Vendo do mundo os segredos escondidos
Sergio Junqueira Arantes
Os casos vi que os rudes marinheiros, Que têm por mestra a longa experiência, Contam por certos sempre e verdadeiros, Julgando as coisas só pela aparência, E que os que têm juízos mais inteiros, Que só por puro engenho e por ciência, Veem do mundo os segredos escondidos, Julgam por falsos, ou mal entendidos
Camões, Lusíadas, Canto V
13
julho
2018

Quem sabe faz a hora

Este não é um espaço político, mas a minha, a sua, a nossa omissão pode permitir que o pior aconteça. Não nos cabe indicar este ou aquele candidato, ou partido. Mas é nossa obrigação acionar o sinal de alerta, lembrando Gabriel Garcia Márquez que uma vez disse que “a independência do domínio espanhol não nos colocou a salvo da demência dos governantes de plantão”, e ressalto que nos últimos tempos nossos governantes têm extrapolado em sua demência.

Vivemos tempos muito estranhos. No Brasil e no mundo. Talvez mais no Brasil. Tempos de opiniões exacerbadas, de extremismos. O que gera intranquilidade, que não nos permite ter a confiança necessária para fazer os investimentos para o desenvolvimento de nossos negócios.

O futuro me preocupa, pois é nele que terei que viver o fim de minha vida, assim como meus filhos e netos. Temos que iluminar os caminhos desse futuro. Ou, como disse, Isabel Allende: “Não se pode render-se. É preciso resistir. O desespero só serve para dar munição aos interessados em voltar o relógio do tempo. Nosso tempo é o momento da união, da esperança, do ativismo, de dar as mãos para o outro e seguir em frente, juntos. Uma vez mais precisamos ver a adversidade como oportunidade para criarmos um futuro quase que desde o início. Estão nos dando chance para sonhar de novo”.

Por isso, devemos estar vigilantes. Conferir cada um dos candidatos, a todos os cargos: presidente, governador, senador e deputado. Saber quais efetivamente têm a estatura que o momento exige, quais seus verdadeiros interesses, como ele pode contribuir para que o país consiga desenvolver toda sua potencialidade.

Basta de estar deitado em berço esplendido! É hora de arregaçar as mangas e conquistar o nosso futuro.

Editorial da edição 84 da Revista Eventos

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades