Reflexões & Aprendizados
Andréa Nakane
Você pode sonhar, criar e construir a idéia mais maravilhosa do mundo, mas são necessárias pessoas para fazer o sonho virar realidade
Walt Disney
12
outubro
2021

Imposição de saltos como Estilo de Cerimonialistas e Recepcionistas precisa ser Revista.

escrito por Andréa Nakane

Algo que os homens não conseguem sentir é ter que ficar 08, 10 ou 12 horas equilibrando-se em cima de saltos com mais de 7 cm, acompanhado de meias calças e saia ou vestido tubete, nem sempre tão confortáveis como deveriam ser.

No universo dos eventos esse figurino é considerado o padrão pelas equipes de Cerimonial e Receptivo, ainda em sua maioria ocupada por mulheres.

Por emanar algo clássico e requintado, esse tipo de vestimenta e acessórios são percebidos como um verdadeiro dress code pelo mercado.

Não há dúvidas da elegância que todo esse conjunto provoca, mas até que ponto isso vale ser priorizado em detrimento do conforto e até mesmo facilidade em aguentar horas e mais horas de muito trabalho?

Isso sem falar que caminhar com saltos altos não é algo que nasce naturalmente, é preciso hábito para não avisar a todos que está chegando ou parecer desengonçada tentando se equilibrar em cima deles.

Recentemente uma companhia aérea ucraniana, a SkyUp Airlines, decretou fim aos saltos finos e saias lápis depois de colher o feedback das comissárias de bordo sobre seu uniforme.

O novo uniforme da SkyUp para mulheres agora inclui tênis Nike brancos e um terno laranja solto, com calças e um lenço de seda, ambos fabricados por marcas ucranianas. As camisetas brancas substituirão as blusas.

Em época de retomada dos eventos presenciais seria bacana refletirmos sobre o assunto... porque não trocarmos os saltos agulhas por saltos quadrados ou saltos blocos: mais grossos e que geram mais estabilidade? Um salto Anabela também poderia ser cogitado.

O bem-estar e acolhimento dos que trabalham conosco jamais podem ser esquecidos ou trocados por estéticas pré estabelecidas como sendo o ideal.

Profissionais da saúde, em sua maioria, condena o uso do salto alto, pois aumentam o risco de lesões devido a entorses (ou o famoso “torci o pé”) e provocam alterações biomecânicas induzidas pelo salto que podem gerar dores crônicas.

Claro que por outro lado, podem proporcionar maior contração muscular, o que aumenta 30% a eficiência do bombeamento do sangue, sendo algo positivo para a circulação sanguínea e até mesmo podem corrigir certas problemáticas como o pé chato e genuvarum (ou “joelho varo”, deformação do membro inferior, caracterizada por um desvio para fora da perna, com saliência do joelho para dentro), se tiver acompanhamento médico e indicação de sapatos adequados.

É para pensar... é um detalhe... que pode sim comprometer um evento, pois a linha de frente é o principal cartão de visitas que acolhe os participantes... e sinceramente, é impossível receber bem, com os pés em estado de calamidade causado por determinação, muitas vezes sem empatia ou sem chance de ser discutida.

Ah... A empresa aérea ucraniana não esqueceu do conforto maior para os homens, e também pretende alterar o padrão conservador, oferecendo a eles um novo uniforme um terno leve em vez de um colete, e uma camiseta no lugar de uma camisa, que será combinada com tênis Nike preto.

Hoje falamos sobre os sapatos... mas as roupas também irão merecer uma reflexão... aguardem!

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades