Feiras & Exposições
Paulo Passos
"Não olhe para o ciclo de vida do produto: olhe para o ciclo de vida do mercado"
Philip Kotler
27
fevereiro
2020

60 anos depois...

escrito por Paulo Passos

60 e poucos anos depois...

1958, ano que mudou a cara de São Paulo ou melhor dizendo, ano que iniciou a maior entre todas nossas mudanças: dos rumos da nossa indústria ao turismo; do comportamento, ao comércio, milhares de oportunidades e empresas nasciam tendo seu DNA neste ano.

A FENIT - Feira Nacional da Indústria Têxtil - realizava-se pela primeira vez nos antigos pavilhões do Parque Ibirapuera, impactando e alterando os rumos de nossa história.

Feira da Mecânica Nacional, Salão do Automóvel, Ud – feira de utilidades domesticas - são exemplos de feiras que vieram a seguir. Criadas pelo empresário visionário Caio de Alcântara Machado e sua equipe, o setor de feiras nasce na forma que o conhecemos e torna-se um dos maiores do Brasil, abrangendo milhares de empresas nacionais e internacionais que promovem, administram, montam e participam de centenas de feiras anualmente. É toda uma indústria criada, movimentando anualmente milhões e milhões de reais.

Do Ibirapuera ao Anhembi. Do pavilhão da Bienal a inúmeros espaços fantásticos que, em seu interior, fazem mais do que simplesmente gerar negócios: geram sonhos e criam nosso futuro.

Futuro este, gerado e criado por empresas, cada uma composta por profissionais que mudam nossa história.

O fato é que, mais do que um privilégio, é um orgulho fazer parte desta história.

Alguns, como nós, participaram deste processo, mas há algumas famílias que se destacaram.

Pedro Paulo Lamboglia e Pedro Paulo Lamboglia Filho, o “Paulinho” são exemplos de luta e sucesso. Sem nenhum demérito aos antecessores e sucessores, nas mãos destes dois abnegados profissionais a FENIT virou símbolo de uma época.

Por estes dias, perdemos o Paulinho. Nosso último contato ocorreu numa homenagem feita ao Caio de Alcantara Machado, durante a realização de uma feira no Anhembi, ano passado.

Se queremos olhar o futuro, temos que olhar o passado e, consequentemente, aprender com ele: Paulinho, obrigado por nos ensinar.

Administrar ou promover uma feira é mais do que técnicas e números. É conhecer o ser humano e saber gostar de pessoas, e nestas habilidades, Paulinho, você era o master!

Que Deus conforte seus familiares e, que com outros amigos que já não estão mais entre a nós crie, organize e promova a maior de todas as feiras no maior pavilhão de todos: o Céu!

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades