Diversidade e Turismo
Bayard Boiteux
"Turismo é aprender a conhecer outras culturas, respeitá-las e sobretudo fazer de cada morador um aliado no desenvolvimento turistico"
Bayard Boiteux
15
outubro
2019

Profissão Professor:amor ,dedicação e vontade de mudar o mundo

escrito por Bayard Boiteux

Hoje,vamos falar sobre o professor,uma de minhas atividades há 35 anos...

Profissão Professor:amor ,dedicação e vontade de mudar o mundo

A arte de encantar alunos com informações novas é um desafio daqueles que escolheram e acreditam na profissão professor.A sala de aula,mesmo virtual é um dos ambientes mais ricos de troca de experiências.Verdadeiros professores nunca param de estudar e não acreditam que um pos doutorado é o fim de uma carreira docente. Sabem que a reciclagem continua faz parte de sua sobrevivência mercadológica e entendem que não só ensinam mas que sobretudo aprendem muito com seus alunos.Ensinar é assim a arte de encantar e ser encantado .É a vontade única de plantar novas sementes que possam dar ao futuro egresso noções de democracia ,de diversidade,que lhe permitam sobreviver e defender seus direitos básicos.Ensinar é formar um cidadão pensante,que não se deixe manipular e que seja porta voz de um pensamento plural capaz de ajudar a humanidade sempre.

Professores nos marcam e muitas vezes se tornam referencias para nós:não se organizam em manifestações momentâneas mas lutam a vida toda,com coragem de criticar o status quo ,propor mudanças e ter sempre em mente a riqueza de pensamentos e posições religiosas,politicas distintas das suas,desde que pautadas em argumentos concretos e não baseados em achismos ou pior ainda em fakenews plantadas para confundir a discussão democrática.A figura que entra em sala de aula para nos motivar a aprender tem um peso grande em toda nossa vida.Faz parte de nossa caminhada para o mercado laboral,desde o primeiro segmento até a conclusão de um curso que vai melhorar nossa entrada na vida propriamente dita,aquela da do trabalho para viver e da família,se assim o desejarmos para buscarmos a felicidade,mesmo que passageira.

A vida nos encaminhou para a docência.Vi nos meus pais,professores natos,instrumentos de fazer da Educação,uma arma de desenvolvimento individual e do grupo.Hoje,faço 35 anos de docência,dos quais 32 anos no Ensino Superior,onde ate hoje continuo colaborando.O que mais me deixa feliz e o grande numero de alunos que encontro no dia a dia e que mesmo não atuando na área de formação,agradecem minha contribuição ,que sei pequena para o despertar de seu gosto por acordar cedo e lotar as aulas.Como é bom entrar na sala de aula às 07 horas e encontrar um grupo de quase 100 por cento da turma pronto para ouvir e sobretudo discutir.Formei uma geração de docentes,coordenadores que totalmente desconhecidos aprenderam e conquistaram um espaço prestigiado no mercado.Alguns vivem hoje da docência e da pesquisa que tanto tentei incutir na formação dos mesmos.Nao queremos nenhum agradecimento e podem virar suas cabeças aos nos encontrarem,apenas desejo que trilhem o caminho do respeito ao próximo e não se curvem,por dinheiro a um projeto pedagógico equivocado,sem força para participar de modificações vitais.

Professores não recebem infelizmente o devido reconhecimento dos que os contratam e daqueles que devem usufruir de seus conhecimentos.Instituições de Ensino adotam modelos engessados de gestão,com preceitos de compartilhamento de disciplinas entre cursos cujos alunos não poderiam em hipótese alguma dividir o mesmo espaço.Fora as turmas com excesso de alunos ,com aprovação quase que automática,por provas de múltipla escolha em grupo,alegando inclusive modernidade na avaliação.Fora os alunos que insistem em afirmar,quando são contrariados,que pagam os salários dos professores,através de suas mensalidades e que até hoje creditam que os professores que mais aprovam e não cobram presença são os melhores e devem ser homenageados em formaturas.Fui 112 vezes paraninfo,tive 35 nomes de turma e fui 86 vezes homenageado apesar de entender que presença e avaliação verdadeira são nossa contribuição para uma Educação Real,se podemos em algum momento asiim considera-la.

Ninguem é unamidade e ainda bem.Alunos tem visão diferente de seus mestres mas o respeito deve ser a mola mestre da relação.Alunos respeitam professores e professores respeitam e acreditam em seus alunos.Nosso desafio e alegria maior é aquele aluno que não tinha nenhum interesse em nossas palavras e que no final do semestre entendeu que de alguma forma,estávamos ali para ajudar e lutar com eles,para uma vida digna.

O amor pela docência e pelo desempenho não e medido apenas pelas pesquisas desenvolvidas pelos contratantes mas pela vontade de fazer de cada aluno,no final do semestre ou do ano um aliado na discussão de uma integração do conhecimento ao desenvolvmento da Sociedade....

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades