional comemora aprovação do texto que atualiza a Lei Geral do Turismo
Lei foi aprovada no dia 20 de março, na Câmara dos Deputados, em Brasília.
22/03/2019
Diário do Rio informou que Crivella incomoda mercado de eventos
O prefeito Marcelo Crivella tirou do órgão o poder de liberação das grandes feiras, congressos, shows, exposições e outras promoções.
01/03/2019
Turismo em São Paulo com mais crédito para investir
A Desenvolve SP tem disponível R$ 60 milhões para financiamentos por meio da linha de crédito Fungetur, do Ministério do Turismo (MTur).
Newsletter
Receba as novidades