Canais
Políticas do Turismo
publicado em 06 de dezembro de 2018 - 13h19

Marcelo Álvaro Antônio afirma ao trade e líderes do setor que dará continuidade aos programas estratégicos da Pasta

Atributos do turismo brasileiro e continuidade dos programas estratégicos do MTur foram assunto de reunião no Rio de Janeiro

Da Redação
 Ministros Marcelo Antônio e Vinicius Lummertz durante o primeiro encontro oficial de transição da Pasta

No primeiro evento público de transição de comando do Ministério do Turismo, no Rio de Janeiro, o futuro ministro Marcelo Álvaro Antônio afirmou ao trade e líderes do setor que dará continuidade aos programas estratégicos da Pasta em andamento.

O ministro Vinicius Lummertz agradeceu o apoio incondicional do trade ao longo de sua gestão e falou que o Brasil precisa deixar de lado os medos imaginários e usar o turismo como resolução dos problemas reais. Ele citou como exemplo a abertura dos parques nacionais e as marinas. "Trabalhamos muito, sempre morro acima. Agora, acredito que no novo ciclo, com a visão liberal do novo governo, será morro abaixo, com tudo mais fácil", acredita.

Segundo o indicado para o MTur, "o presidente eleito, Jair Bolsonaro, é um entusiasta do Turismo. Isso vai ser um facilitador para articular um maior orçamento para o ministério", garantiu. Ele ainda disse que Bolsonaro "tem plena consciência de que o Turismo pode ser um dos principais pilares para a volta do desenvolvimento econômico e social do país", o que, segundo Marcelo Antônio, vai ser realizado em parceria com o Congresso Nacional.

O futuro ministro também levantou soluções para gargalos históricos e disse que vai dar continuidade a programas importantes em execução pela gestão Vinicius Lummertz. "Sabemos que muitos gargalos estão ligados à legislação vigente no país, como é o caso da Lei Geral do Turismo, e podem ser supridos por pautas legislativas que devem avançar na Câmara com celeridade ainda em 2018", ressaltou. Ele também destacou que que dará sequência ao trabalho por mais competitividade e capilaridade de voos no Brasil e que o aumento da conectividade, rotas e destinos atendidos pela malha aérea nacional terá atenção especial.

Para Marcelo Antônio, o potencial adormecido do País para o Turismo deve ser amplamente explorado com o apoio e parceria do trade turístico. "Assim como o ministro Lummertz sempre fez, estarei aberto para a discussão dos problemas e construção de soluções para que o Brasil seja grande no Turismo", concluiu.

O deputado federal Herculano Passos, presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo (Frentur), afirmou que vai articular a votação de projetos estratégicos para o setor ainda em 2018, como a transformação da Embratur em agência, a modernização da Lei Geral do Turismo e a abertura das empresas aéreas ao capital internacional.

Seaview – O encontro entre os ministros e convidados aconteceu no porto do Rio de Janeiro, durante a apresentação do transatlântico Seaview, o maior navio de passageiros da atual temporada de cruzeiros marítimos na costa brasileira. O navio fará escalas no Rio de Janeiro; Ilha Grande e Búzios (RJ); Santos e Ilhabela (SP); Balneário Camboriú e Porto Belo (SC); Salvador e Ilhéus (BA). O gigante do mar tem 323 metros de comprimento, conta com 18 andares e pesa 154 mil toneladas. A capacidade é para 5,3 mil passageiros.

Veja também:

10/01/2019
A JMIC - Conselho da Indústria de Eventos inicia 2019 com uma nova Carta, Constituição e Presidente
Em Assembleia no final de 2018, o JMIC promoveram uma série de mudanças em sua estrutura e elegeu seu novo presidente, Kai Hattendorf, CEO da UFI.
03/01/2019
Marcelo Álvaro Antônio assume o cargo de ministro do Turismo
Ministro ressalta a importância do setor para o desenvolvimento econômico e geração de emprego no Brasil no discurso de transmissão do cargo
21/12/2018
Turismo de observação de baleias é restabelecido em Santa Catarina
Portaria normatiza o turismo embarcado na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca como atividade recreativa e educativa.
13/12/2018
Governo edita MP que autoriza empresas aéreas a terem 100% de capital estrangeiro
Limite adotado anteriormente era de 20% do total que poderia ser ocupado por companhias de fora do país.
Newsletter
Receba as novidades