Eventos de sucesso!
Vanessa Martin
"O rápido crescimento da revolução tecnológica na indústria dos eventos levou à interrupção, bem como uma enorme oportunidade para um novo crescimento e um maior envolvimento dos participantes."
Joe Goldblatt
01
agosto
2019

Tecno-humanização: O que é e o que seu evento tem a ver com ela!

escrito por Vanessa Martin

Tecnologia e transformação digital fazem parte do cotidiano de cada um de nós de forma avassaladora e cobrindo todas as áreas da nossa vida pessoal e profissional. Está tão intrínseco à nossa realidade que, muitas vezes, nem percebemos a amplitude total deste envolvimento e seus impactos.

Outro ponto que também pode passar desapercebido por alguns está na correlação entre tecnologia x transformação digital x ser humano. O mais relevante nesta equação está no fato que a tecnologia e as transformações digitais não são o fim, mas o meio utilizado para atender ao ser humano.

E a humanidade está vivendo agora uma situação inédita: coexistência no mercado de trabalho de 4 gerações muito diferentes: o baby boomer e as gerações X, Y (Millennials) e a Z. Impulsionados pelas mudanças comportamentais destas novas gerações, esta combinação de diferenças resulta em perfis de consumidores muito especiais. que buscam cada vez mais novos modelos de negócios.

Apesar desta diversidade, o fator comum recai na sustentabilidade, campo dos mais amplos e irrestritos, que dá relevância ao ser humano, o respeito à natureza, ao consumo consciente e à valorização de empresas com propósito, entre tantos outros aspectos relacionados.

Como o mercado de eventos é o retrato perfeito do momento histórico da sociedade, ele é impactado diretamente por tudo o que acontece ao nosso redor, como por exemplo, o recente relatório publicado no Event Manager Blog sobre locais inteligentes (ver post revistaeventos.com.br/blog/Eventos-de-sucesso!/Seu-Proximo-Evento-Sera-Realizado-em-Um-Local-Inteligente/48193)

A Sociedade Líquida

Mas parece que as palavras de ordem da atualidade são a volatilidade e velocidade de transformação. São componentes que embasam a sociedade líquida (liquid Society) defendida pelo sociólogo polonês Zygmunt Baumann, na qual o que antes era fixo e imutável já não é mais. Tudo é fluido, permeável, líquido. Ou seja, nada mais é feito para durar e tudo pode interferir em tudo. O core business, ou o foco e mercado corporativo, pode ser impactado por áreas outrora inimagináveis. Um bom exemplo disso é o Impossible burguer, (impossiblefoods.com), carne vegetal que pode ressignificar o mercado de produção e consumo de carne mundial.

Empresas que não estiverem preparadas para atuarem nesta sociedade liquida, perderão muito facilmente o timing dos negócios e tendem a desaparecer. Sobreviverá aquelas que possuírem agilidade e flexibilidade de adaptação à estas transformações.

 Márcio Bueno, da BE&SK
Para Márcio Bueno, da BE&SK“Não existe nada fixo e imutável no mundo líquido. É preciso ter flexibilidade e agilidade para transformar o negócio em outro tipo de coisa. Se você não fizer, outro o fará.”

Como não poderia deixar de ser estas mudanças também afetam o setor de eventos, na festivalização, nas novas profissões e novos fornecedores, na duração dos eventos, na desconstrução dos formatos e tipos de eventos, na quantidade e diversidade dos eventos simultâneos, na proliferação dos vários formatos de eventos híbridos, nas combinações de públicos em um mesmo evento, entre tantas outras transformações.


A Tecno-Humanização

A convite da BE&SK fiz workshop sobre esta metodologia, que defende a sustentabilidade e os conceitos de Baumann. Para ele, as empresas precisam de transformações digitais ativas, mas também considerar os impactos das transformações digitais passivas, aquelas promovidas por outros setores, que virão impactar o seu negócio. Cita que estudos recentes indicam que, em média, 70% das transformações digitais no mundo falham e que as empresas conscientes são mais rentáveis.

 13a turma d workshop Tecno-Humanização

Para Shirlei Lucia Longarai, “A metodologia desenvolvida pelo Marcio não é simplista, é capaz de antever mudanças importantes nas companhias e lhes garantir sobrevivência.” Miguel Passos, outro aluno, disse “ver a Tecno-Humanização como algo realmente novo em meio a toda essa onda que se convencionou chamar de transformação digital. O que mais gosto na metodologia é que ela coloca o ser humano no centro desse debate, sem soar como algo clichê.”

Unindo estas lacunas e também com foco nas novas necessidades, ele criou metodologia que identifica as falhas da transformação tecnológica (existem transformações analógicas que irão impactar muitas empresas, as profissões e as áreas de negócios), transformando empresas em organizações rentáveis e conscientes.

O diferencial desta metodologia está em trabalhar, de forma holística e integrada, os três ângulos da transformação das empresas (tecnologia, business e mindset) e ter os limites definidos pela ética e a consciência, trazendo benefícios de imagem de marca positiva, maior rentabilidade e retenção de talentos. Bueno ressalta que ter governança é importante e o marco para cumpri-la é a lei, mas isso não garante ética.

Elane Passos, que participou do workshop, disse que ele “foi conduzido de forma bastante clara e contextualizado através de exemplos superinteressantes e exercícios realizados em grupos para fortalecer o nosso aprendizado sobre o tema e também sobre como nos preparar para as mudanças que estão ocorrendo em nosso ecossistema de negócios.”

A metodologia inclui abordagem do observatório (análise de concorrentes ou produtos no mundo líquido) e o plano e o processo de transformação da empresa até um novo modelo. Segundo outros alunos, sua percepção foi ampliada com o aprendizado obtido, como para Regina Viglizzo. “Me deu uma visão muito mais holística dos impactos de qualquer mudança. Quebrou paradigmas a respeito de como e onde trabalhar para implementar realmente uma cultural digital.”

Mas e agora?

É fácil ver que há assertividade e clareza na visão de Baumann sobre as recentes transformações globais e os conceitos relacionados à sociedade líquida. E que a sobrevivência de profissionais e empresas dependerá de atentar para estas mudanças, bem como da sua agilidade e flexibilidade para também se adequarem e promoverem suas próprias transformações.

Assim como o Ser Holístico é cada vez mais valorizado, as interligações setoriais e de mercado estão cada vez mais intensas e evidentes. Por sua vez, o setor de eventos fervilha com tantas novidades e possibilidades, pulsando e vibrando fortemente para todos aqueles que entenderem e incorporarem os novos modelos e demandas em seu DNA.

Metodologias como a tecno-humanização podem ajudar a clientes e profissionais de eventos a compreenderem este cenário e a se capacitarem melhor para as transformações necessárias. Mas depende de cada um de nós a iniciativa para fazer do nosso mundo um lugar melhor para vivermos agora e no futuro.

PARA SABER MAIS

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades