Portal Eventos

* Antes de imprimir pense em seu compromisso com o Meio Ambiente

Canais
Políticas do Turismo
publicado em 08 de maio de 2019 - 23h41

FBHA participa de reunião em Brasília pela legalização dos jogos de azar no Brasil

Alexandre Sampaio esteve presente no lançamento da Frente Parlamentar Mista.

O presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio, participou na manhã desta quarta-feira, dia 08 de maio, no Congresso Nacional, do lançamento da Frente Parlamentar Mista pela aprovação do Marco Regulatório dos Jogos. O objetivo do grupo será aprovar a legalização dos jogos de azar no Brasil.

A Frente é coordenada pelo deputado Bacelar (Podemos-BA) e conta com o apoio de 198 deputados e cinco senadores. O Projeto de Lei 442/91 sobre a legalização dos jogos, que está pronto para ser analisado, permite um cassino por estado brasileiro que tenha até 15 milhões de habitantes. Em estados de 15 a 25 milhões de habitantes, seria permitido o funcionamento de dois cassinos. Já em estados com mais de 25 milhões de habitantes, que seria o caso apenas de São Paulo, seriam permitidos três cassinos.

"A iniciativa privada entende que a aprovação dos jogos contemplaria o desenvolvimento de diversas regiões. Poderia ampliar as atrações para o turista, deixá-lo ainda por mais tempo no país. Além de aumentar a circulação de brasileiros que jogam no exterior ou eletronicamente. Isso sem contar uma maior geração de renda no país, criando mais de 400 mil novos postos de trabalho e renda e incremento de mais de 200% no potencial turístico das cidades", disse Alexandre Sampaio.


Fonte: assessoria

Veja também:

26/05/2020
Bolsonaro sanciona Nova Embratur e veta incentivos fiscais para setor do turismo
Ao todo, cinco pontos do projeto foram vetados, como esses que tratam de incentivos fiscais e outros sobre composição e financiamento da Embratur.
25/05/2020
Bolsonaro sanciona Nova Embratur e veta incentivos fiscais para setor de turismo
O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que cria a "Nova Embratur", com vetos a incentivos fiscais voltados para o setor do turismo. A norma sancionada deixou de fora o trecho que zerava, a partir de 2021, o imposto de renda devido por empresas aéreas em virtude de contratos de leasing de aeronaves e motores, e também o artigo que garantia a redução para 6% até 2024 do imposto de renda sobre valores remetidos ao exterior para gastos pessoais de brasileiros em viagens internacionais.
22/05/2020
Taxa de Serviços Turísticos municipal é declarada inconstitucional
Em ação proposta pela UNEDESTINOS, lei municipal foi julgada ilegítima pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.
20/05/2020
Em nota técnica, SENACON esclarece real responsabilidade solidária do agenciamento e seu direito à remuneração
Esta é uma vitória para todo o setor de agenciamento que entra para a história da ABAV.
Ver mais