Portal Eventos

* Antes de imprimir pense em seu compromisso com o Meio Ambiente

Canais
Políticas do Turismo
publicado em 27 de abril de 2019 -  0h 4

Presidente da ABEOC Brasil entrega reivindicações em encontro com Ministro do Turismo e Bolsonaro

O presidente recebeu 26 empresários e representantes das principais entidades do setor.

A presidente da ABEOC Brasil, Fátima Facuri, participou nesta quarta-feira(24/4) de um encontro do Conselho Nacional do Turismo, com a presença do ministro Marcelo Álvaro Antônio. Logo em seguida, no Palácio do Planalto, na presença do presidente da República, Jair Bolsonaro.

O presidente recebeu 26 empresários e representantes das principais entidades do setor, que apresentaram reivindicações para impulsionar a cadeia produtiva e apoio político para dar celeridade a projetos do setor em tramitação no Congresso Nacional.

"Foi um dia realmente muito produtivo para o setor. Pudemos expor nossos anseios, perceber a receptividade do Governo e, certamente, projetar um futuro promissor para o mercado de eventos e turismo nacional", disse Facuri.

"Sabemos muito bem onde estamos em relação ao turismo e onde queremos chegar e como chegar. A gente vive um novo no Brasil, momento de economia liberal, certamente o ambiente de negócios vai melhorar muito daqui para frente e temos propostas que vão realmente trazer esse investimento do capital financeiro para o Brasil", disse o ministro.

Entre os projetos destacados, está a instituição de áreas especiais de interesse turístico, o que, segundo ele, engloba medidas de desburocratização e simplificação de licenças, "sobretudo ambientais", em áreas com vocação para o turismo.

A meta do Ministério do Turismo é dobrar o número de visitantes estrangeiros no Brasil, que hoje é de cerca de 6 milhões ao ano, impulsionar mais o turismo de eventos e corporativo e fazer crescer o turismo de lazer.

Na agenda estratégica para 2019, as ações também estão focadas na redução do custo de se viajar pelos destinos brasileiros e na melhoria do ambiente de negócios ao setor. É o caso da manutenção da alíquota de 6% do IRRF sobre remessas ao exterior por parte das operadoras de turismo, da eliminação dos impostos sobre o combustível de cruzeiros e da criação de áreas especiais de interesse turístico para atração de investimentos.

A transformação da Embratur em agência de promoção turística internacional, que possibilitaria a realização de parcerias com a iniciativa privada também foi citada.

"O dia de hoje é um marco na história do turismo do Brasil porque sabemos bem onde estamos, onde queremos chegar e, mais importante, como chegar. A gente vive um novo momento no Brasil, de economia liberal, e temos propostas que trarão investimentos estrangeiros para o nosso país, como as Áreas Especiais de Interesse Turístico. O presidente está muito alinhado para que o turismo possa realmente ocupar espaço no centro da agenda econômica brasileira, criando oportunidades para alavancar a economia nacional", avaliou o ministro Marcelo Álvaro Antônio.

Audiência no Congresso Nacional

Após a reunião no Palácio do Planalto, a presidente da ABEOC Brasil participou da audiência da Comissão Nacional de Turismo da Câmara dos Deputados. As discussões giraram em torno da isenção de vistos para turistas. Facuri se encontrou ainda com a 1ª secretária da Câmara, deputada Soraya Santos.


Fonte: assessoria

Veja também:

26/05/2020
Bolsonaro sanciona Nova Embratur e veta incentivos fiscais para setor do turismo
Ao todo, cinco pontos do projeto foram vetados, como esses que tratam de incentivos fiscais e outros sobre composição e financiamento da Embratur.
25/05/2020
Bolsonaro sanciona Nova Embratur e veta incentivos fiscais para setor de turismo
O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que cria a "Nova Embratur", com vetos a incentivos fiscais voltados para o setor do turismo. A norma sancionada deixou de fora o trecho que zerava, a partir de 2021, o imposto de renda devido por empresas aéreas em virtude de contratos de leasing de aeronaves e motores, e também o artigo que garantia a redução para 6% até 2024 do imposto de renda sobre valores remetidos ao exterior para gastos pessoais de brasileiros em viagens internacionais.
22/05/2020
Taxa de Serviços Turísticos municipal é declarada inconstitucional
Em ação proposta pela UNEDESTINOS, lei municipal foi julgada ilegítima pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.
20/05/2020
Em nota técnica, SENACON esclarece real responsabilidade solidária do agenciamento e seu direito à remuneração
Esta é uma vitória para todo o setor de agenciamento que entra para a história da ABAV.
Ver mais