Portal Eventos

* Antes de imprimir pense em seu compromisso com o Meio Ambiente

Tecnologia em Eventos
Marco Barcellos
O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis
Fernando Pessoa
09
janeiro
2013

Londres 2012 foi o primeiro grande evento esportivo totalmente em rede!

escrito por Marco Barcellos
Não há dúvida que os Jogos Olímpicos trazem a sedução da magia das competições. Um desafio forjado à superação, quebras dos recordes e resultados que pareciam impossíveis. Pois em 2012, eu tive a oportunidade de visitar os Jogos Olímpicos pela primeira vez, em Londres, e fiquei impressionado com o clima que envolve este imenso evento esportivo.

Primeiramente, vale citar que todo o projeto de implantação das Olimpíadas de Londres 2012 foi iniciado 6 anos antes – exatamente em 2006, com a reforma, adaptação e construção de estádios e demais instalações olímpicas para os jogos. Além disso, houve uma ampla negociação sobre a infraestrutura da cidade e o recrutamento e seleção dos principais patrocinadores. O projeto total, que tem um planejamento total de 12 anos - 7 anos antes e mais 4 anos após os jogos, já previa todo o legado para a sociedade local.

O povo britânico em geral, especialmente a população de Londres, de fato adotou esta “campanha”. Afinal, foi uma grande oportunidade de “vender” uma nova imagem da Inglaterra para este novo mundo global. Os números dos Jogos de Londres são impressionantes, de grande proporção em escala mundial. Alguns exemplos:

• 26 modalidades esportivas

• Mais de 17 mil atletas representando mais de 200 países

• Mais de 500 mil expectadores que adquiriram mais de 9 milhões de ingressos

• 20 mil jornalistas exclusivamente para cobrir o evento

• E cerca de 70 mil voluntários para ajudar na organização geral

Além de uma organização impecável, pude identificar algumas novidades e tendências no que se refere, principalmente, ao comportamento dos visitantes no uso da tecnologia. Sem dúvida, os Jogos de Londres tiveram como principal novidade o novo cenário mundial amplamente conectado. Esta foi uma das maiores novidades das Olimpíadas de 2012.

Mais do que os números atuais, a velocidade do desenvolvimento neste último ciclo olímpico foi impressionante. Um recorde! Vale citar que desde os Jogos de Beijing, em 2008, o número de Smartphones cresceu 456% (mais de 196 milhões atuais contra apenas 18.9 milhôes). Em 2008, o número de usuários do Facebook beirava os 90 milhões, quando agora ultrapassa já se aproxima do número mágico de 1 bilhão de usuários – um aumento acima de 900%. E o Twitter? A rede de microblogs contava com menos de 1 milhão de usuários, enquanto hoje já ultrapassa os 300 milhões, gerando um impressionante crescimento de quase 30.000%. O número de tweets por dia cresceu mais de 12.000%, atingindo os 140 milhões de tweets diários.


Aliás, um novo recorde olímpico foi quebrado enquanto Usain Bolt vencia a final dos 200 metros rasos. Mais de 80 mil tweets por minuto foram postados durante a prova. Apenas Bolt possui hoje mais seguidores do que toda a rede do twitter em 2008 – somente ele possui 1,3 milhão de fiés seguidores. Isso sem falar nos tablets, que sequer existiam na última Olimpíada em Beijing...

A que já era considerada a primeira olimpíada “Social” foi também o primeiro grande evento esportivo global transmitido em "múltiplas telas". Enfim, uma grande Aldeia Global, colaborativa, conectada e transmitida em HD. E todo mundo conectado, postando, fotografando e compartilhando informações em um belo exemplo de co-criação coletiva em escala global.


E o que podemos esperar em termos de novidades tecnológicas para as próximas Olímpíadas? O Rio 2016 parece muito distante, e realmente não temos como saber. Mas uma coisa é certa: temos que começar a preparar a infraestrutura para os Jogos RIO em 2016 agora! O tempo urge e as projeções do volume de dados e comunicação podem ficar em 10, 50 ou 100 vezes mais capacidade do que as atuais. O importante é que provavelmente vamos errar nas previsões. Mas podemos, sim, entregar Jogos Olímpicos dignos da fama global da nossa Cidade Maravilhosa.

Mãos à obra!

Marco Barcellos, direto do Parque Olímpico de Londres 2012



Fonte: Marco Barcellos @ Cisco House, Parque Olímpico de Londres 2012