Diversidade e Turismo
Bayard Boiteux
"Turismo é aprender a conhecer outras culturas, respeitá-las e sobretudo fazer de cada morador um aliado no desenvolvimento turÍstico"
Bayard Boiteux
16
junho
2020

A democratização dos eventos com a chegada da virtualização

escrito por Bayard Boiteux

Hoje,quero compartilhar com vcs um artigo da professsora Ana Cristina Rosado,que traz muita reflexão...

A democratização dos eventos com a chegada da virtualização

A pandemia acelerou mudanças que já eram previstas, como o home-office, a busca pela sustentabilidade, a educação a distância e a virtualização dos eventos realizados antes presencialmente. Em um curto espaço de tempo, diversos segmentos da atividade econômica tiveram que parar para evitar a propagação da doença e se reinventar, dar a volta por cima, mantendo a rotina de milhares de brasileiros.

No país, as transmissões ao vivo em menos de um mês, desde o início da quarentena, dobraram e a expectativa é que mais da metade dos eventos que foram cancelados ou adiados migrem para o digital. Segundo o In Event (2020), a estimativa é que mais de 1,5 mil eventos aconteçam digitalmente ainda este ano.

Utilizando as plataformas online, novos espaços foram adaptados para que tudo isso fosse possível. Os avanços tecnológicos possibilitaram também a utilização de diversas ferramentas para viabilizar o processo tais como o streaming, os chats, a videoconferência, a nuvem compartilhada, dentre outros. O Instagram proporcionou que as pessoas salvassem seus vídeos diretamente no IGTV e o conteúdo pode permanecer por mais do que o limite de 24 horas nos stories. Já o aplicativo Zoom também ampliou o tempo de acesso gratuito para os seus usuários. Existem ferramentas de gestão de eventos que permitem que o participante faça o check-in no início da atividade virtual por meio do QR code na tela do computador e a emissão dos certificados é automática.

Certamente, os tempos são difíceis e durante a desaceleração econômica mundial, enfrentando uma realidade diferente, somos obrigados a rever valores e mudar hábitos. E a democratização voluntária dos eventos é a prova disso. Nos últimos dois meses, a popularização e a facilidade de participar de eventos gratuitos ficaram evidentes. No mesmo dia, a pessoa pode assistir a um evento de yoga e saúde mental, entrar em um congresso da área de interesse, apreciar uma peça de teatro, visitar um vernissage e finalizar a noite com um show ao vivo do artista preferido. Sem falar nos shows da Broadway, do Cirque de Soleil, do Festival One World, do Roberto Carlos, da Ivete Sangalo e do Alok que marcarão certamente as nossas memórias durante distanciamento social. Até a tradicional premiação dos novos Embaixadores de Turismo no Rio foi realizada virtualmente pelo Facebook.

Na contramão da crise, as vantagens da democratização dos eventos são inúmeras pois qualquer um que tiver celular ou computador com internet terá acesso às infinitas possibilidades. Além disso, o usuário poderá assistir e rever o evento quando e quantas vezes quiser, é muito mais barato organizar um evento virtual e o número potencial de participantes será sempre superior ao evento presencial.

Sem dúvida, a conjuntura atual fortalece ainda mais a tendência pela democratização dos eventos através da virtualização. Entretanto, nunca substituirá os benefícios e as oportunidades que os encontros presenciais proporcionam. Viver em sociedade é, talvez, a característica mais relevante do homem. Acredito, também, na importância do inter-relacionamento e no calor humano, gerados somente ao estarmos próximos uns aos outros, como por exemplo, quando a gente dá aquele abraço apertado em quem amamos.

Ana Cristina Rosado

Professora universitária, coordenadora do Laboratório de Eventos do curso de Publicidade da UVA e assessora de imprensa da Associação dos Embaixadores do Rio

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades