Vendo do mundo os segredos escondidos
Sergio Junqueira Arantes
Os casos vi que os rudes marinheiros, Que têm por mestra a longa experiência, Contam por certos sempre e verdadeiros, Julgando as coisas só pela aparência, E que os que têm juízos mais inteiros, Que só por puro engenho e por ciência, Veem do mundo os segredos escondidos, Julgam por falsos, ou mal entendidos
Camões, Lusíadas, Canto V
05
outubro
2009

RIO 2016: Vitória do profissionalismo, do marketing e da sinergia política

Na última sexta-feira o Brasil reviveu o clima dos melhores momentos das Copas que venceu. A ansiedade que se espalhou pelos quatro cantos do país lembrava a torcida pela conquista do mundial de Fórmula 1 pelo Airton Sena, ou das finais em que o vôlei brasileiro conquistou seus mundiais e ouros olímpicos. Era dia de final de Copa do Mundo, com o Brasil disputando o cetro máximo. E quando foi anunciado que o Brasil conquistara o direito de realizar as Olimpíadas de 2016 as comemorações se espalharam pela nação que se sentiu recompensada pelo esforço que vem realizando para demonstrar a si própria e ao mundo que De Gaule estava errado: este país é sério. Nós podemos.

Foram anos de muita luta e algumas decepções. Em sua terceira tentativa, a Cidade e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) souberam evitar os erros do passado e prepararam um dossiê considerado o melhor dentre as quatro concorrentes. Porém, fator decisivo foi a capacidade de união, cada um fazendo a sua parte, governos municipal, estadual e federal, legislativo e executivo, empresariado, imprensa e até artistas – será difícil esquecer do belíssimo vídeo de Fernando Meirelles –, todos irmanados no propósito de conquistar as Olimpíadas para a cidade do Rio de Janeiro.

A vitória foi da Cidade Maravilhosa, que merece todos os aplausos, pois através dos anos vem demonstrando estar capacitada e ter méritos para que a vitória fosse um direito conquistado.

Mas o desafio maior está no futuro. Nos próximos anos o Rio que já sediou os Jogos Pan, se tornará a Capital Mundial dos Esportes, com a realização dos Jogos Militares em 2011, da Copa das Confederações em 2013, da Copa do Mundo em 2014 e, finalmente, em 2016 as Olimpíadas. Por mais de uma década os olhos do mundo estarão voltados para o Rio de Janeiro e para o Brasil.

Isso aumenta a responsabilidade. A obrigação de fazer bem feito, de potencializar os bilhões que serão depositados na cidade eternizada nos versos de Jobim e Vinicius, em projetos que se tornem legados permanentes para seus cidadãos e que aproveitem a toda comunidade.

Que este momento mágico, simbolizado pelo salto do Nuzman e o choro do Lula, seja prenúncio de vitória ainda maior: a demonstração da capacidade do Brasil fazer frente aos desafios futuros, sem se descuidar dos preceitos da sustentabilidade e da ética, não esquecendo jamais que os fins não justificam os meios.

Sergio Junqueira Arantes

Sergio@ExpoEditora.com.br

Diretor da Eventos News, do Portal Eventos, da Revista Eventos e da Making Of

Titular da Cadeira 1 da Academia Brasileira de Eventos

Vice-presidente da ANETUR - Associação Nacional dos Editores de Turismo

Member MPI Brazil Chapter - Meetings Professionals International

Membro do IBEV Instituto Brasileiro de Eventos

________________________________________

Sua avaliação sobre este Editorial e as demais matérias produzidas semanalmente no Portal Eventos e na Eventos News é muito importante. Mande seus comentários para Sergio@ExpoEditora.com.br

Arquivos
Buscar nos Blogs
O que deseja procurar?
Escritores
Newsletter
Receba as novidades