Canais
Tecnologia para Eventos
publicado em 28 de agosto de 2020 - 20h30

Swaper inova no mercado de eventos com realidade virtual

Startup oferece solução para a produção e gerenciamento de eventos online em 3D para empresas de grande, médio e pequeno portes.

Da Redação

O mercado de eventos é um dos mais afetados pelo Covid-19. Desde o início do isolamento social, em março, diversas atrações como feiras corporativas e entretenimento foram canceladas, no entanto existem outras que vem buscando maneiras de se reinventarem no online. E é nesse cenário que a Swaper, plataforma e produtora de eventos virtuais, inicia sua operação no país. A ideia é trazer inovação e maior eficiência no processo de produção de eventos online para empresas de grande, médio e pequeno porte.

A Swaper nasceu no Vale do Silício no início de 2019 com a ideia de ser um buscador de lugares perfeitos para cada tipo de evento, facilitando o pedido de orçamentos e até mesmo suas reservas. No mesmo ano recebeu investimento do Seed Expands de Corfo e, quando estavam se preparando para o lançamento, a pandemia do Covid-19 impactou o mundo e, assim como muitos, a startup também precisou se reinventar. A solução passou oferecer a realização de eventos online em 3D.

“As pessoas que frequentam um eventos, em sua grande maioria tem dois grandes motivadores: fazer Networking e aprender, desde capacitações até ficarem atentos às tendências do setor em questão. Tudo que envolve um evento as motiva a serem criativas e as inspiram a seguir em frente. Criamos a Swaper com o pensamento de manter estas ideias em movimento, mesmo que dentro de suas casas. Como uma grande imersão”, comenta Álvaro Falcón, CEO da Swaper.

O Evento 3D e passeios virtuais em 360°

Através de realidade virtual, a tecnologia viabiliza simular um cenário real, gerando uma experiência única aos usuários. Com foco em proporcionar momentos de contato, como em um evento presencial, a ferramenta possibilita a inclusão de estandes, salas de networking, auditórios, recepção com registro dos participantes, cadastro para prêmios e até lojas. Tudo personalizado e com interações ao vivo - inclusive dentro dos estandes.

Além disso, a ferramenta disponibiliza acesso a métricas com quantidade de interação entre os participantes e o quanto tempo duraram e localização dos acessos. Todo gerenciamento do evento, pode ser feito via aplicativo. “Nosso objetivo é mais que apenas transmitir conteúdo, queremos contribuir para a estratégia de negócio dos nossos clientes, agregando maior valor a seus eventos e melhorando a experiência de seus clientes e stakeholders”, afirma Falcón.

Socio e os eventos híbridos

A startup também oferece um serviço de gerenciamento de eventos com a plataforma Socio. Com um sistema 100% personalizado, ela oferece a criação de comunidades em torno do evento, gerando trocas entre os palestrantes, expositores, anunciantes e participantes. Compatível com eventos presenciais, online e híbridos, a ferramenta funciona como uma rede social privada que gera interações antes, durante e depois do evento - pelo tempo que a empresa julgar necessário.

Desde o início da pandemia, a Swaper já contribuiu para eventos de grandes instituições como: ONU e Ministério da Educação do Chile, além de parcerias com produtoras de eventos. Ainda não há empresas brasileiras nessa lista, mas a startup espera realizar pelo menos 10 eventos até o final do ano.

Presente no Chile e no Peru, a empresa enxerga grande potencial no mercado brasileiro. A expectativa é que em 2 anos, o país represente 50% de seu faturamento total. Além disso, a plataforma planeja ainda expandir os seus negócios para os demais países da América Latina, até o final de 2021.


Fonte: assessoria

Veja também:

17/09/2021
Adaptando fluxos de trabalho de transmissão para o espaço de exposição
Adaptando fluxos de trabalho de transmissão para o espaço de exposição Ricardo Montesa, CEO da fornecedora de gráficos 3D para transmissões, Brainstorm , acredita que a indústria de eventos está mais sintonizada com a indústria de broadcasting e tira algumas lições que a indústria de eventos pode aprender com isso.
14/09/2021
Geração Alpha: 'mais Gen Z do que Gen Z'
Tay Ling, vice-presidente da TBA Hong Kong, Pico Group, explora como as novas gerações forçarão um ajuste no marketing da marca e na indústria de eventos:
09/09/2021
MCI e Informa Markets lançam plataforma pioneira em metaverso para o Futurecom
Tecnologia que replica a realidade em mundo virtual será experimentada em sua concepção completa durante o Futurecom Digital Week
02/09/2021
A quem pertencem os dados
O auditor de eventos globais, presidente e CEO da BPA, Glenn Hansen, discute a necessidade de padrões em eventos digitais, incluindo propriedade de dados.
Newsletter
Receba as novidades