Portal Eventos

* Antes de imprimir pense em seu compromisso com o Meio Ambiente

Canais
Entidades
publicado em 20 de abril de 2019 - 20h10

FBHA esclarece mudanças na Lei Geral do Turismo

O texto-base do projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora seguirá para a apreciação do Senado Federal.

As mudanças envolvem a cobrança do Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) por direitos autorais e de reprodução de músicas, além de questões relacionadas à acessibilidade e à abertura total das empresas aéreas ao capital estrangeiro. Pensando nisso, a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) preparou um documento que destaca, comparativamente, as antigas normas em relação à nova proposta.

De acordo com Alexandre Sampaio, presidente da FBHA, entender os meandros da revisão da Lei 11.771, de 17 de setembro de 2008, é fundamental para que as entidades possam trabalhar mais efetivamente para que o turismo assuma o seu real protagonismo na economia brasileira. "É preciso estar atento às mudanças. A legislação precisa urgentemente ouvir as novas tendências do mercado e desburocratizar procedimentos para atuação dos prestadores de serviços turísticos. É necessário incentivar a pesquisa e a produção científica, as parcerias público-privadas e dar atenção correta aos serviços prestados a pessoas com deficiência", disse.

Sampaio também relembra que boa parte das mudanças, como a liberação de 100% de participação de capital estrangeiro em companhias aéreas nacionais, é demanda antiga da FBHA. “O nosso trabalho por mudanças na Lei Geral do Turismo tem sido constante e a abertura das aéreas ao capital estrangeiro é uma medida fundamental para melhorar a competitividade do nosso setor e atrair cada vez mais brasileiros e turistas. Nos últimos anos, o turismo foi afetado por condições macro e microeconômicas adversas, com alta tributação e alterações no câmbio. Precisamos retomar o caminho de crescimento e, para isso, modernizar a lei é fundamental”, garante.

Outro ponto sensível discutido nas alterações é a isenção total do visto para turistas vindos de Canadá, Estados Unidos, Japão e Austrália. De acordo com estimativas do governo, somente com a flexibilização do visto, ocorrida no ano passado, houve aumento de 35,2% nas emissões de vistos (eletrônicos e tradicionais). Segundo o Ministério do Turismo, se todos os vistos solicitados em 2018 forem convertidos em viagens, haverá um incremento de 217.858 turistas, em relação a 2017, totalizando 836.245 turistas, com impacto total de US$ 1 bilhão.

Após aprovação na Câmara dos Deputados, o texto segue para o Senado, onde terá que passar pelas comissões de Constituição e Justiça e Desenvolvimento Regional e Turismo antes de seguir para o plenário. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, declarou que pedirá urgência no trâmite do projeto.

Ao todo, a Lei Geral do Turismo vai modificar e modernizar 118 artigos e atender ao trade do turismo, gerando, consequentemente, mais emprego, renda e desenvolvimento. Confira o documento completo elaborado pela FBHA neste link.

Fonte: assessoria

Veja também:

12/07/2020
Ampro realiza evento "Live Marketing Pronto para Retomada"
Marcas e especialistas discutem o novo normal do Live Marketing nos próximos dias 14 e 15.
11/07/2020
ALAGEV lança grupo exclusivo de vagas de trabalho
Com foco no mercado de viagens e de eventos corporativos, Alagev Jobs é colaborativo e reúne vagas disponíveis nos segmentos.
09/07/2020
Abracorp faz live pelos 90 anos de Adalcy Santos
Cofundador do Favecc e da Abracorp, Adalcy criou a marca Riotravel nos anos 80, a partir da aquisição da Nacional Turismo, agência de viagens do extinto Banco Nacional.
08/07/2020
Presidente da ABRAPE faz primeira visita oficial ao novo secretário especial de Cultura
Doreni Caramori apresentou as principais pautas da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos ao novo responsável pela pasta, Mário Frias, em encontro realizado nesta quarta (8).
Ver mais