Canais
Tendências e Estudos
publicado em 14 de agosto de 2018 -  5h27

Demanda de passageiros acelera em junho

A IATA - International Air Transport Association anunciou os resultados gerais do tráfego de passageiros de junho de 2018.

Da Redação

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA - International Air Transport Association) anunciou os resultados gerais do tráfego de passageiros de junho de 2018, mostrando que a demanda (medida em quilômetros por passageiro e receita, ou RPKs) subiu 7,8% em relação a junho de 2017, um aumento de 6,0% em relação ao mesmo período do ano anterior, também registrado em maio e abril. A capacidade em junho (medida em assentos disponíveis por quilômetro, ou ASKs) aumentou 6,5% e o fator de carga subiu 1,0 ponto percentual, atingindo 82,8%. Nos primeiros seis meses de 2018, o crescimento de demanda foi de 7,0%, um forte desempenho, mas abaixo do índice de 8,3% registrado no primeiro semestre de 2017.

“O primeiro semestre de 2018 foi encerrado com outro mês de aumento da demanda acima da tendência, o que é um bom indicador para a temporada de pico de viagens de verão no hemisfério norte. Mas a perspectiva de uma guerra comercial global lança uma sombra neste cenário. Além disso, o aumento dos custos, principalmente do combustível, que subiram cerca de 60% no ano passado, estão reduzindo o estímulo a tarifas mais baixas”, disse Alexandre de Juniac, Diretor Geral e CEO da IATA.

Mercados internacionais de transporte aéreo de passageiros

A demanda internacional de passageiros em junho subiu 7,7% em relação a junho de 2017. Todas as regiões registraram aumento; o maior índice de crescimento foi das companhias aéreas do Oriente Médio e da África. A capacidade subiu 5,9% e o fator de carga aumentou 1,4 pontos percentuais, atingindo 81,9%.

• As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico registraram aumento de tráfego de 9,5% em relação ao mesmo período do ano passado, e também em relação aos 7,7% registrados em maio na comparação ano a ano. A capacidade aumentou 7,4% e o fator de carga subiu 1,5 pontos percentuais, atingindo 80,6%. A demanda está sendo estimulada pelo crescimento econômico regional robusto e pelo aumento no número de opções de voo para os viajantes.

• As companhias aéreas do Oriente Médio registraram um aumento de demanda de 11,0% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado. Esta foi uma mudança acentuada em relação ao índice de maio, que foi em parte atribuído ao calendário do Ramadã em relação ao ano passado. As comparações anuais continuam afetadas por situações desfavoráveis no ano passado, incluindo a proibição de dispositivos eletrônicos portáteis de grande porte e as restrições de viagem impostas pelos Estados Unidos a visitantes de certos países do Oriente Médio e da África. A capacidade aumentou 8,0% e o fator de carga subiu 1,9 ponto percentual, atingindo 71,0%.

• As companhias aéreas da Europa apresentaram aumento de tráfego de 6,1% em junho na comparação com junho de 2017, um pouco abaixo do crescimento de 6,3% registrado em maio. A capacidade subiu 4,8% e o fator de carga subiu 1,1 pontos percentuais, atingindo 86,8%, o maior crescimento entre as regiões. O crescimento foi estimulado pelo cenário econômico relativamente saudável. No entanto, a possibilidade de greves de profissionais de controle de tráfego aéreo pode afetar o crescimento nos próximos meses.

• As companhias aéreas da América do Norte registraram aumento de demanda de 5,9% em relação a junho de 2017, um resultado melhor na comparação com o índice de 5,0% registrado em maio. A capacidade subiu 3,6% e o fator de carga subiu 1,9 pontos percentuais, atingindo 86,7%. O ritmo bom da economia dos Estados Unidos estimula o crescimento no número de passageiros, mas a perspectiva de disputas comerciais pode afetar a demanda no futuro.

• As companhias aéreas da América Latina tiveram aumento de 5,6% no tráfego em relação ao mesmo mês do ano passado, uma queda em relação ao crescimento de 7,9% na comparação ano a ano de maio, com alguns possíveis indícios de desaceleração da demanda. A capacidade aumentou 6,5% e o fator de carga caiu 0,7 ponto percentual, atingindo 81,4%. A América Latina foi a única região a registrar redução no fator de carga em junho.

• As companhias aéreas da África apresentaram aumento no tráfego de 10,9% em junho, bem acima do crescimento de apenas 2,1% em maio, embora isso também reflita, em parte, a volatilidade nos dados mensais. A capacidade cresceu 5,5% e o fator de carga subiu 3,3 pontos percentuais, atingindo 68,0%. O aumento nos preços de petróleo e commodities estão impulsionando as economias em vários países, incluindo a Nigéria.

Mercados domésticos de transporte aéreo de passageiros

A demanda por viagens domésticas subiu 7,9% em junho em relação a junho de 2017, um pouco acima do crescimento anual de 6,7% observado em maio. A capacidade aumentou 7,5% em junho e o fator de carga subiu 0,3 ponto percentual, atingindo 84,5%. Liderados mais uma vez por ganhos de dois dígitos na Índia e na China, todos os mercados apresentaram aumento de demanda, mas com grande variação.

• O tráfego doméstico do Brasil aumentou 5,3% em junho, que ficou acima do índice de 3,8% obtido em maio. Apesar do desempenho melhor, a demanda sofreu impacto residual das recentes greves gerais.

• O tráfego doméstico do Japão subiu 3,7% em junho em relação ao ano anterior, o que foi bem acima do crescimento de 1,7% registrado em maio. Porém, existe a perspectiva de enfraquecimento do cenário econômico no futuro.

Fonte: assessoria

Veja também:

08/03/2019
InFOHB apresenta dados de desempenho das redes de hotelaria associadas
Na 138º edição do InFOHB foram analisados os resultados de hotelaria do mês de janeiro de 2019.
15/02/2019
80,9% dos profissionais de vendas e marketing estão otimistas com futuro da economia
Pesquisa ADVB/FIPE do 4º trimestre de 2018 destaca melhora expressiva da confiança em relação à economia brasileira e ao setor econômico, além do otimismo com as condições futuras da empresa e do setor de atuação.
14/02/2019
FOHB e FGV-CELOG apresentam estudo pioneiro e inédito sobre hotelaria e economia brasileira
Trata-se da primeira publicação brasileira abordando o assunto e foi elaborado durante todo o ano de 2018.
12/01/2019
Destaque na CES 2019, assistentes virtuais mudarão relações de consumo e estratégias de vendas e marketing
Marcelo Trevisani, CMO da CI&T, afirma que em um futuro não muito distante conversaremos muito com nossas máquinas e a voz vai nos salvar dos celulares.
Newsletter
Receba as novidades