Trip & Soul
Marco Aurélio Moura
Costumo responder, normalmente, a quem me pergunta a razão das minhas viagens: que sei muito bem daquilo que fujo, e não aquilo que procuro
Michel de Montaigne
15
setembro
2017

Rio de Janeiro continua lindo

Um paulistano no Rio.

Vim morar no Rio de Janeiro há quase um ano. E digo que fui muito bem recebido por algumas pessoas na cidade. Pessoas até não muito acessíveis a outros cariocas que me receberam de braços abertos.

O meu trabalho com eventos em São Paulo era mais focado em corporativos e aqui no Rio esta sendo um mix com grandes eventos sociais.

Logo de chegada me deparei com uma festa de réveillon para quase 3 mil pessoas com show de Anitta. E pouco antes do carnaval uma feijoada para a escola de samba Grande Rio para 3500 pessoas e show de Ivete Sangalo.

A feijoada já marcou data para 2018 e com o mesmo numero de convidados e show de Zeca Pagodinho com Gilberto Gil. E vem por ai mais uma grandiosa experiencia.

Diferente do que o paulistano diz sobre os cariocas, aqui se trabalha sim, e muito.

Infelizmente o Estado e Municipio estão literalmente quebrados. Situação caótica de todas as formas. Politicos não diferente do resto do Pais são aqui dos mais bizarros, além de seus nomes como Pézão, Garotinho e outros... quase que um filme de terror mas aqui é realidade de cada um que sofre com o aumento da violencia ou mesmo falta de pagamentos de sálarios para funcionários público saude publica em geral...

São Conrado
Eu tinha o costume de acordar e ligar a televisão para ver o noticiario, mas desisti no Rio. O RJTV da Globo é pura violencia. Impossivel não assistir e não sair abalado com tudo que acontece na redondeza e inclusive na proximidade de sua casa. E não moro numa Comunidade ou morro e sim na conhecida Ipanema.

A natureza no Rio de Janeiro é linda para todos os lados que você olha. Mesmo para os morros populosos com milhares de pessoas vivendo em condições bem difíceis. Tirando a conotação social de uma favela, os lugares são incríveis. Mas pobreza aliada a criminalidade, deixa alguns lugares impraticáveis. Bem importante dizer, que a criminalidade é de uma minoria e não se pode generalizar e culpar pessoas que são trabalhadoras e esforçadas. Sou sempre contra generalizar principalmente as não tão boas.

É incrível mas o próprio carioca é bastante preconceituoso com as comunidades. Isso é uma realidade e não se pode esconder. Bonito é morar em outras regiões. Aliás as distinções não são somente com quem mora numa favela. Se você é tijucano, mora na Tijuca, olha com maus olhos quem mora em Ipanema por exemplo. Ainda vou descobrir melhor essa rixa entre bairros no Rio.

Sempre quando vim ao Rio, fui limitado até Leblon, com Ipanema, Copacabana ou até Santa Tereza, região mais central.

Mas desta vez, cheguei a São Conrado e Barra. A Barra achei OK, mesmo tendo uma boa praia e um comércio muito forte. A estrutura da Barra se compara com algumas regiões dos Estados Unidos em termo de grandes negócios. Por isso que dizem que a Barra é meio americanizada. Mas São Conrado, entre Leblon e Barra foi aonde aportei para trabalhar e realmente me encantou bastante.

São Conrado é na realidade a ultima praia da zona sul, e um dos bairros mais seguros e de maior poder aquisitivo na cidade. E por incrível que possa parecer, ele é seguro porque tem como vizinhos dos dois lados, duas famosas comunidades do Rio de Janeiro, que são Rocinha e Vidigal. 

São Conrado

É de impressionar que o sentimento de segurança é infinitamente maior neste bairro do que em qualquer outro. Ipanema, Copacabana por serem apinhados de turistas são alvos mais frequentes de roubos e arrastões. Estes bairros tambem tem morros ao redor, mas não tão pacificados como os de São Conrado. 

Rocinha ou Vidigal

Ao mesmo tempo de ser um bairro com 360 graus de esporte, aonde você tem o mar, as florestas e a pedra da Gávea para voar, o bairro tem prédios suntuosos aonde moram famílias de políticos importantes, milionários ou mesmos artistas. O único shopping do bairro, o Fashion Mall é uma passarela para se encontrar artistas e moradores ideia total de exclusividade. Aliás uma das coisas interessantes do bairro, é que se você precisar de algo, você tem duas opções de lugares bons de compra, ou o shopping ou mesmo ir até a Rocinha. Sim a Rocinha que é capaz de ter mais restaurantes do que o próprio shopping. Quando pergunto algo por aqui, se não tem determinado produto no shopping, aonde teria então mais próximo? Na Rocinha.

O Rio me da a impressão as vezes de ser uma pequena grande cidade, por alguns costumes locais. Não trata-se de uma critica. E já vou avisando que vir ao Rio de férias ou a passeio é bem diferente de viver aqui. Não para o ruim, pelo contrário, as vezes me pego comparando Ipanema com os jardins, aonde eu morava em São Paulo, e para minha surpresa tenho boas surpresas por aqui.

Não tem o que comparar Rio com São Paulo. Todas tem as suas características de grandes e populosas cidades.

O Rio continua lindo e na esperança de melhores dias.

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades