04
setembro
2017

CEO Council Experience, a experiência na sua origem

escrito por

Sequencialmente ao meu artigo Eventos provocam experiências, veio o convite feito pelo próprio Portal Eventos para palestrar no III CEO Council Experience, em Foz do Iguaçu.

Assim aconteceu. Experiência pura. Toda programação, roteiro, convívio, conteúdos e trocas foram intensos. Vivenciar e sentir as cataratas e experimentar as emoções do passeio do Macuco, fez com que minha responsabilidade aumentasse exponencialmente. Uma dissonância ao ter que falar sobre espaços que promovam experiências e conhecimento utilizando os sentidos, em pleno cenário de uma das 7 maravilhas da natureza, com 1.500 metros cúbicos por segundo de água. Sem contar o rodeado por arco-íris, que caia há menos de 8km de distância da nossa sala. Mas isso é Live marketing, a vida como ela é, ao vivo. E como levar isso para os eventos? Era minha missão, palestrar sobre isso para um grupo de aproximadamente 50 pessoas, na grande maioria, da área de marketing.

Evidentemente que me inspirou ainda mais e fortaleceu a defesa que nós, arquitetos e cenógrafos da BUENO Arquitetura Cenográfica fazemos: o quanto o ambiente tem influência e poder sobre as pessoas.

Considerando que a função da arquitetura cenográfica é regenerar a sensibilidade perceptiva, é crucial que para se tornar " perceptível", um espaço precise conduzir ao experimento como ambiente inovador. Precisa ser provocativo, instigante, raro, diferente e preferencialmente não se enquadrar numa categoria habitual. Dessa forma, contribui com o evento, para que este se torne um experimento mais duradouro na lembrança do visitante, gerando imersão e residual ao conteúdo proposto, com menos automatismo e superficialidade.

No conteúdo da palestra, apresentei 6 cases de eventos de grande influência no mundo corporativo, que tem utilizado o recurso da experiência. A exemplo do Fórum e-commerce, onde a implantação de um túnel experiencial e um credenciamento conceitual e humanizado, trouxe uma nova narrativa ao evento. Outro case desse ano, foi o túnel cenográfico da Brazil Promotion, que colocou os visitantes em algumas situações totalmente inesperadas: desbravar caminhos escuros e sinuosos, enfrentamento com o desconhecido, divertimento e distração com elementos inusitados e orgânicos, efeitos tecnológicos para contemplação e espaços interativos com recursos mais democráticos.

Assim como apresentei também nos cases do CONARH 2016 e 2017, do GS1, Zendesk e ABF, todos foram unânimes na busca por impactar seus convidados através da experiência, principalmente sentida e vivenciada, não simplesmente assistida. O método: intrigar, inspirar, imergir e transformar tem sido nosso norte para desenvolver projetos que tirem as pessoas da condição de incontestabilidade e deixa marcas. Isso é necessário, principalmente, para que se sintam parte integrante do evento e de todas as atividades que se propuserem a participar.

Sabemos que estamos na era do H to H, ser humano para o ser humano e foi o que mais tentei transmitir para esse público, que são os demandadores de eventos, quem nos solicita as intervenções, quem nos contrata.

A cada projeto, precisamos impactar e transformar mais pessoas, gerando um público mais participativo e engajado, através da experiência. Dialogar e compartilhar com os convidados do CEO Council, foi fascinante e oportuno, fiquei muito satisfeita com essa experiência gerada a todos nós no evento. Isso me deixou marcas, me transformei e espero, sinceramente, que eu também tenha conseguido alcançar os convidados com o nosso conteúdo.

Leila Bueno é arquiteta e sócia-diretora na BUENO Arquitetura Cenográfica

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades