Canais
Tendências e Estudos
publicado em 24 de setembro de 2018 - 16h46

Avanços na tecnologia digital oferecem vantagens aos aeroportos

Novo relatório da Arthur D. Little destaca necessidade de colocar a transformação digital como prioridade estratégica para reduzir custos.

Da Redação

O aumento do tráfego aéreo em escala global, das restrições quanto à infraestrutura e as maiores expectativas dos viajantes têm gerado um novo desafio para os aeroportos: como fazer o melhor uso das instalações atuais e gerar valor para todas as partes interessadas. Neste verão, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) alertou que é cada vez maior o número de aeroportos que não têm capacidade de gerenciar todos os voos que as companhias aéreas desejam oferecer. Além disso, considerando que se espera que o número global de passageiros duplique nos próximos 20 anos, os aeroportos estão enfrentando uma pressão crescente para se adaptarem a um novo ambiente [1].

Diante deste cenário, a Amadeus solicitou à Arthur D. Little que avaliasse o potencial das tecnologias digitais no ambiente aeroportuário. O estudo destaca não só como as novas tecnologias ajudarão os aeroportos a melhorar sua eficiência e reduzir os custos, mas também como a adoção do conceito de transformação digital permitirá responder às cada vez maiores expectativas dos viajantes, companhias aéreas e partes interessadas.

O relatório também identifica uma série de barreiras ao investimento digital, como a falta de clareza estratégica para a transformação digital, a falta de colaboração entre aeroportos e companhias aéreas, e os problemas que podem surgir por pessoas que não estão familiarizadas com o uso de ferramentas digitais em ambientes aeroportuários.

O relatório define três grupos de tecnologias em que os aeroportos provavelmente irão se centrar:

- Tecnologias facilitadoras essenciais, como big data e tecnologia na nuvem.

- Integração e automatização de processos, como a Internet das Coisas, tecnologias mobile e sistemas de energia inteligentes.

- Tecnologias emergentes, como modelagem virtual e blockchain.

John Jarrell, Head of Airport IT Amadeus, disse: “Diante das maiores expectativas de viajantes, companhias aéreas e acionistas, os aeroportos precisam otimizar sua infraestrutura existente, melhorar a eficiência e garantir que sua proposta agregue valor para todas as partes interessadas. Este relatório mostra que a tecnologia digital está permitindo atingir esses objetivos. O caminho para a transformação digital dos aeroportos pode ter obstáculos, mas todos os aeroportos que participaram neste estudo já tinham começado sua evolução digital - em maior ou menor medida - e reconhecem que os esforços para a transformação digital podem dar suporte para mudanças significativas”.

Russell Pell, sócio-diretor da Arthur D. Little, explicou: “Este relatório destaca o verdadeiro potencial transformador da tecnologia digital para os aeroportos, oferecendo vantagens concretas que vão muito além da redução de custos. Embora um grande número de aeroportos tenha começado a utilizar ferramentas digitais para agilizar o processamento de passageiros, aeroportos de todos os tamanhos precisam superar uma série de barreiras culturais e de organização que impedem a mudança, além de estabelecer um compromisso contínuo com a transformação digital”.

A Arthur D. Little entrevistou Diretores Seniores em mais de 15 aeroportos de grande relevância em todo o mundo para elaborar o estudo, que inclui também as opiniões de vários especialistas da indústria.

Para fazer download do relatório, acesse aqui.

Fonte: assessoria

Veja também:

18/09/2019
Estudo da Visa mostra o que os brasileiros buscam nos programas de fidelidade
O brasileiro está entre os três mais satisfeitos com seus programas de fidelidade no mundo, perdendo apenas para México e Índia.
06/09/2019
São Paulo está entre os Top 10 destinos mais visitados na América Latina e Caribe, aponta estudo da Mastercard
De acordo com o Global Destination Cities Index, a capital paulista é a única brasileira no TOP 10, ocupando a 7ª posição no ranking. No entanto o estudo prevê crescimento zero para São Paulo, enquanto Panamá, Cusco, Buenos Aires e Santiago tem previsão de crescimento de 11.82%, 10%, 6.36% e 5.05%.
24/08/2019
Abracorp afina sintonia com o mercado financeiro
Na pauta dos encontros, análise de tendências do mercado de viagens corporativas, com base nos dados do BI Abracorp.
24/06/2019
Lei de Proteção de Dados é foco de debate na ISC Brasil
Lei deve entrar em vigor em fevereiro do próximo ano. Tema contará com palestra no dia 26 durante o Congresso ISC e também terá espaço na programação da Infosecurity.
Newsletter
Receba as novidades