Canais
Transporte
publicado em 29 de junho de 2020 - 10h25

Carnival, maior operadora de cruzeiros no mundo, vai vender navios para cobrir US$ 4,4 bilhões de prejuízos em 2020

Anúncio foi feito na semana passada. Navios atracados geram prejuízos de US$ 250 milhões mensais, apenas com manutenção.

Da Redação

 Navios da Carnival atracados
A Carnival Cruise Line, maior operadora de cruzeiros do mundo, anunciou que planeja vender seis de seus navios para amenizar as perdas causadas pela crise do novo coronavírus.

A companhia relatou um prejuízo de US$ 4,4 bilhões no segundo trimestre de 2020 e, por isso, anunciou na última quinta-feira (18) que estava “acelerando” seu processo de vendas dos navios para equilibrar as contas. Entretanto, a empresa não revelou quanto vai cobrar por cada embarcação.

A Carnival voltou a prolongar a suspensão de suas operações na América do Norte até 30 de setembro de 2020, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A Carnival tinha anunciado inicialmente uma pausa voluntária de 30 dias nas operações no dia 13 de março e agora estendeu pela terceira vez a suspensão das atividades. Neste período, a empresa concluiu o repatriamento de 29 mil tripulantes para mais de 100 países.

Assim que retomarmos o serviço, tomaremos todas as medidas necessárias para garantir a saúde e a segurança de nossos hóspedes, tripulação e comunidades que trazemos aos nossos navios a fim de manter a confiança do público em nossos negócios”, disse a presidente da Carnival, Christine Duffy. “No entanto, pedimos desculpas por interromper o planejamento de férias e agradecemos a paciência enquanto trabalhamos nessas decisões”, completou.

Segundo dados da Carnival, a administração e a manutenção de navios atracados custam à empresa cerca de US$ 250 milhões por mês.

Depois de divulgar os balanços, a Carnival ainda afirmou que a o cenário do turismo marítimo segue incerto e diz não saber quando a situação deve se estabilizar ou voltar ao normal. Por conta dessas incertezas, a companhia declarou não ter uma previsão de quando recuperará suas receitas.

Quanto mais longa for a pausa nas operações com hóspedes, maior será o impacto na liquidez e na posição financeira da empresa”, afirmou a companhia em seu último relatório financeiro.

Embora a Carnival tenha oferecido aos seus clientes a chance de remarcarem suas reservas para uma data futura, metade deles solicitou um reembolso em dinheiro, de acordo com informações da empresa.

A companhia ainda acrescentou que, embora a demanda tenha mostrado alguns sinais de melhora nas últimas semanas, o número de novas reservas feitas em maio para cruzeiros em 2021 caíram em comparação com o ano passado.

Com o avanço do coronavírus pelo mundo, o setor de turismo marítimo entrou em colapso total, principalmente depois que muitos navios – incluindo alguns pertencentes à Princess Cruises, da Carnival – tiveram infectados a bordo, se tornaram grandes focos de contaminação e foram obrigados a realizar uma quarentena forçada em diversos portos pelo planeta.

Ainda segundo a companhia, globalmente, existem cerca de 21 mil funcionários presos em 49 navios diferentes que ainda não conseguiram atracar devido a restrições governamentais de diversas nações diferentes.

Fonte: Infomoney

Veja também:

16/09/2020
CEP Transportes lidera mercado, segundo pesquisa da ABRACORP
A Abracorp (Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas) realiza constantemente pesquisas sobre o mercado de atuação de seus associados e áreas relacionadas com o setor.
14/08/2020
Grupo Heineken e Movida se unem e levam ação de conscientização para as ruas de São Paulo
As famosas mochilas de chopp presentes em grandes eventos serão agora utilizadas para distribuição de álcool em gel em pontos de grande circulação. A ação "Fazer Parte" pretende impactar 3 milhões de pessoas, em um movimento de conscientização e combate à pandemia.
27/07/2020
(Re)começaram na semana passada os grandes Cruzeiros na Europa
Pela primeira dez desde que a pandemia de Covid-19 atacou em Março, um navio de cruzeiros saiu de um porto europeu com mais de 1200 passageiros a bordo.
23/06/2020
Setor de mobilidade corporativa apresenta tendências para o pós-Covid-19
LIVE do Conecta Fórum Eventos reuniu executivos das principais redes do segmento rent a car do país (Localiza, Movida e Unidas), de mobilidade corporativa (CEP e Shift) e prestadores de serviços para o setor (April e GTA), além do SindLoc-SP.
Newsletter
Receba as novidades